A realidade do gerenciamento de resíduos de lâmpadas que contenham mercúrio no setor de comércio de materiais elétricos no município de Cuiabá/MT

Marco Henrique Oliveira Pultrini, Simone Raquel Caldeira Moreira da Silva

Resumo


A publicação da Lei n.º 12.305 de 02 de agosto de 2010 – Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) introduz princípios já conhecidos na área ambiental, mas pouco utilizados pelo público. Um destes princípios é a logística reversa. Este trabalho realizou um levantamento com as cinco empresas de maior representatividade no setor de comércio de materiais elétricos no município de Cuiabá/MT. O principal objetivo foi conhecer a realidade do gerenciamento de resíduos devolvidos de lâmpadas que contenham mercúrio. Utilizou-se de entrevistas com gerentes das empresas escolhidas, onde foram avaliadas informações a respeito de conhecimento da legislação, aplicação desta, gerenciamento dos resíduos, dentre outras. Os resultados demonstraram que no município de Cuiabá, não há alternativa adequada para a devolução de lâmpadas de mercúrio.

Texto completo:

PDF

Referências


AGENCY FOR TOXIC SUBSTANCES AND DISEASE REGISTRY. Toxicological profile for mercury. Atlanta, 1999.

Detailed data table for the 2015 Priority List of Hazardous Substances. [Atlanta], 2015. Disponível em: . Acesso em: 13 mar. 2016, 11:36:00.

Support document to the 2015 Priority List of Hazardous Substances. Atlanta, 2015. Disponível em: . Acesso em: 13mar. 2016, 11:38:00.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS.NBR 12235:armazenamento de resíduos sólidos perigosos. Rio de Janeiro, 1992.

NBR 10004: resíduos sólidos – classificação. 2. ed.Rio de Janeiro, 2004.

AZEVEDO, F. A. et al. Mercúrio. In: AZEVEDO, F. A.; CHASIN, A. A. M.Metais: gerenciamento da toxidade. São Paulo: Atheneu, 2003. cap. 11. p. 299-352.

BRASIL. Congresso. Lei n.º 12.305, de 02 de agosto de 2010. Política Nacional de Resíduos Sólidos. Brasília, 2010.

Ministério do Meio Ambiente.Brasil controlará uso de mercúrio no País. Brasília, 2015. Assessoria de Comunicação. Disponível em: . Acesso em: 13 mar. 2016, 13:15:00.

Instituto Brasileiro Do Meio Ambiente e Dos Recursos Naturais Renováveis. Instrução Normativa n.º 1, de 25 de janeiro de 2013.Cadastro Nacional de Operadores de Resíduos Perigosos. Brasília, 2013.

GOEKING, W. Lâmpadas e leds. Revista O Setor Elétrico, São Paulo, ed. 49, nov. 2009.Disponível em: . Acesso em: 13 mar. 2016, 16:02:00.

GREENBERG, A.Uma breve história da química: da alquimia às ciências moleculares modernas. São Paulo: Blucher, 2009.

NASCIMENTO, E. S.; CHASIN, A. A. M.Ecotoxicologia do mercúrio e seus compostos. Salvador: CRA, 2001. Cadernos de referência ambiental, v. 1.

SILVA, C. G. M. Diagnóstico sobre a utilização das lâmpadas fluorescentes compactas (LFC) como promotoras de eficiência energética nos sistemas de iluminação no Brasil. São Paulo, 2008. Originalmente apresentada como dissertação de mestrado, Universidade de São Paulo, 2008.

UNITED NATIONS ENVIRONMENT PROGRAMME. [Lista de signatários e ratificações da Convenção de Minamata]. [S.l.], 2016. Disponível em: . Acesso em: 13 mar. 2016, 12:50:00.

Minamata convention on mercury. Kumamoto, 2013. The Booklet of the Convention in English (Text and Annexes).

Toolkit for identification and quantification of mercury releases: guideline for inventory level 1. Geneva, 2015. Version 1.3.

Toolkit for identification and quantification of mercury releases: reference report and guideline for inventory level 2. Geneva, 2015. Version 1.3.




DOI: http://dx.doi.org/10.18607/ES201654351

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Contador de visitas

Contador de Acessos/Access Counter

Creative Commons License
Os trabalhos dessa revista são licenciados com a certificação Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

ISSN: 2358-5390