Narrativas de Infâncias em Desvios: disputas à educação para o pleno desenvolvimento da pessoa

Autores

  • Samilo Takara Professor do Magistério Superior Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR) Departamento de Educação/Campus Rolim de Moura Programa de Pós-Graduação em Educação/Campus José Ribeiro Filho

Resumo

Este texto tem por objetivo problematizar a compreensão das relações entre Educação, Cultura e Sexualidade, tendo por discussão a infância como um período de direito segundo a expressão da legislação como a Constituição de 1988, a Lei nº 8069/90 e a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional n° 9.394/96. Assim, a questão que orienta este estudo é: as relações entre a educação como pleno desenvolvimento da pessoa é possível para infâncias dissidentes do modelo cis-heterossexual que normatiza a dimensão afetiva/sexual por meio da rejeição? Embasado pelas discussões acerca da educação e da sexualidade pelo viés dos Estudos Culturais, este estudo é qualitativo, exploratório e tem por método bibliográfico para problematizar a noção de desenvolvimento pleno da pessoa.

Biografia do Autor

Samilo Takara, Professor do Magistério Superior Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR) Departamento de Educação/Campus Rolim de Moura Programa de Pós-Graduação em Educação/Campus José Ribeiro Filho

Professor da linha de Formação docente do Programa de Pós-Graduação em Educação do Campus José Ribeiro Filho e do Departamento de Educação da Universidade Federal de Rondônia - Campus Rolim de Moura. Pós-Doutor em Comunicação pela Universidade Estadual de Londrina/PR. Doutor e mestre em Educação pela Universidade Estadual de Maringá/PR. Graduado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade Estadual do Centro-Oeste/PR. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Estudos Culturais e Educação Contemporânea (GEPECEC/UNIR).

Referências

BAUER, Martin W., GASKELL, George. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis/RJ: Vozes, 2002.

BICHA-BOMBA. Direção: Renan de Cillo. Produção de Renan de Cillo. Curitiba/PR-Brasil: Disponível no YouTube, 2019. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=-ZRcgkU_Ktk. Acesso: 08 abr. 2020.

BRASIL, Constituição Federativa da República do Brasil. Distrito Federal: Imprensa Nacional, 1988.

BRASIL, Lei 8.069. Estatuto da Criança e do Adolescente. Distrito Federal: Imprensa Nacional, 1990.

BRASIL, Lei 9.394. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Distrito Federal: Imprensa Nacional, 1996.

CORNEJO, Giancarlo. A guerra declarada contra o menino afeminado. In: MISKOLCI, Richard. Teoria queer: um aprendizado pelas diferenças. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora; UFOP – Universidade Federal de Ouro Preto, 2012 (73-82).

HAN, Byung-Chul. No enxame. Perspectivas do digital. Petrópolis/RJ: Vozes, 2018.

HALL, Stuart. Cultura e representação. Trad. Daniel Miranda e William Oliveira. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio: Apicuri, 2016.

JÃO. Monstros. YouTube: Universal, 2018. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=N4geGMbEMbA. Acesso em 27 mar. 2020.

MISKOLCI, Richard. Teoria Queer: um aprendizado pelas diferenças. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora; UFOP – Universidade Federal de Ouro Preto, 2012.

PRECIADO, Paul B. Quem defende a criança queer? Trad. Fernanda Nogueira. 2013.

Disponível em: https://revistageni.org/10/quem-defende-a-crianca-queer/ Acesso em: 06 abr. 2020.

RODRIGUES, Alexsandro; OLIVEIRA, Megg Rayara Gomes de; ROCON, Pablo Cardozo; ROSEIRO, Steferson Zanoni. Precárias experiências em dissidências: crianças que não cabem em si. Pro-posições. v. 30. Campinas/SP, 2019. (1-21).

TAKARA, Samilo. Histórias de meninos afeminados: resistência e política nas leituras de artefatos culturais. Entrelaces. v. 2, n. 9. UFC, 2017.

VIDARTE, Paco. Ética bixa: proclamações libertárias para uma militância LGBTQ. Trad. Maria Selenir Nunes dos Santos. São Paulo: n-1 edições, 2019.

Downloads

Publicado

2020-08-31

Edição

Seção

Dossiê Temático: Tornar-nos Criança: Auto-Etnografias, Cuidados e Reparações