Personagens femininas de Mia Couto: contornos de nulidade e de agenciamento

Autores

Palavras-chave:

Mia Couto. Representação. Resistência. Feminino

Resumo

O presente artigo apresenta uma breve introdução sobre a representação da mulher nos contos de Mia Couto, considerando-os espaços de resistência sobre os papéis femininos comumente presentes nas sociedades patriarcais, assim como elaborações possíveis diante das relações dialéticas da submissão e do agenciamento femininos no contexto de dominação masculina. São apresentadas quatro análises, a fim de demonstrar as estratégias do texto literário para criar imagens e posicionamentos da mulher que lancem um olhar crítico sobre as convenções e opressões do feminino. Por meio do presente estudo, concluímos que as técnicas narrativas são recursos de construção de sentidos questionadores dos valores machistas, visando a posicionamentos ideológicos menos desiguais.

Biografia do Autor

Michelle Aranda Facchin, UNESP

Doutora em Letras, com o desenvolvimento de pesquisa sobre Literatura moçambicana, narrativa, resistência e representação. Atualmente, atua como professora substituta de Literatura no IFSP Sertãozinho.

Referências

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Trad. Maria Helena Kühner. 11. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

CANDIDO, Antônio. Literatura e sociedade. 9. ed. Rio de Janeiro: Ouro sobre azul, 2006

CHEVALIER, Jean; GHEERBRANT, Alain. Dicionário de símbolos. 29. ed. Trad. de Vera da Costa e Silva et al. Rio de Janeiro: José Olympio, 2016.

COMPAGNON, Antoine. O demônio da teoria: literatura e senso comum. Belo Horizonte: UFMG, 2010.

COUTO, Mia. Na berma de nenhuma estrada. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

______. Cada homem é uma raça. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

______. O fio das missangas. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

ELIADE, Mircea. Imagens e símbolos. Lisboa: Arcádia, 1979.

FOUCAULT, Michel. História da loucura na idade clássica. Trad. J. Guinsburg. São Paulo: Perspectiva, 1978.

HANCIAU, Núbia Jacques. Visions d’Anna, de Marie-Claire Blais: uma estética da marginalidade. In: PETERSON, Michel; NEIS, Ignacio Antônio. (Org.). As armas do texto: a literatura e a resistência da literatura. Porto Alegre: Sagra Luzzatto, 2000. p.96-118

LACAN, Jacques. Escritos. Trad. Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Zahar, 1998.

LINS, Regina Navarro. A cama na varanda: arejando nossas ideias a respeito de amor e sexo. Rio de Janeiro: Best Seller, 2007.

PERRONE-MOISÉS, Leyla. A criação do texto literário. In:_______. Flores da escrivaninha. São Paulo: Companhia das Letras, 2006. p. 100-110.

SCHNEIDER, Liane. A representação do feminino como política de resistência. In: PETERSON, Michel; NEIS, Ignacio Antônio. (Org.). As armas do texto: a literatura e a resistência da literatura. Porto Alegre: Sagra Luzzatto, 2000.p. 119-139.

Downloads

Publicado

2020-04-28