O percurso sócio-histórico do gênero resenha acadêmica

Autores

  • Jorge Luis Queiroz Carvalho Universidade Federal do Ceará Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
  • Aurea Zavam Universidade Federal do Ceará

Palavras-chave:

Análise de gêneros, Entorno enunciativo, Resenha acadêmica.

Resumo

Este artigo, recorte de uma pesquisa mais ampla, toma por objetivo descrever o contexto sócio-histórico que engendra a produção e circulação de resenhas, por meio de uma das categorias de análise, neste caso a ambiência, do modelo de análise diacrônica de gêneros discursivos. Para tanto foram selecionadas 45 resenhas publicadas em 04 revistas da área, que circularam entre 1953 a 2015. Os resultados revelam que as características das resenhas vão se ajustando às demandas e às especificidades de cada momento histórico.

Biografia do Autor

Jorge Luis Queiroz Carvalho, Universidade Federal do Ceará Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Mestre e doutorando em Linguística pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Graduado em Letras/Língua Inglesa pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). Professor Universidade do Estado do Rio Grande do Norte.

Aurea Zavam, Universidade Federal do Ceará

Graduada em Letras (Licenciatura Português-Espanhol) pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1979), especialista em Leitura e Escrita (1994), Mestre (1998), Doutora (2009) em Linguística pela Universidade Federal do Ceará (UFC) e Pós-doutora em Estudos Linguísticos (2016) pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Professora da Unidade de Prática de Ensino do Departamento de Letras Vernáculas, do Programa de Pós-graduação em Linguística (PPGL) e do Mestrado Profissional em Letras (ProfLetras) da UFC.

Referências

ADAM, J. M. A linguística textual: uma introdução à análise textual dos discursos. Tradução de Maria das Graças Soares Rodrigues, Luis Passeggi, João Gomes da S. Neto e Eulália Vera Lúcia Fraga Leurquin. Revisão Técnica: João Gomes das S. Neto. São Paulo: Cortes, 2011.

ALTMAN, C. Filologia e Lingüística - outra vez. Filologia e Linguística Portuguesa, São Paulo. n. 6, p. 161-198, 2004.

BORGES NETO, J. A Linguística Construtural: um capítulo da história da Linguística no Brasil. Revista Letras, Curitiba, n. 87, p. 15-38, jan./jun. 2013.

CAMPOS, N. de; Intelectuais, educação e catolicismo na capital do Paraná (1929-1954). Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, Salvador, vol. 20, n. 35, p. 137-150, jan./jun. 2011

CARVALHO, J. L. Q. Tradições discursivas em resenhas acadêmicas: mudanças e permanências entre os séculos XX e XXI. Dissertação (Mestrado em Linguística) - Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2016.

CARVALHO, J. L. Q.; ZAVAM, A. S. Tradições Discursivas: conceitos e métodos para a análise diacrônica de gêneros. LaborHistórico, Rio de Janeiro, v. 4, n. 1, p. 41-54, jan. 2018.

CASTILHO, A. T. de. A reforma nos cursos de Letras. Alfa, Araraquara. v. 3, p. 5-44, 1963.

CLARE, N. A. V. 50 anos de ensino de língua portuguesa (1950-2000). In: VI CONGRESSO NACIONAL DE LINGUÍSTICA E FILOLOGIA, 6. 2002, Rio de Janeiro. Cadernos do CNLF – Série VI: Leitura e ensino de línguas. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2002.

COSERIU, E. Perspectivas gerais: In: NARO, A. Tendências atuais da linguística e da filologia no Brasil. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1976, p. 11-40.

FIORIN, J. L. A criação dos cursos de Letras no Brasil e as primeiras orientações da pesquisa lingüística universitária. Língua & Letras, Cascavel. vol. 7, n. 12, p. 11-25. 2006.

FIORIN, J. L. Internacionalização da produção científica: a publicação de trabalhos de Ciências Humanas e Sociais em periódicos internacionais. Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília, v. 4, n. 8, p. 263-281, dez. 2007.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. São Paulo: Edições Loyola, 1999.

MATTOSO CÂMARA JR. J. Dicionário de Lingüística e gramática: referente à língua portuguesa. 8ª ed. Petrópolis: Vozes, 1978.

MOTTA-ROTH, D. Rhetorical features and disciplinary cultures: a genre-based study of academic book reviews in linguistics, chemistry and economics. 1995. 365f. Tese (Doutorado em Letras-Inglês) – Programa de Pós-Graduação em Letras-Inglês, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1995.

MOTTA-ROTH, D.; HENDGES, G. H. Produção textual na universidade. São Paulo: Parábola, 2010.

NARO, A. Tendências atuais da linguística e da filologia no Brasil. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1976.

RODRIGUES, M. C. S. Multimodalidade e tradição discursiva: um estudo sobre gênero anúncio publicitário. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2011.

RODRIGUES, M. C. S. Tradição discursiva no anúncio publicitário de automóveis: permanências e mudanças do impresso ao digital. Tese (Doutorado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística, Fortaleza, 2016.

RODRIGUES, T. Tradições discursivas em gêneros jurídicos: um estudo sobre o gênero denúncia em processos criminais dos séculos XX e XXI. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística, Fortaleza, 2016.

SANTOS, P. B. Letras e a avaliação nacional da pós-graduação: desafios e perspectivas. Revista da Anpoll, Florianópolis. n. 39, p. 13-24. jul./ago. 2015.

SCHNEIDERS, C. M. Sincronia e diacronia: por uma representação nos estudos sobre a Linguagem no/do Brasil nos anos 50. Raído, Dourados, v. 3, n. 6, p. 61-72, jul. 2009.

SENA, K. G. Anúncios publicitários femininos dos séculos XX e XXI: um olhar à luz do paradigma das tradições discursivas. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2014.

SILVA, L. B. D. da. Carta-crônica: uma tradição discursiva no jornalismo potiguar. Tese (Doutorado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística, Fortaleza, 2012.

VANDRESSEN, P. A Lingüística no Brasil. ComCiência, Campinas, p. 1-5. 2001.

ZAVAM, A. S. Por uma abordagem diacrônica dos gêneros do discurso à luz da concepção de tradição discursiva: um estudo com editoriais de jornais. Tese (Doutorado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2009.

Downloads

Publicado

2020-10-01