MELHORAMENTO GENÉTICO DO FEIJOEIRO, AVANÇOS, PERSPECTIVAS E NOVOS ESTUDOS

Autores

  • Claudio Yuji Tsutsumi Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Lucas Guilherme Bulegon Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Jeferson Tiago Piano Universidade Estadual do Oeste do Paraná

DOI:

10.31413/nativa.v3i3.2208

Resumo

O feijão é um dos mais importantes grãos para a alimentação humana, sendo o melhoramento genético de extrema importância nesse contexto, principalmente no Brasil onde é praticado apenas em estatais e universidades. Neste contexto, esta revisão tem por objetivo abranger os principais métodos utilizados no melhoramento do feijoeiro, bem como os principais alvos dos programas. A diversidade genética da cultura é possibilitada pelo melhoramento arte, praticado por agricultores para a propagação das espécies, mas esse é lento e apresenta pouco ganho genético. Sendo necessário o emprego de métodos mais eficientes como o massal, o método genealógico, o SSD (descendente de uma única semente) e seleção recorrente, e para alguns objetivos específicos se empregam métodos mais eficientes como no caso da seleção para fixação biológica de nitrogênio onde emprega-se o LDF (linhas derivadas). Os esforços do melhoramento no país estão ligados com os avanços tecnológicos no campo, a agricultura sustentável e alimentos de elevado valor nutricional. Desta forma, trabalha-se para a colheita mecanizada, resistência a pragas, doenças e a tolerância a seca, bem como no aumento da produtividade e da qualidade nutricional dos grãos e melhoria no cozimento, ressaltando também o uso da biotecnologia. Desta forma, são alcançados resultados satisfatórios para todas as características melhoradas.

Palavras-chave: Phaseolus vulgaris, seleção de plantas, cruzamentos.

 

COMMON BEAN BREEDING: ADVANCES, PROSPECTS AND NEW STUDIES, IN NATIONAL SCOPE

ABSTRACT

Beans are one of the most important grains for human consumption, and the genetic improvement of great importance in this context, especially in Brazil where it’s practiced only by government and universities. This review is to cover the main methods used in common bean breeding, as well as the main targets of the programs. The genetic diversity of this culture is made possible by improving art, practiced by farmers for propagation of the species. But this is slow and has little genetic gain requiring the use of more efficient methods such as massal, the genealogical method, SSD (single seed descent ) and the recurrent selection, and for some specific objectives to employ more efficient methods such as in the case of selection for biological nitrogen fixation is employed where the LDF (derived lines). The improvement efforts in the country are connected with technological advances in the field, sustainable agriculture and high nutritional value. In this way works to mechanized harvesting, pest resistance, disease and drought tolerance as well as increased productivity and nutritional quality of grain and improved cooking, also noting the use of biotechnology. Thus, satisfactory results are achieved for all improved features.

Keywords: Phaseolus vulgaris; plant selection, crossing.

 

DOI: http://dx.doi.org/10.14583/2318-7670.v03n03a12

Referências

ABREU, A. F. B. et al. Utilização da produtividade de grãos na seleção para resistência ao Colletotrichum lindemuthianum no feijoeiro. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v.27, n.2, p.363-369, mar./abr. 2003.

ABREU, Â. F. B. et al. Progresso do melhoramento genético do feijoeiro nas décadas de setenta e oitenta nas regiões sul e alto Paranaíba em Minas Gerais. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.29, n.1, p.105-112, jan. 1994.

AIDAR, H., E. T. et al. Desenvolvimento de tecnologias para a colheita mecanizada do feijão (Phaseolus vulgaris L.). Goiânia: CNPAF-Embrapa, 1990, 5p.

ARAGÃO, F. J. L.; FARIA, J. C. Proposta de Liberação Comercial de Feijoeiro Geneticamente Modificado Resistente ao Mosaico. Brasília: Embrapa, 2010. 490p.

BALDIN, E. L. L.; PEREIRA, J. M. Resistência de genótipos de feijoeiro a Zabrotes subfasciatus (Bohemann, 1833) (Coleoptera: Bruchidae). Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v.34, n.6, p.1507-1513, nov./dez. 2010.

BESPALHOK, J. C. et al. Introdução de plantas. Curitiba: UFPR, 2013. 25p.

BIANCHINI, A. et al. Manual de fitopatologia: doenças das plantas cultivadas. v.2. São Paulo: Agronômica Ceres, 2005. p.333 349.

BITOCCHI, E. et al. Mesoamerican origin of the common bean (Phaseolus vulgaris L.) is revealed by sequence data. PNAS, Washington, v.109, n.14, p.788-796, jul. 2012.

BITOCCHI, E. et al. Molecular analysis of the parallel domestication of the common bean (Phaseolus vulgaris) in Mesoamerica and the Andes. New Phytologist, Cambridge, v.197, n.1, p.300-313, jan. 2013.

BULISANI, E. A. Feijão carioca - uma história de sucesso. 1.ed. São Paulo: InfoBibos, 2008. 7p.

CANDIDA, D. V. et al. Controle genético da murcha do fusário (Fusarium oxysporum) em feijoeiro comum. Tropical Plant Pathology, Brasília, v.34, n.6, p.379-384, nov./dez. 2009.

CARBONELL, S. A. M. et al. Qualidade tecnológica de grãos de genótipos de feijoeiro cultivados em diferentes ambientes. Bragantia, Campinas, v.62, n.3, p.369-379, mai./jun. 2003.

CARMO, S. L. M. et al. Avaliação do 'stay green' em famílias segregantes de feijão (Phaseolus vulgaris L.). Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v.31, n.4, p.953-957, jul./ago. 2007.

CARNEIRO, C. D.; CRUZ, P. C. S. Modelos biómetricos aplicados ao melhoramento genético. 2.ed. Viçosa: Universidade Federal de Viçosa, 2003. 668p.

CASTRO, R. C.; KLUGE, R. A. Ecofisiologia de Cultivos Anuais: trigo, milho, soja, arroz e mandioca. 2.ed. São Paulo: Nobel, 1999. 129p.

COIMBRA, J. L. M. et al. Parâmetros genéticos do rendimento de grãos e seus componentes com implicações na seleção indireta em genótipos de feijão preto. Ciência Rural, Santa Maria, v.29, n.1, p.1-6, jan. 1999.

COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO. Acompanhamento da safra brasileira de grãos. 1.ed. Brasília, 2014. 95p.

CORREA, A. M.; GONÇALVES, M. C. Divergência genética em genótipos de feijão comum cultivados em Mato Grosso do Sul. Revista Ceres, Viçosa, v.59, n.2, p.206-212, mar./abr. 2012.

COSTA, J. G. C. et al. Comparação da eficiência de métodos de seleção em gerações segregantes de feijoeiro-comum considerando a resistência à antracnose e o rendimento. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v.26, n.2, p.244-251, jan./jun. 2002.

COSTA, L. R. M.; PASQUALETTO, A. Comparação de sistemas de colheita mecanizada e semimecanizada na perda, dano mecânico e impureza de grãos na cultura do feijoeiro (Phaseolus vulgaris L.). Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiania, v.29, n.1, p.35-38, jan./jun. 1999.

DEBOUCK, D. G. Primary diversification of Phaseolus in the Americas: three centers? Plant Genetic Resources Newsletter, Roma, v. 67, p.2-8, 1986.

DI PIERO, R. M.; GARDA, M. V. Quitosana reduz a severidade da antracnose e aumenta a atividade de glucanase em feijoeiro-comum. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.43, n.9, p.1121-1128, set. 2008.

ELIAS, H. T. et al. Variabilidade genética em germoplasma tradicional de feijão-preto em Santa Catarina. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.42, n.10, p.1443-1449, out. 2007.

FREITAS, F. D. O. Evidências genético-arqueológicas sobre a origem do feijão comum no Brasil. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.41, n.7, p.1199-1203, jul. 2006.

GONÇALVES, J. G. R. Identificação de linhagens de feijoeiro (Phaseolus vulgaris L.) tolerantes à seca. 2013. 82f. Tese (Doutorado em Agricultura Tropical e Subtropical) – Instituto Agronômico de Campinas, Campinas, 2013.

JADOSKI, C. J. Efeitos fisiológicos da piraclostrobina em plantas de feijão (Phaseolus vulgaris L.) condicionado sob diferentes tensões de água no solo. 2012. 80f. Dissertação (Mestrado em Agronomia) –Universidade Estadual Paulista, Botucatu, 2012.

JOST, E. et al. Potencial de aumento do teor de ferro em grãos de feijão por melhoramento genético. Bragantia, Campinas, v.68, n.1, p.35-42, jan./fev. 2009.

JÚNIOR, L. H. et al. Resposta de cultivares de feijão à alta temperatura do ar no período reprodutivo. Ciência Rural, Santa Maria, v.37, n.6, p.1548-1548, nov./dez. 2007.

KRAUSE, W. et al. Capacidade combinatória para características agronômicas em feijão- de-vagem. Revista Ciência Agronômica, Fortaleza, v.43, n.3, p.522-531, jul./set. 2012.

LONDERO, P. M. G. et al. Teores de fibra e rendimento de grãos em populações de feijão. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v.32, n.1, p.167-173, jan./fev. 2008.

MESQUITA, F. R. et al. Linhagens de feijão (Phaseolus vulgaris L.): Composição química e digestibilidade protéica. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v.31, n.4, p.1114-1121, jul./ago. 2007.

MORAIS, P. P. P. et al. Seleção precoce em plantas segregantes de feijoeiro para resistência à murcha de Curtobacterium. Revista Ceres, Viçosa, v.59, n.6, p.803-808, nov./dez. 2012.

PESSOA, E. F. Avaliação da resistência genética de feijão-fava a Zobrotes subfasciatus (Boheman, 1833) (Coleóptera: chysomelidade: bruchinae). 2013. 55f. Dissertação (Mestrado em Agronomia) –Universidade Federal do Piauí, Teresina, 2013.

PIRES, C. V. et al. Qualidade nutricional e escore químico de aminoácidos de diferentes fontes protéicas. Ciência e Tecnologia dos Alimentos, Campinas, v.26, n.1, p.179-187, jan./mar. 2006.

PIRES, L. P. M. Seleção recorrente massal para porte ereto em feijão do tipo carioca. 2013. 81f. Dissertação (Mestrado em Agronomia) – Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2013.

PEREIRA, P. A. A.; BRAIDOTTI, W. Comparação de métodos de melhoramento de feijão (Phaseolus vulgaris L.) Para o incremento da fixação simbiótica de nitrogênio. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v.31, n.1, p.15-21, jan./jun. 2001.

RAMALHO, M. A. P.; SANTOS, J. B. Melhoramento do feijão. Informativo Agropecuário, Belo Horizonte, v.8, n.90, p.16-19, jun. 1982.

RAPOSO, F. V. et al. Comparação de métodos de condução de populações segregantes do feijoeiro. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.35, n.10, p.1991-1997, 1991.

RIBEIRO, N. D. et al. Variabilidade genética para absorção de água em grãos de feijão. Pesquisa Agropecuária Gaúcha, Porto Alegre, v.9, n.1, p.77-83, jan./mar. 2003.

RIBEIRO, N. D. Potencial de aumento da qualidade nutricional do feijão por melhoramento genético. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v.31, n.Supl.1, p.1367-1376, 2010.

RIBEIRO, N. D. et al. Variabilidade genética para absorção de água em grãos de feijão. Pesquisa Agropecuária Gaúcha, Porto Alegre, v.9, n.1, p.77-83, jan./mar. 2003.

ROCHA, V. P. C. et al. Adaptabilidade e estabilidade da característica produtividade de grãos dos grupos comerciais carioca e preto de feijão. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v.31, n.1, p.39-54, jan./mar. 2010.

RODRIGUES, L. S. et al. Divergência genética entre cultivares locais e cultivares melhoradas de feijão. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.37, n.9, p.1275-1284, set. 2002.

SANTOS, J. B.; GAVILANES, M. L. Botânica. In: VIEIRA, C. et al. (Eds.). Feijão. Viçosa: UFV, 2006, 600p.

SILVA, F. B. et al. Seleção recorrente fenotípica para florescimento precoce de feijoeiro ‘Carioca'. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.42, n.10, p.1437-1442, out. 2007.

TRINDADE, R. S. Melhoramento para resistência genética ao crestamento bacteriano comum em feijão comum e feijão-de-vagem: aspectos gerais, avanços, desafios e perspectivas. Enciclopédia Biosfera, Goiania, v.8, n.15, p.1204-1231, nov. 2012.

VIEIRA, R. F. Root traits of common bean genotypes used in breeding programs for disease resistance. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.43, n.6, p.707-712, jun. 2008.

VIEIRA, C. Melhoramento do feijão. In: BORÉM, A. (Ed.). Melhoramento de espécies cultivadas. Viçosa: UFV, 2005, p.301-392.

WANDER, A. E. Produção e consumo de feijão no Brasil, 1975-2005. Informações Econômicas, São Paulo, v.37, n.2, p.7-21, fev. 2007.

Downloads

Publicado

2015-09-30

Como Citar

Tsutsumi, C. Y., Bulegon, L. G., & Piano, J. T. (2015). MELHORAMENTO GENÉTICO DO FEIJOEIRO, AVANÇOS, PERSPECTIVAS E NOVOS ESTUDOS. Nativa, 3(3), 217-223. https://doi.org/10.31413/nativa.v3i3.2208

Edição

Seção

Artigos de Revisão / Review Articles