« Desesterro », de Sheyla Smanioto. Ficar partir resistir, trajetórias do corpo feminino

Autores

Palavras-chave:

Linhagem familiar, Segregação, Violência, Resistência.

Resumo

Este artigo propõe uma leitura do romance de estreia de Smanioto, Desesterro, publicado em 2015. A partir da ideia de que a autora instaura em sua escrita uma poética corpórea, desenvolvemos este estudo tendo em vista um diálogo entre elementos internos, constituintes do tecido narrativo, e fatores externos que, numa abordagem de percepção do texto literário como um elemento que integra uma rede de intervenções num campo expandido, contribuíram para a escrita do livro. Para tanto, utilizaremos as noções de vida precária e corpos em aliança propostas por Butler, assim como a noção de trânsfuga problematizada por Jaquet.

Biografia do Autor

Carlos Eduardo Bione, Universidade de Brasilia - UnB

Doutrando em Literatura e Práticas Sociais pela UnB.

Referências

BAKHTIN, Mikhail. Questões de literatura e de estética: a teoria do romance. São Paulo: Hucitec/Annablume, 2002.

BUTLER, Judith. Corpos em aliança e a política das ruas - notas sobre uma teoria performativa de assembleia. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2018.

______. Vida precária - os poderes do luto e da violência. Belo Horizonte: Autêntica, 2019.

CANCELA, Helder G. O exercício da violência. Lajes: Companhia das ilhas, 2014.

CASARIN, Rodrigo. Sobre cães, mulheres, terra e fome. Suplemento Pernambuco. 05 set. 2016. Disponível em: bit.ly/2LdyltY. Acesso em: 10 nov. 2019.

DUARTE, Constância L. Feminismo e literatura no Brasil. Estudos Avançados. Vol. 17, n°. 49. São Paulo, set./dez. 2003. Disponível em: bit.ly/2R7T9Xp. Acesso em: 09 nov. 2019.

ERIBON, Didier. La société comme verdict. Paris: Fayard, 2013.

ERNAUX, Annie. Une femme. Paris: Gallimard, 2007.

FREIRE, Marcelino. Rasif mar que arrebenta. Rio de Janeiro: Record, 2008.

JAQUET, Chantal. Les Transclasses – ou la non-reproduction. Paris: PUF, 2014.

LIMA, Amanda. Vidas precárias: a sobrevivência quando não existem condições mínimas de existência. Revista Subjetiva. 08 fev. 2019. Disponível em: bit.ly/2R6EMTn. Acesso em: 08 nov. 2019.

LOUIS, Édouard. Histoire de la violence. Paris: Seuil, 2016.

LUKÁCS, Georg. A teoria do romance. São Paulo: Editora 34, 2000.

NANCY, Jean-Luc. Corpo nudo. Corpo fora. Rio de Janeiro: 7Letras, 2015.

PRIORE, Mary del. Corpo feminino: paisagens e passagens. Histórias e conversas de mulher. São Paulo: Planeta, 2014.

ROUSSEL-GILLET, Isabelle. À corps ou l’impossible désengagement. FORT, Pierre-Louis; HOUDART-MEROT, Violaine. (éds.). Annie Ernaux - Un engagement d’écriture. Paris: Presses Sorbonne Nouvelle, 2015.

SMANIOTO, Sheyla. Desesterro. São Paulo: Record, 2015.

______. Cruel razão poética: um estudo sobre a escrita do neutro em Maurice Blanchot. Dissertação (Mestrado em Teoria e História Literária) - Instituto de Estudos da Linguagem. Universidade de Campinas, Campinas, 2015. Disponível em: bit.ly/34i8lUR. Acesso em: 05 nov. 2019.

______. Nas malhas do corpo - Depoimento. SESC Cultural. Nova cena literária brasileira. São Paulo, 2016.

Downloads

Publicado

2020-04-28