O fazer filológico em stricto e lato sensu

Autores

Resumo

Desde seu surgimento, a Filologia recebeu diversos direcionamentos teórico-metodológicos, sendo definida como apreciação da palavra (a expressão do pensamento), estudo da língua em função daquilo que se entendeu como língua (a palavra escrita), estudo da língua escrita e falada, dentre outras, que foram substituindo o termo Filologia pelo de Linguística, com o propósito de ampliar o escopo do estudo filológico e, ao mesmo tempo, restringir o estudo da língua apenas aos elementos sistêmicos (HOUAISS, 1997).

Biografia do Autor

Eliabe Procopio, Universidade Federal de Roraima

Mestre em Linguística (UFC, Brasil), Mestre em Filologia Hispânica (CSIC, Espanha), Licenciatura em Letras-Português/Espanhol e respectivas literaturas (UFC, Brasil). ** Pesquisador em Linguística Histórica, Crítica e Edição textuais e Filologia, nas Línguas Espanhola e Portuguesa. ** Membro da Rede Internacional de Investigadores Dámaso Alonso (CSIC, Espanha), do Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos (CIFEFIL), da Sociedad Española de Lingüística (SEL) e da Rede Carolina. ** Integrante destes grupos de pesquisa: Tradições Discursivas do Ceará (TRADICE), Práticas de Edição de Textos do Ceará (PRAETECE) e Grupo de Pesquisas Sociolinguísticas (SOCIOLIN-CE).

Expedito Eloísio Ximenes, Universidade Estadual do Ceará

Possui graduação em Letras pela Universidade Estadual do Ceará (1997), especialização em Filologia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (2009),mestrado em Linguística pela Universidade Federal do Ceará (2004), doutorado em Linguística pela Universidade Federal do Ceará (2009), com três meses de pesquisa em estágio sandwiche na Universidade de Lisboa e Pós-doutorado em Filologia de Língua Portuguesa pela Universidade de São Paulo (2017). É filiado ao GT de Crítica Textual da ANPOLL, tendo coordenado o GT no biênio 2016-2018. Em 2015 foi agraciado com a Medalha Serafim da Silva Neto pelo destaque dos estudos em Filologia no Brasil. Atualmente é professor adjunto nível I da Universidade Estadual do Ceará, atuando no programa de Pós-graduação em Linguística Aplicada-POSLA e no Mestrado Interdisciplinar em História e Letras-MIHL da mesma universidade. Suas áreas de pesquisa e estudos abrangem os seguintes temas: filologia, crítica textual, edição de textos, léxico e sintaxe. Fundou em 2010 e é coordenador até o presente do grupo de pesquisa Práticas de Edição de Textos do Estado do Ceará- PRAETECE, grupo que atua na edição de textos e no estudo da língua e da cultura, concentrando-se principalmente no léxico.

Downloads

Publicado

2020-10-01