Breves apontamentos sobre a memória em Luiz Alberto Mendes e Drauzio Varella

Aproximações e distanciamentos nos escritos sobre o cárcere

Autores

Resumo

Este artigo apresenta apontamentos da memória em Luiz Alberto Mendes e em Drauzio Varella, centrados na reminiscência, gatilho à escritura desses memorialistas. O objetivo é verificar como as narrativas se aproximam/distanciam nos aspectos da vivência e do testemunho na experiência carcerária. A metodologia é a análise qualitativa, apoiada na comparação entre as obras. Chegou-se ao resultado de que a experiência de outrora ocorre quando o sujeito arroga para si a incumbência de transmitir acontecimentos vividos/testemunhados. A memória é o fio condutor do balanço de parte da vida (Mendes); é o mote para dar significado e identidade a múltiplas vidas (Varella).

Biografia do Autor

Adauto Locatelli Taufer, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Doutor em Letras (Área de Concentração: Estudos de Literatura/ Literaturas Brasileira, Portuguesa e Luso-Africanas) pelo Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Docente da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) na Unidade do Colégio de Aplicação (CAp/UFRGS).

Fabiano Tadeu Grazioli, Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI), Campus de Erechim/RS.

Doutor em Letras na Universidade de Passo Fundo (UPF). Mestre em Letras pela mesma instituição. Professor do Departamento de Ciências Humanas da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI), Campus de Erechim/RS e da Faculdade Anglicana de Erechim/RS (FAE).

Downloads

Publicado

2020-11-13

Edição

Seção

Caderno Artigos Livres