Edições anteriores

  • Estudos Literários
    v. 28 n. 50 (2021)

    Polifonia Vol. 28, n. 50 (2021)

    Dossiê “Jornada virtual internacional 30 anos sem Manuel Puig / 30 años sin Manuel Puig”

    Organização:

    Profa. Dra. Júlia Romero (Universidad Nacional de La Plata-Argentina)

    Prof. Msc. Juan Ferreira Fiorini (UFMT – doutorando – PPGEL)

    A Jornada virtual internacional 30 anos sem Manuel Puig / 30 años sin Manuel Puig é um evento virtual, com transmissão e realização em tempo real, que será realizado no dia 22 de julho de 2020. A proposta da jornada é estabelecer um espaço para reflexão e debate acerca da literatura do escritor argentino Manuel Puig (1932-1990), fomentando um diálogo amplo e inédito entre vários pesquisadores, brasileiros e estrangeiros, que atuam em diversas instituições acadêmico-científicas do Brasil, da Argentina, da Colômbia, da França e dos Estados Unidos.

    Além da reunião dos pesquisadores, a jornada busca, ainda, o desenvolvimento de discussões sobre a literatura de Manuel Puig a partir de uma série de temas que permeiam a fortuna crítica produzida e publicada em diversos periódicos e livros ao longo dos últimos 50 anos. Nessa perspectiva, o temas atuam como tópicos que estabelecem a criação das mesas redondas que formam a jornada: Manuel Puig – estéticas e políticas, nas quais sistemas estéticos de comunicação de massa, como o kitsch, o camp, a pop art e o melodrama extrapolam, na literatura puiguiana, a condição de produtos descartáveis ou dispensáveis e adquirem consistência e valor, seja na representação dos personagens, seja na conformação de uma estrutura sobre a qual repousam seus textos; Manuel Puig – identidades e subjetividades, temática que abrange discussões a respeito das condições psicológicas, psicanalíticas, identitárias e conformadoras das vozes de seus personagens, que suplantam – mediante as estratégias narrativas de Puig – a presença de narradores, conformando mais uma estratégia cara à literatura puiguiana; e Manuel Puig – as palavras e as imagens, na qual pesquisadores apresentarão trabalhos que explicitam o amplo diálogo intersemiótico que o escritor argentino instaurava entre o literário e outros sistemas de significação, como canções, teatro, fotonovelas e o cinema, o referencial midiático mais presente, tanto em sua literatura quanto mesmo em suas declarações pessoais, que constituem uma memória do cinema.

  • Estudos Linguísticos
    v. 27 n. 49 (2020)

    Polifonia Vol. 27, No. 49 (2020)

    Dossiê Temático: Corpos em embates (re)existentes

    O Dossiê Corpos em embates (re)existentes visa divulgar pesquisas que tenham como foco contribuições advindas das várias correntes discursivas, focadas em objetos voltados à temática do V SIED – Simpósio Internacional de Estudos Discursivos. Podem submeter artigos, pesquisadores e professores doutores, pós-graduandos e graduandos em coautoria com doutores, com seus trabalhos aceitos e apresentados no V SIED.

  • Design SECOMM

    Estudos Linguísticos
    v. 27 n. 48 (2020)

    Polifonia v.27, n.48 - Número Especial (2020)

    Dossiê: Estudos Linguísticos

    “Línguas e culturas macro-jê: novos horizontes de pesquisas e análises”

    Organização:

    Prof. Dr. Maxwell Miranda (UFMT)

    Prof. Dr.ª Águeda Aparecida da Cruz Borges (UFMT)

    Prof. Dr.ª Áurea Cavalcante Santana (UFMT)

    O tronco ‘macro-jê’ compreende um dos maiores agrupamentos linguístico-culturais das terras baixas sul-americanas, em que seus membros estão distribuídos em diversas regiões do território brasileiro. Embora os estudos relativos às línguas e culturas macro-jê tenham crescido nas últimas duas décadas, os resultados ainda são inconclusivos em termos de suas relações internas e propriedades gramaticais comuns compartilhadas. Este dossiê reúne versões ampliadas e revisadas de trabalhos apresentados na ocasião do IX Encontro Macro-Jê realizado na Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Universitário do Araguaia, em Barra do Garças, de 18 a 21 de junho de 2018. Os artigos abordam, de modo geral, temas fundamentais para a compreensão de aspectos internos e externos referentes a línguas macro-jê, para as quais as informações disponíveis são fragmentadas, e o estado de manutenção e vitalização delas variam consideravelmente em decorrência de fatores socio-históricos e sociolinguísticos de contatos e relações com o português ou outras línguas indígenas. Assim, o presente dossiê é uma contribuição à promoção e divulgação do conhecimento científico sobre as línguas macro-jê produzido nas Universidades como parte do empreendimento daqueles que se identificam com a causa indígena e reconhecem na diversidade linguística e cultural um dos maiores patrimônios a serem mantidos e conservados diante dos constantes ataques de quem, por direito e obrigação, deveriam protegê-los.

  • Design SECOMM

    Estudos Literários
    v. 27 n. 47 (2020)

    O deslocamento configura um fenômeno intrínseco à história da humanidade. Entretanto, a mobilidade dos povos parece ter se intensificado, sobretudo,
     ao longo do século XX, quando, adquirindo múltiplos matizes, o fluxo migratório institui-se como marco histórico erigido em consequência de uma série de fatores derivados do avanço da globalização e da consolidação da economia de mercado. Seja em razão das catástrofes naturais, seja em virtude dos conflitos bélicos, perseguições políticas, crise econômica ou, ainda, por motivações pessoais, não apenas escritores e intelectuais, mas também trabalhadores dos mais diversos setores de prestação de serviços, viram-se obrigados ou sentiram-se impelidos a deixar seus países de origem para partirem rumo a novos horizontes com a finalidade de reconstruírem suas vidas ou alcançarem o almejado reconhecimento profissional.

  • Design SECOMM-UFMT

    Estudos Linguísticos
    v. 27 n. 46 (2020)

     

    LINGUAGEM, RAÇA, GÊNERO E CLASSE SOCIAL: EPISTEMES DE RESISTÊNCIA

    Organizadores: Cláudia Maria Ceneviva Nigro (UNESP) e Dánie Marcelo de Jesus (UFMT)

    Um dos desafios contemporâneos, desde o final do século passado, vem sendo a questão racial de gênero e classe social nos estudos de linguagem. As primeiras pesquisas, na área de Literatura e em Linguística, priorizavam apenas um segmento identitário ignorando suas intercessões e sua complexidade. Raça, gênero e classe social são temas que sobressaem se levarmos em conta processos de opressão social vivenciados há séculos, em nosso país. Trabalhos que focalizem a intersecção raça, gênero e classe social nos permitem ampliar a natureza do campo da linguagem e entender os efeitos sociais, culturais e históricos desses marcadores. Neste dossiê, acolhemos pesquisas que procuram dialogar com diferentes processos intersecionais que buscando levar em consideração as relações de gênero, negritude, branquitude, sexualidade, educação e sociedade para problematizar os sentidos discriminatórios ainda persistentes no Brasil contemporâneo. Sendo assim, nosso objetivo é ampliar a discussão na área de Linguagem, fomentando discussões que possam alargar nossa compreensão sobre gênero, raça e classe social e seus efeitos discursivos.

  • Design SECOMM-UFMT

    Estudos Literários
    v. 27 n. 45 (2020)

    A partir do final dos anos 1970, com os desdobramentos da “Virada Linguística” e do “Retorno da Narrativa”, na seara dos historiadores e críticos literários, enfrentamentos, negociações e intercâmbios desestruturam a aparente rigidez epistêmica, metodológica e teórica entre os campos das disciplinas da História e Literatura. O debate entre campos na cidade letrada contemporânea, transfigura nas universidades, ganharam novos impulsos também a partir dos dilemas identitários dos movimentos das mulheres, negros, indígenas, LGBTs questionando as meta-narrativas e conceitos fechados como cultura, classe, raça e gênero. As fronteiras “móveis” entre a História e a Literatura na abordagem de termos explosivos como verdade, fábula, fato, ficção, narrativa autorizaram uma vasta gama de estudos, discussões e proposições intempestivas sobre o ato de escrever, de fazer ciência.

    Diante desse cenário, convidamos pesquisadores das diferentes áreas do saber envolvidos com essas temáticas a apresentarem estudos originais – em formato de artigo/ensaios – para o presente dossiê intitulado “Duelos na cidade letrada: História e Literatura em tempos de crise”.

  • Estudos Linguísticos
    v. 26 n. 44 (2019)

    Desde que o fazer do linguista aplicado passou a ser compreendido como não aplicação de linguística, as discussões que permeiam sua práxis têm sido pautadas na direção de um arcabouço teórico transdisciplinar (SIGNORINI; CAVALCANTI, 1998), o que tem conduzido à compreensão da linguística aplicada como conhecimento não disciplinar ou INdisciplinar (MOITA LOPES, 2006). Essa perspectiva aponta para a necessidade de “misturar-se”, “melecar-se” (ROJO, 2013, p. 65) com teorias que atravessam o campo das ciências sociais e das humanidades, uma vez que, por esse viés, os sentidos não estão dados previamente nem permanecem como universais, o que traça a metáfora de um caleidoscópio (ARAUJO, 2003), por meio do qual se pode ver/analisar um objeto por infinitos prismas, infinitas combinações. Desse modo, na tentativa de buscar compreender questões práticas entendidas como problemas sociais, muitos linguistas aplicados passaram a operar com uma visão de linguística aplicada que tenta “criar inteligibilidade sobre problemas sociais em que a linguagem tem papel central” (MOITA LOPES, 2006, p. 14). Este dossiê acolherá artigos resultantes de pesquisas em linguística aplicada que, em alguma medida, são desenvolvidas pelo ângulo da INdisciplina, conforme descrito acima.

  • Estudos Linguísticos
    v. 26 n. 43 (2019)

     

    A Análise do Discurso (AD) constitui-se como disciplina a partir da visada da ruptura, como apontou Possenti em Teoria do discurso: um caso de múltiplas rupturas (2004). Desde o seu surgimento, no final da década de 1960, até os dias de hoje, vários foram os deslocamentos realizados pelos pesquisadores que se inscrevem neste campo. O presente número da Polifonia acolhe artigos que discutam, em alguma medida, os rumos e encaminhamentos da disciplina a partir de reflexões em torno de seus conceitos-chave, tais como (mas não exclusivamente): discurso, interdiscurso, memória, sujeito, acontecimento etc. Encorajam-se também discussões que problematizem questões de natureza mais epistemológica que têm sido apontadas contemporaneamente (Paveau, Krieg-Planque, por exemplo). Além disso, há diferenças entre uma AD produzida na França e aquela que se desenvolve no Brasil, fato que este número não pretende apagar.

  • Estudos Literários
    v. 26 n. 42 (2019)

    É com grande prazer que apresentamos o volume 26, número 42, do Periódico Científico Polifonia, que inaugura suas publicações voltadas ao campo dos Estudos Literários, no ano de 2019, com o Dossiê “Poéticas da Proximidade: Literatura, Arte, Política”, com a proposta de refletir sobre uma característica que a cada dia se torna mais importante para as produções literárias e artísticas contemporâneas: a ideia do encontro. Abordada em chave ampliada, a ideia de encontro remete a um movimento de junção, de aproximação, de relação entre pessoas e/ou objetos, e marca uma série de produções culturais de fins do século XX e início do XXI que apostam na transdisciplinaridade e na transmidialidade, ou seja, projetos que se constituem com forte caráter social e relacional, tendo muitas vezes no cotidiano seu espaço-chave.

  • Estudos Linguísticos
    v. 26 n. 41 (2019)

  • Estudos Literários
    v. 25 n. 40.2 (2018)

  • Estudos Literários
    v. 25 n. 40.1 (2018)

  • GELCO - ARAGUAIA/2017
    v. 25 n. 38.2 (2018)

  • GELCO - ARAGUAIA/2017
    v. 25 n. 38.1 (2018)

  • Diversidades em Linguística
    v. 25 n. 37.2 (2018)

    Edição comemorativa dos 25 anos da Polifonia.

    Artigos na área de Linguística, sem delimitação teórica ou área dentro deste
    campo de estudos. A proposta foi contemplar diversas publicações que abordaram o objeto da
    Linguística, ou seja, as línguas/linguagem, em suas multifacetadas características.
  • Diversidades em Linguística
    v. 25 n. 37.1 (2018)

    Edição comemorativa dos 25 anos da Polifonia.

    Artigos na área de Linguística, sem delimitação teórica ou área dentro deste
    campo de estudos. A proposta foi contemplar diversas publicações que abordaram o objeto da
    Linguística, ou seja, as línguas/linguagem, em suas multifacetadas características.

  • Estudos Literários
    v. 24 n. 36 (2017)

    ISSN 22376844

    Dossiê:
    Estágios Supervisionados em Literatura / Literatura nos Estágios Supervisionados

     

  • Polifonia - Estudos Literários
    v. 23 n. 34 (2016)

    ISSN 22376844

     

1-25 de 57