Efeitos da carbonatação acelerada em compósitos do tipo Engineered Cementitious Composites

Autores

  • Sabrine Eduarda Tonioli Universidade Federal de Mato Grosso

DOI:

10.18607/ES201989049

Palavras-chave:

Compósito Cimentício. Captura de CO2. Análise Térmica.

Resumo

O setor da construção civil é considerado um dos maiores emissores de CO2 (dióxido de carbono) na atmosfera, tornando-se um setor estratégico na busca pela sustentabilidade. A literatura indica que materiais à base de cimento Portland podem capturar CO2 da atmosfera, em poucas idades, através da carbonatação acelerada. Este trabalho objetiva estudar a influência da carbonatação acelerada nas propriedades mecânicas de um compósito cimentício à base de cimento Portland (ECC – Enginereed Cementitious Composites), reforçado com fibras de PVA (Acetato de Polivinila). O compósito foi hidratado sob duas condições: baixa e alta umidade relativa. Foram realizados ensaios mecânicos, de termogravimetria e de termogravimetria derivativa. Os resultados apontam que a cura úmida beneficia as propriedades mecânicas da matriz, uma vez que favorece as reações de hidratação do cimento, e que a carbonatação acelerada, contribui para o aumento de tensão de primeira fissura. Percebeu-se também que o modo de cura preliminar do compósito influenciou na formação dos produtos hidratados. Identificou-se ainda que a carbonatação não inibe as características de strain hardening do compósito cimentício, tornando possível a sua utilização sob efeito da carbonatação acelerada.

Biografia do Autor

Sabrine Eduarda Tonioli, Universidade Federal de Mato Grosso

Mestre em Engenharia de Edificações e Ambiental pela Universidade Federal de Mato Grosso

Referências

ASSIS, P. Materiais do Futuro: tendência para materiais ecologicamente

corretos. 07 de Out de 2009. Disponível em: <https://www.tecmundo.com.br/2863-materiaisdofuturo-tendencias-para-materiais-ecologicamente-corretos-em-aparelhos-eletronicos.htm>

Acesso em: 07 de Mar de 2017.

BARROS, Cristiane Oliveira. Discursos escolares sobre o ciclo do carbono. 2011.

Dissertação (Mestrado). 207f. Programa de Pós-Graduação em Geociências, Universidade

Estadual de Campinas, 2011.

BENTUR, A.; MINDESS, S. Fibre reinforced cementitious composites. Mechanics of fibre

reinforced cementitious composites. London and New York: Taylor & Francis Group, 1990.

P. 105-172.

CHAVES, V.; ALBUQUERQUE, E. Desconexão no sistema de inovação do setor de saúde:

uma avaliação preliminar do caso brasileiro a partir de estatísticas de patentes e artigos.

Scielo. V. 10, n. 4, p.523-539, 2009. https://doi.org/10.1590/S1413-80502006000400003

HELENE, Paulo Roberto do Lago. Contribuição ao estudo da corrosão em armaduras de

concreto armado. 1993. Tese (Livre Docência). 248f. Escola Politécnica da Universidade de

São Paulo, 1993.

LEPECH, M. This Concrete Think’s Metal. Daily Journal Of Commerce. Building White

Concrete, 2009. Disponível em: <https://www.djc.com/news/co/12005498.html> Acesso em:

out. 2019.

LI, V; SAHMARAN, M. Transportation Research Record: Journal of the Transportation

Research Board. Engineered Cementitious Composites: Can composites be accepted as crackfree concrete? SAGE Journals. v. 2164, p. 01-08, 2010. https://doi.org/10.3141/2164-01

LOPES, Taís Biazão. Comparação da microestrutura do concreto auto adensável com o

concreto convencional. 2016. Dissertação (Mestrado). 91f. Programa de Pós-Graduação em

Tecnologia de Materiais, Universidade Estadual de Campinas, 2016.

MACIOSKI, Gustavo. Estudo da álcali-ativação de pó de blocos cerâmicos com cal

hidratada. 2017. Dissertação (Mestrado) 173f. Programa de Pós-Graduação em Engenharia

Civil, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, 2017.

MAGALHÃES, Margareth. Caracterização experimental de compósitos cimentícios

reforçados com fibras de PVA: processo de fratura, propriedades térmicas, deformações

diferenciais e estabilidade térmica. Tese (Doutorado). 245f. Programa de Pós-Graduação

em Engenharia Civil, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2010.

MENDONÇA, Yasmim Gabriela. Dosagem micromecânica de compósitos reforçados com

fibra de juta. Dissertação (Mestrado). 120f. Programa de Pós-Graduação em Engenharia

Civil, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2018.

NEVES JUNIOR, Alex; Captura de CO2 em materiais cimentícios através de

carbonatação acelerada. Tese (Doutorado). 190f. Programa de Pós-Graduação em

Engenharia Civil, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2014.

OLIVEIRA, Andrieli. Fluência à altas temperaturas, aderência fibra-matriz e

comportamento mecânico sob ações hidrotérmicas de compósitos cimentícios reforçados

com fibras de PVA. Tese (Doutorado). 263f. Programa de Pós-Graduação em Engenharia

Civil, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2015.

PIZZOL, Vinicius Dordenoni. Carbonatação Acelerada: nova tecnologia de cura para

fibrocimento sem amianto. Dissertação (Mestrado). 61f. Programa de Pós-Graduação em

Ciência e Tecnologia da Madeira, Universidade Federal de Lavras, 2013.

TONON, R. O que é sequestro de carbono? 14 de dez de 2017. Disponível em:

<https://super.abril.com.br/ideias/o-que-e-sequestro-de-carbono/> Acesso em: 14 de abr. de

TONOLI, G.; SANTOS, S.; JOAQUIM, A.; SAVASTANO JR., H. Science Direct: Elsevier.

Construction and Building Materials. Effect of accelerated carbonation on cementitious

roofing tiles reinforced with lignocellulosic fibre. v. 24, p. 193-201, 2010.

doi:10.1016/j.conbuildmat.2007.11.018

Downloads

Publicado

2019-11-29

Edição

Seção

Engenharia