Bitching, Feminilidades gays e Secretariado: Relações Possíveis

Autores

  • Venan Lucas de Oliveira Alencar Universidade Federal de Minas Gerais

Palavras-chave:

Bitching. Secretariado. Cultura gay. Análise do discurso

Resumo

Bitching é uma estratégia discursiva socialmente situada e, por isso, passível de análise baseada em variáveis como gênero, sexualidade e classe. Nosso objetivo é discutir e refletir sobre feminilidades e traçar diálogos entre Secretariado, Gênero e Análise do Discurso. Nossa análise parte de textos acerca de bitching e feminilidades em Pringle (1988, 1993) e Halperin (2012), também de pesquisas desenvolvidas por teóricos do Secretariado. Analisamos entrevistas trazidas por Souza e Martins (2016) e Figueiredo Junior (2018) e, a partir delas, descrevemos as possíveis relações com a cultura gay e a hegemônica, lançando agora olhares mais gendrados sobre resultados colhidos.

Referências

BAUMAN, Z. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2001.

FIGUEIREDO JUNIOR, Fernando S. Os desafios do secretário homossexual masculino no ambiente corporativo. Monografia (Bacharelado em Secretariado Executivo) – Departamento de Secretariado Executivo, Universidade Federal de Sergipe. São Cristóvão, SE, 2018.

FOUCAULT, M. The History of Sexuality Volume I: An Introduction. New York: Pantheon Books, 1978.

HALPERIN, David. M. How to be gay. Cambridge, Massachusetts: Belknap Press, 2012.

HALPERIN, David M. “Normal as Folk” (op-ed), New York Times, 161.55, 810 (June 22, 2012), A25 (original version). Available in: https://www.nytimes.com/2012/06/22/opinion/style-and-the-meaning-of-gay-culture.html. Accessed on Sept 5, 2018.

MISKOLCI, Richard. San Francisco e a nova economia do desejo. Lua Nova, São Paulo, 9: 269-295, 2014.

PRINGLE, R. “Bitching: Relations Between Women in the Office,” Secretaries Talk: Sexuality, Power & Work (Sydney: Allen &Unwin, 1988).

PRINGLE, R. “Male Secretaries”, In: C.L. Williams. Doing ‘Women’s Work’: Men in Nontraditional Occupations, p. 128-151. Newbury Park, CA: Sage, 1993.

RUBIN, G. Políticas do sexo. Trad. Jamille Pinheiro Dias. São Paulo: Ubu Editora, 2017.

SOTIRIN, P.; GOTTFRIED, H. The ambivalent dynamics of Secretarial ‘Bitching’: control,

resistance, and the construction of Identity. In Organization, 1999. v.6, 57-80.

SOUZA, E. C. P.; MARTINS, C. B. “MUITOS SÃO RESPEITOSOS, PORÉM, ALGUNS SÃO ‘GALANTEADORES’”: ANÁLISE ETNOGRÁFICA DAS TRAJETÓRIAS PROFISSIONAIS DE SECRETÁRIAS EM AMBIENTES MASCULINIZADOS. In: VIII Encontro Nacional de Estudantes de Secretariado – ENESEC, 2016, Florianópolis. Anais…Florianópolis: UFSC, 2016, p. 398-414.

WEEKS, Jeff. Coming Out: Homosexuals Politics in Britain, form the Nineteenth Century to the Present. Quarter Books: London, 1977.

Downloads

Publicado

2020-04-28