NÍVEL DE ATIVIDADE FÍSICA E CAPACIDADE FUNCIONAL DE IDOSOS PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO

Autores

  • Adeilton José dos Santos Universidade Tiradentes, Aracaju, Sergipe, Brasil
  • Lúcio Marques Vieira Souza Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, Sergipe, Brasil
  • Antenor de Oliveira Silva Neto Universidade Tiradentes, Aracaju, Sergipe, Brasil
  • Jymmys Lopes Dos Santos Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, Sergipe, Brasil
  • Dilton Dos Santos Silva Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, Sergipe, Brasil
  • Jorge Rollemberg Dos Santos Universidade Tiradentes, Aracaju, Sergipe, Brasil

Palavras-chave:

Atividade Física, Capacidade Funcional, Idoso

Resumo

O envelhecimento populacional no mundo vem crescendo de forma constante, fazendo as populações de todas as partes do mundo se tornarem relativamente envelhecidas. O presente estudo teve como objetivo avaliar o Nível de Atividade Física e a Capacidade funcional de idosos praticantes de musculação. As variáveis estudadas foram: nível socioeconômico, percentual de gordura, avaliação do nível de atividade física e capacidade Funcional e teve como resultados a prevalência de mulheres (17) para Homens (14), e a idade predominante foi dos 60 aos 70 anos. Sobre a classificação de IMC dos idosos foi observada a prevalência da eutrofia, para os níveis de atividades os resultados apresentados foram satisfatórios ao comparar com outros estudos, ou seja, em sua maioria nos níveis ativos, a capacidade funcional apresentada enquadrou todos os idosos como independentes. Conclui-se que a atividade física é um importante aliado na melhoria dos mais diversos fatores que influenciam no processo de envelhecimento.

Referências

AREOSA, Silvia Virginia Coutinho; AREOSA, Antonio Luiz. Envelhecimento e dependência: desafios a serem enfrentados. Textos & contexto, v. 7, n. 1, p. 138-150, 2008.

BENEDETTI, Tânia Bertoldo; MAZO, Giovana Zarpellon; BARROS, Mauro Virgilio Gomes de. Aplicação do questionário internacional de atividade físicas para avaliação do nível de atividades físicas de mulheres idosas: validade concorrente e reprodutibilidade teste/ reteste. Revista brasileira de ciência e movimento, v. 12, n. 1, p. 25-33, 2004.

CARDALDA, Irimia Mollinedo; LÓPEZ, Adriana; CARRAL, José Maria Cancela. The effects of different types of physical exercise on physical and cognitive function in frail institutionalized older adults with mild to moderate cognitive impairment. A randomized controlled trial. Archives of Gerontology and Geriatrics, v. 83, p. 223-230, 2019.

CERRI, Alessandra de Souza; SIMÕES, Regina. Hidroginástica e Idosos: por que eles praticam? Movimento, v. 13, n. 1, p. 81-92, 2007.

CONTE, Eneida Maria Troller; LOPES, Adair da Silva. Qualidade de vida e atividade física em mulheres idosas. Revista brasileira de ciências do envelhecimento humano, v. 2, n. 1, p. 61-75, 2005.

DIAS, Raphael Mendes Ritti; GURJÃO, André Luiz Demantova; MARUCCI, Maria de Fátima Nunes. Benefícios do treinamento com pesos para aptidão física de idosos. Acta fisiátrica, v. 13, n. 2, p. 90-95, 2016.

DIOGO, Maria José D'Elboux. Avaliação funcional de idosos com amputação de membros inferiores atendidos em um hospital universitário. Revista latino-americano de enfermagem, v. 11, n. 1, p. 59-65, 2003.

FARIA, Luisa; MARINHO, Claúdia. Atividade física, saúde e qualidade de vida na terceira idade. Revista portuguesa de psicossomática, v. 6, n. 1, p. 93-104, 2004.

FERREIRA, Olívia Galvão Lucena e colaboradores. Envelhecimento ativo e sua relação com a independência funcional. Texto & contexto, v. 21, n. 3, p. 513-518, 2012.

FIEDLER, Mariarosa Mendes; PERES, Karen Glazer. Capacidade funcional e fatores associados em idosos do sul do Brasil: um estudo de base populacional. Caderno de saúde pública, v. 24, n. 2, p. 409-415, 2008.

FILHO, Wilson Jacob. Atividade física e envelhecimento saudável. Revista brasileira de educação física e esporte, v. 20, p. 73-77, 2006.

FONSECA, Ana Ilian Santos e colaboradores. Efeito de um programa de treinamento de força na aptidão física funcional e composição corporal de idosos praticantes de musculação. Revista brasileira de prescrição e fisiologia do exercício, v. 12, n. 76, p. 556-563, 2018.

KAMIMURA, Maria Ayako e colaboradores. Métodos de avaliação da composição corporal em pacientes submetidos à hemodiálise. Revista de Nutrição, v. 17, n. 1, p. 97-105, 2004.

MAZO, Giovana Zarpellon e colaboradores. Condições de saúde, incidência de quedas e nível de atividade física dos idosos. Revista brasileira de fisioterapia, v. 11, n. 6, p. 437-442, 2007.

MENDES, Antonio da Cruz Gouveia e colaboradores. Assistência pública de saúde no contexto da transição demográfica brasileira. Cadernos de saúde pública, v. 28, n. 5, p. 955-964, 2012.

MOTA Jorge e colaboradores. Atividade física e qualidade de vida associada à saúde em idosos participantes e não participantes em programas regulares de atividade física. Revista brasileira de educação física e esporte, v. 20, n. 3, p. 219-25, 2006.

NELSON, Mirian e colaboradores. Physical activity and public health in older adults: recommendation from the American College of Sports Medicine and the American Heart Association. Medicine Science Sports Exercice, v. 39, n. 8, p. 1435-1445, 2007.

NETTO, Matheus Papaléo. Tratado de gerontologia. 2. ed. Rio de Janeiro: Atheneu. 2007.

PAVARINI, Sofia Cristina Iost; NERI, Anita Liberalesso. Compreendendo dependência, independência e autonomia no contexto domiciliar: conceitos, atitudes e comportamentos. In: DIOGO, Maria José D'Elboux; DUARTE, Yeda Aparecida de Oliveira. Atendimento domiciliar: um enfoque gerontológico. Rio de Janeiro: Atheneu, p. 49-70, 2000.

PEREIRA, Renata Junqueira e colaboradores. Perfil de saúde de idosas, praticantes de atividade física, cadastradas no programa municipal da terceira idade do município de Viçosa – MG. Revista médica Minas Gerais, v. 14, n. 4, p. 239-43, 2004.

RIBEIRO, Telmo de Vasconcelos. Estudo do equilíbrio estático e dinâmico em indivíduos idosos. 2009. 158f. Dissertação (Mestrado em Ciências do Desporto). Universidade do Porto, Porto, Portugal. 2009.

SEBASTIÃO, Émerson e colaboradores. Efeitos da prática regular de dança na capacidade funcional de mulheres acima de 50 anos. Revista da educação física, v. 19, n. 2, p. 205-214, 2008.

SILVA, Nádia e colaboradores. Exercício físico e envelhecimento: benefícios à saúde e características de programas desenvolvidos pelo LABSAU/IEFD/UERJ. Revista HUPE, v. 13, n. 2, p. 75-85, 2014.

SOUZA Raphaela e colaboradores. Avaliação antropométrica em idosos: estimativas de peso e altura e concordância entre classificações de IMC. Revista brasileira de geriatria e gerontologia., v. 16, n. 1, p. 81-90, 2013.

TEIXEIRA, Ana Cristina; BARBOSA, Rita Maria dos Santos Puga. Avaliações psicossociais de adultas na meia idade. Boletim Informativo Unimotrisaúde em Sociogerontologia, v. 2, n. 1, p. 56-73, 2011.

VILARTA, Roberto e colaboradores. Alimentação saudável e atividade física para a qualidade de vida. Campinas, SP: IPES Editorial; 2007

Downloads

Publicado

2020-11-26

Como Citar

Santos, A. J. dos, Vieira Souza, L. M., Silva Neto, A. de O., Dos Santos, J. L., Silva, D. D. S., & Dos Santos, J. R. (2020). NÍVEL DE ATIVIDADE FÍSICA E CAPACIDADE FUNCIONAL DE IDOSOS PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO. Corpoconsciência, 24(3), 73-82. Recuperado de https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/article/view/10394

Edição

Seção

Seção Temática - ENVELHECIMENTO E LONGEVIDADE: COMO MANTER A AUTONOMIA E INDEPENDÊNCIA DE PESSOAS IDOSAS