PARTICIPAÇÃO DE JOVENS TENISTAS EM COMPETIÇÕES DE 12 A 16 ANOS

A PERCEPÇÃO DE UM GRUPO DE TREINADORES

Autores

  • Rodrigo Silveira Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil
  • Rodrigo Vieira Bulso Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil
  • Carlos Adelar Abaide Balbinotti Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil

Palavras-chave:

Tênis. Competição infantojuvenil. Esporte. Pesquisa Qualitativa

Resumo

O objetivo do estudo foi descrever como transcorre a participação de tenistas dos 12 aos 16 anos nas competições infantojuvenis, segundo a percepção de um grupo de treinadores. O estudo foi do tipo descritivo-exploratório, de cunho qualitativo. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com 11 treinadores de tênis de quatro estados brasileiros. Os resultados permitiram considerar que existe a necessidade de se propor e implementar modelos de competições de tênis mais adequados aos jovens. Concluiu-se, conforme a visão dos entrevistados, que muitos atletas acabam competindo sem motivação, ocasionando muitas desistências, decorrentes de uma má transição dos estágios do Tennis 10’s para o modelo tradicional. Por outro lado, percebeu-se o surgimento de ideias advindas da diversificação de competições adequadas e atrativas para diversos grupos de tenistas nessa faixa etária.

Referências

ALVARIÑO, Pancho; ALTUR, José F.; CRESPO, Miguel. Tennis player development: from junior to professional transition stage. ITF coaching and sport science review, n. 68, p. 24-26, 2016.

BALBINOTTI, Marcos Alecar Abaide e colaboradores. Estudo descritivo do inventário do treino técnico desportivo do tenista: resultados parciais segundo o ranking. Revista portuguesa de ciências do desporto, v. 5, p. 49-58, 2005.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. 6. ed. Lisboa, Portugal: Edições 70, 2011.

BERGERON, Michael F. e colaboradores. International Olympic Comitês consensus statement on youth athletic development. British journal of sports medicine, v. 49, n. 13, p.843- 851, 17 jun. 2015.

BURTON, Damon; GILLHAM, Andrew D.; HAMMERMEISTER, Jon. Competitive engineering: structural climate modifications to enhance youth athletes' competitive experience. International journal of sports science & coaching, v. 6, n. 2, p. 201-217, 2011.

BUSZARD, Tim e colaboradores. Implementation of a modified sport programme to increase participation: key stakeholder perspectives. Journal of sports sciences, v. 38, n. 8, p. 945-952, 2020.

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TÊNIS (CBT). Calendário brasileiro infanto-juvenil 2020. 2020. Disponível em: <http://cbt-tenis.com.br/arquivos/juvenil/juvenil_5e5e9cdf48ba5_03-03-2020_15-07-27. pdf>. Acesso em: 11 jun. 2020.

CORTELA, Caio Corrêa e colaboradores. The transition to the yellow ball in tennis coaching. ITF coching and sports science review, n. 79, p. 22-24, 2019.

DE ROSE JÚNIOR, Dante; KORSAKAS, Paula. O processo de competição e o ensino do desporto. In: TANI, Go; BENTO, Jorge Olímpio; PETERSEN, Ricardo Demétrio de Souza (Eds.). Pedagogia do desporto. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006. p. 251-261.

FEDERAÇÃO GAÚCHA DE TÊNIS (FGT). Regulamento técnico 2020. 2020. Disponível em: <https://www.tenisintegrado.com.br/uploads/id4301/anexos/anexo_1578054942.pdf>. Acesso em: 26 fev., 2020.

FLICK, Uwe. Introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. Porto Alegre, RS: Artmed, 2009.

GIMENEZ-EGIDO, José María e colaboradores. Effect of modification rules in competition on technical–tactical action in young tennis players (Under-10). Frontiers In Psychology, v. 10, 2020.

GONÇALVES, Gabriel Henrique Treter e colaboradores. Contribuições da competição de tênis na educação e formação das crianças. Journal of physical education, v. 27, n. 1, p. 3-14. 2016.

INTERNATIONAL TENNIS FEDERATION (ITF). Programa oficial da Federação Internacional de Tênis tennis 10s: Manual. 2019. Disponível em: <http://www.tennisplayandstay.com/resources/resour ces.aspx>. Acesso em: 22 nov., 2019.

KLERING, Roberto Tierling e colaboradores. As técnicas avançadas na formação multilateral de tenistas: um estudo sobre os conteúdos do treino de tenistas de 11 a 14 anos. Revista brasileira de ciência e movimento, v. 4, n. 24, p. 100-109, 2016.

LEONARDO, Lucas; SCAGLIA, Alcides José. A avaliação de competições esportivas de jovens: definição de categorias e aplicações ao handebol. Movimento, v. 24, n. 3, p. 875-888, 2018.

LIMPENS, Vera e colaboradores. Scaling constraints in junior tennis: the influence of net height on skilled players’ match-play performance. Research quarterly for exercise and sport, v. 89, n. 1, p. 1-10, 2018.

LONGO, Renan Acerbi e colaboradores. A permanência de crianças e jovens nos esportes: olhares para iniciação e especialização esportiva. Caderno de Educação Física e Esporte, Marechal Cândido Rondon, v. 15, n. 2, p. 121-132, jul./dez. 2017.

MARQUES, António. Fazer da competição dos mais jovens um modelo de formação e de educação. In: GAYA, Adroaldo; MARQUES, António; TANI, Go. Desporto para crianças e jovens: razões e finalidades. Porto Alegre, RS: UFRGS, 2004.

MILISTETD, Michel e colaboradores. Análise da organização competitiva de crianças e jovens: adaptações estruturais e funcionais. Revista brasileira de ciências do esporte, v. 36, n. 3, p. 671-678, jul., 2014.

NEGRINE, Airton. Instrumentos de coletas na pesquisa qualitativa. In: MOLINA NETO, Vicente; TRIVINOS, Augusto Nibaldo Silva (Orgs.). A pesquisa qualitativa na educação física: alternativas metodológicas. 3. ed. Porto Alegre, RS: Sulina, 2010.

REVERDITO, Riller Silva e colaboradores. Competições escolares: reflexão e ação em pedagogia do esporte para fazer a diferença na escola. Pensar a prática, v. 11, n. 1; p. 37-45, 2008.

SCHMIDHOFER, Stefan; LESER, Roland; EBERT, Michael. A comparison between the structure in elite tennis and kids tennis on scaled courts (Tennis 10s). International journal of performance analysis in sport, v. 14, n. 3, p. 829-840, 2014.

WEINBERG, Robert S.; GOULD, Daniel. Fundamentos da psicologia do esporte e do exercício. 6. ed. Porto Alegre, RS: Artmed, 2017.

YOUNG, Janet. Enjoyment: fresh clues for coaches. ITF coaching and sport science review, n. 68, p. 21-23, 2016.

Downloads

Publicado

2020-11-26

Como Citar

Silveira, R., Bulso, R. V., & Balbinotti, C. A. A. . (2020). PARTICIPAÇÃO DE JOVENS TENISTAS EM COMPETIÇÕES DE 12 A 16 ANOS: A PERCEPÇÃO DE UM GRUPO DE TREINADORES. Corpoconsciência, 24(3), 26-35. Recuperado de https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/article/view/11072