Existências mínimas e desafio ao patriarcado no palimpsesto de putas de Elvira Vigna

Autores

Palavras-chave:

Elvira Vigna. David Lapoujade. Patriarcado. Literatura Brasileira Contemporânea. Filosofia.

Resumo

Este artigo propõe uma leitura do romance Como se estivéssemos em palimpsesto de putas, de Elvira Vigna, a partir do que se discute em As existências mínimas, de David Lapoujade, e considerando sua relação com o contemporâneo. Ao direcionar seu olhar para as existências mínimas, coadjuvantes das grandes narrativas, Vigna desafia – e ironiza – o domínio masculino na literatura e na vida, fazendo das pequenas existências femininas de seu livro a chave para sua compreensão. O texto discute, ainda, a maneira como o trabalho de Vigna se encaixa (ou não) nas tendências de produção da literatura contemporânea brasileira.

Biografia do Autor

Isadora Almeida Rodrigues, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG)

Mestre em Estudos Literários pela Universidade Federal de Minas Gerais e doutoranda em Estudos de Linguagens (Literatura, Cultura e suas Tecnologias) pelo CEFET-MG.

Referências

ALMEIDA, S. R. G. Narrativas cosmopolitas: a escritora contemporânea na aldeia global. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, n. 32, p. 11-20, 2011. Disponível em: <http://periodicos.unb.br/index.php/estudos/article/view/1994>. Acesso em: 30 jul. 2018.

DALCASTAGNÈ, R. Literatura brasileira contemporânea: um território contestado. Vinhedo, SP: Editora Horizonte, 2012.

DALCASTAGNÈ, R. Quem é e sobre o que escreve o autor brasileiro. Entrevista a Amanda Massuela. Cult. São Paulo, ano 20, n. 231, fev, 2018, p. 14-19.

LAPOUJADE, D. As existências mínimas. São Paulo: N-1 Edições, 2017.

RESENDE, B. Poéticas do contemporâneo. Rio de Janeiro: e-galaxia, 2017.

SANTIAGO, S. O cosmopolitismo do pobre: crítica literária e crítica cultural. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2004.

SCHOLLHAMMER, K. E. Ficção brasileira contemporânea. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009.

VIGNA, E. Como se estivéssemos em palimpsesto de putas. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

Downloads

Publicado

2020-04-28