Educar pela diversidade: caminhos e desafios para uma educação emancipadora

Autores

Resumo

O presente artigo tem como objetivo pensar uma educação pela diversidade. Ao  problematizar questões como currículo e violências no ambiente escolar experimentadas por identidades LGBTQI+, surgem três personagens que nos ajudam a analisar a estruturação escolar brasileira no que pesa a formação de indivíduos frente uma autonomia institucional pedagógica resguardada pela legislação civil federal. Baseando-se na constituição de currículos para garantir uma racionalidade hegemônica, institui-se uma política de normalização que  busca gerir crises enquanto gera crises no processo subjetivo e identitário do corpo discente (e também docente). O equilibrista, é aquele que busca equalizar o desequilíbrio da construção curricular. O engolidor de espadas é aquele que esconde a violência enquanto a mantém e o contorcionista é aquele que busca construir uma educação emancipatória pela diversidade. 

Biografia do Autor

Mariah Rafaela Cordeiro Gonzaga da Silva, Universidade Federal Fluminense (UFF)/ Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Mariah Rafaela Silva é pesquisadora de doutorado em Comunicação pela Universidade Federal Fluminense (UFF). É formada em História da Arte pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e possui mestrado em Ciências Humanas, ênfase em História, Teoria e Crítica da Cultura pela Universidade Estadual do Amazonas (UEA). É professora substituta da Escola de Belas Artes da UFRJ, no Departamento de História e Teoria da Arte. Foi intercambista na Universidade Nova de Lisboa, em Portugal, onde estudou Ciências Sociais. É colaboradora da ONG Conexão G para a cidadania LGBT nas favelas.

Lorena de Paula Perassoli

Estudante e pesquisadora de Historia da Arte na UFRJ

Emanuel Victor de Almeida

Estudante e pesquisador em história da arte UFRJ

Vinícius Silva

Estudante e pesquisador em história da arte UFRJ

Emily Sales da Cruz

Estudante e pesquisador em história da arte UFRJ

Marcus Vinícius Alves Lemos de Almeida

Estudante e pesquisador em história da arte UFRJ

Débora Linck

Estudante e pesquisador em história da arte UFRJ

Referências

BAPTISTA, L. A. A cidade dos sábios: reflexão sobre a dinâmica social nas grandes cidades. São Paulo: Summus, 1999.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Dispõe sobre a 9.934/1996. Brasília, Ministério da Educação, 2014. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf>. Acesso em: 10 de junho de 2020.

BRASIL. Diretrizes Nacionais da Educação Básica. Brasília: Ministério da Educação do Brasil, 2014. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=15548-d-c-neducacao-basica-nova-pdf&category_slug=abril-2014-pdf&Itemid=30192> Acesso em: 13 de junho de 2020.

BRASIL. Lei no 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 16 jul. 1990. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L8069.htm#art266>. Acesso em: 12 de junho. 2020.

BRASIL. Lei No 9.934, de 20 de dezembro de 1996. Código Civil Brasileiro. Brasília, 1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm>. Acesso em 9 de junho de 2020.

BRASIL. Lei No 10.639, de 9 de Janeiro 2003. Código Civil Brasileiro. Brasilia, 2003. Disponível em: <http://legislacao.planalto.gov.br/legisla/legislacao.nsf/Viw_Identificacao/lei%2010.639- 2003?OpenDocument>. Acesso em: 12 de junho de 2020.

BRASIL. Lei No 11.645, de 10 de Março de 2008. Código Civil Brasileiro. Brasília, 2008 Acesso em: 12 de junho. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11645.htm>. Acesso em: 12 de junho de 2020.

BRASIL. Lei No 12.711, de 29 de agosto de 2012. Código Civil Brasileiro. Brasília, 2012. Acesso em: 12 de junho. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12711.htm:>

CÉSAR, Maria Rita de Assis. Gênero, sexualidade e educação: notas para uma. Educar em Revista, [s.l.], n. 35, p. 37-51, 2009. FapUNIFESP (SciELO). Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/s0104-40602009000300004.> Acesso em: 02 jun. 2020.

DELEUZE E GUATTARI. O Anti-Édipo: Capitalismo e Esquizofrenia. São Paulo: Editora 34, 2011.

EVARISTO, Macaé. A legitimidade das diferenças na escola pública: por um projeto de (re)existência e trajetórias plurais. Revista Periferias. Entrevista concedida a Juliana Barbosa, Rio de Janeiro, novembro, 2018. Disponível em: <http://revistaperiferias.org/materia/macae-evaristo/?pdf=2214> Acesso em: 12 jun. 2020.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão; tradução de Raquel Ramalhete. 42º ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: Saberes necessários à prática educativa. 25. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

______________. Papel da educação na humanização. Faeeba, Rio de Janeiro, v. , n. 7, p. 9-17, 1997. Disponível em: <http://www.acervo.paulofreire.org:8080/jspui/bitstream/7891/1128/1/FPF_OPF_01_0018.pdf>. Acesso em: 01 junho 2020.

LOURO, Guacira Lopes. A construção escolas das diferenças. In: Gênero, Sexualidade e Educação. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 1997. p. 57-87.

______________. O corpo educado: pedagogias da sexualidade. 2º ed. Belo Horizonte, MG: Autêntica, 2018.

______________________Michel Temer menciona história sobre o cartaz: 'não fale em crise, trabalhe'. 1,4’ min. Acesso em: 11 de junho de 2020. Disponível em <http://g1.globo.com/politica/videos/v/michel-temer-menciona-historia-sobre-o-cartaznao-fale-emcrise-trabalhe/5130518/>

MOREIRA, Antônio Flávio Barbosa; CANDAU, Vera Maria. Multiculturalismo: diferenças culturais e práticas pedagógicas. Petrópolis: Vozes, 2008.

OLIVEIRA, Ligia Ziggiotti de; CUNHA, Josafá Moreira da; KIRCHHOFF, Rafael dos Santos (org.). Educação e interseccionalidades. Curitiba: Neab-ufpr, 2018.

PERNAMBUCO, Diário de. Estudante vira alvo de racismo em escola particular do Rio de Janeiro. Diário de Pernambuco, 2020. Disponível em: <https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/brasil/2020/05/estudante-vira-alvo-de-racismo-em-escola-particular-do-rio-de-janeiro.html>. Acesso em: 13 de Junho de 2020.

RIBEIRO, Darcy. O Povo Brasileiro: a formação e o sentido do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1995. p. 24.

_______________ Sobre o óbvio. Rio de Janeiro: Guanabara, 1986.

ROLNIK, Suely. Cartografia sentimental: transformações contemporâneas do desejo. 2 ed. Porto Alegre: Sulina/ Editora da UFRGS, 2016.

SANTOS, Ana Paula. Estudante é vítima de racismo em troca de mensagens de alunos de escola particular da Zona Sul do Rio. Portal G1, 2020. Disponível em: < https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2020/05/20/estudante-e-vitima-de-racismo-em-troca-de-mensagens-de-alunos-de-escola-particular-da-zona-sul-do-rio.ghtml>. Acesso em: 13 de Junho de 2020.

Downloads

Publicado

2021-10-25

Edição

Seção

Dossiê "Interseccionalizando em educação: lutas sociais e direito à diferença"