Contribuições da atividade física no tratamento de idosos com transtorno depressivo: uma breve revisão

Autores

  • Luis Felipe Tubagi Polito FEFISA

Palavras-chave:

Atividade física, Transtorno Depressivo, Transtorno Depressivo Maior, Idoso, Psicofisiologia, Terapias mente-corpo

Resumo

O envelhecimento é um processo contínuo de alterações fisiológicas progressivas de todos os processos fisiológicos. Dentre os diversos transtornos que podem afetar os idosos, a saúde mental merece atenção especial. Este estudo teve por objetivo revisar na literatura publicações que contenham informações sobre os efeitos da atividade física para os idosos portadores de transtornos depressivos. O interesse pelo tema depressão em idosos tem crescido bastante, devido ao aumento de pessoas nesta faixa etária na população. Estes pacientes têm diminuição da qualidade de vida semelhante à pacientes com doenças físicas crônicas e, se não tratados, apresentam dificuldades psicossociais persistentes. A atividade física colabora para socialização, oferece benefícios corporais e fisiológicos, e tendem a ter uma redução significativa nos níveis de depressão. A prática de atividades físicas por idosos com depressão é capaz de promover a prevenção e a redução significativa dos sintomas gerados pelo transtorno.

Downloads

Publicado

2015-12-11

Como Citar

Polito, L. F. T. (2015). Contribuições da atividade física no tratamento de idosos com transtorno depressivo: uma breve revisão. Corpoconsciência, 18(2), 21-33. Recuperado de https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/article/view/3573

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)