O (NÃO) LUGAR DO SMARTPHONE NA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR

ANÁLISE DE UMA ESCOLA EM FEIRA DE SANTANA/ BAHIA

Autores

  • Fábio Souza de Oliveira Secretaria de Educação do Estado da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil
  • Cláudio Márcio Oliveira Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Palavras-chave:

Mídia-educação, Educação Física, Smartphone

Resumo

O presente estudo teve como objetivo analisar as possibilidades de utilização do smartphone enquanto ferramenta de ensino e aprendizagem na Educação Física, na Educação Básica. Participaram da pesquisa cento e vinte e oito alunos do ensino fundamental II, de uma escola pública estadual da cidade de Feira de Santana. A pesquisa durou um trimestre letivo, período em que foram realizadas as intervenções deste ciclo. Pudemos compreender como viável o trato com o conteúdo voleibol a partir de uma abordagem mídia-educativa a partir do celular smartphone.

Referências

FANTIN, Monica. O lugar da experiência, da cultura e da aprendizagem multimídia na formação de professores. Revista educação, Santa Maria, v. 37, n. 2, p. 291-306, mai./ ago., 2012.

FANTIN, Monica; RIVOLTELLA, Pier Cesare (Orgs.). Cultura digital e escola: pesquisa e formação de professores. Campinas, SP: Papirus, 2012

KENSKI, Vani Moreira. Educação e tecnologias: o novo ritmo da informação. 8. ed. Campinas, SP: Papirus, 2012.

MARTÍN-BARBERO, Jésus. A comunicação na educação. São Paulo: Contexto, 2014

MILLS, Charles Wright. A imaginação sociológica. Rio de Janeiro: Zahar, 1972.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 14. ed. São Paulo: Hucitec, 2014.

______. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes, 2016.

MULLER, Juliana Costa. Crianças e tecnologias digitais: desafios da mediação familiar e escolar. Tese (Doutorado em Educação). 2019. 318f. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, 2019.

PIRES, Giovani de Lorenzi. Breve introdução ao estudo dos processos de apropriação social do fenômeno esporte. Revista da educação física/ UEM, v. 9, n. 1, p. 25-34, 1998.

______. Educação física e o discurso midiático: abordagem crítico-emancipatória. Ijuí, RS: Unijuí, 2002.

RÜDIGER, Francisco. As teorias da cibercultura: perspectivas, questões e autores. Porto Alegre, RS: Sulina, 2011.

SACRISTÁN, José Gimeno; PÉREZ GÓMEZ, Angel Ignacio. Compreender e transformar o ensino. Porto Alegre, RS: Artmed, 1998.

SOUSA, Galdino Rodrigues de; MENDES, Diego de Souza. Mídias na formação em educação física: análise de uma disciplina optativa. Motrivivência, v. 26, n. 43, p. 300-315, dez., 2014.

ZUIN, Antônio; PUCCI, Bruno; LASTÓRIA, Luiz Nabuco. 10 Lições sobre Adorno. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015.

Downloads

Publicado

2020-11-26

Como Citar

Oliveira, F. S. de, & Oliveira, C. M. (2020). O (NÃO) LUGAR DO SMARTPHONE NA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: ANÁLISE DE UMA ESCOLA EM FEIRA DE SANTANA/ BAHIA. Corpoconsciência, 24(3), 1-11. Recuperado de https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/article/view/10600