Regimes de visibilidade/conhecimento nas experiências da “(des)montagem” e do “(não) passar” por homem e/ou mulher

Autores

  • Tiago Duque Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Resumo

O objetivo desse texto é refletir sobre as experiências da “montagem” e “desmontagem” dos corpos e do “passar por” ou não “passar por” homem e/ou mulher de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. Utiliza-se nesta análise as/os autoras/es oriundas/os da teoria feminista e do pensamento de foucaultiano, muitos/as da linha teórica queer, e outras/os pós-estruturalistas. Do ponto de vista metodológico, os dados são oriundos de pesquisa online e offline, envolvendo etnografia e entrevistas, não com foco nos sujeitos em si, mas no regime de visibilidade/conhecimento que os envolvem. Conclui-se, entre outras coisas, que parte das experiências analisadas almejam e conquistam, em diferentes contextos, reconhecimento enquanto, no máximo, diferentes, mas nunca como não normais, ainda que, em certa medida, possam recusar corajosamente parte das expectativas de muitas normas e convenções sociais.

Biografia do Autor

Tiago Duque, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutor em Ciências Sociais pela Unicamp. Mestre em Sociologia pela UFSCar. Professor da Faculdade de Ciências Humanas (FACH) da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS).

Referências

ALMEIDA, Guilherme. “'Homens trans': Novos Matizes na aquarela das masculinidades?” Revista Estudos Feministas. Florianópolis, n.2, 2012, p. 513-523. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/ref/article/view/S0104-026X2012000200012/22858. Acesso em: 19 jun. 2019.

BENEDETTI, Marcos Renato. Toda feita: o corpo e o gênero das travestis. Rio de Janeiro, Garamond, 2005.

BENTO, Berenice. A reinvenção do corpo: sexualidade e gênero na experiência transexual. Rio de Janeiro, Garamond, 2006.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994.

DUQUE, Tiago. Montagens e Desmontagens: desejo, estigma e vergonha entre travestis adolescentes. São Paulo: Annablume, 2011.

DUQUE, Tiago. Gêneros incríveis: um estudo sócio-antropológico sobre as experiências de (não) passar por homem e/ou mulher. Campo Grande: Ed. UFMS, 2017.

FACCHINI, Regina; FRANÇA, Isadora Lins; VENTURI, Gustavo. Sexualidade, cidadania e homofobia: pesquisa 10ª Parada do Orgulho GLBT de São Paulo - 2006. São Paulo, APOGLBTSP, 2007.

FACIOLI, Lara Roberta Rodrigues. Conectadas: uma análise de práticas de ajuda mútua feminina na era das mídias digitais. Dissertação de Mestrado, Sociologia, UFSCar, 2013.

GREEN, James N. Além do Carnaval. A homossexualidade masculina no Brasil do século XX. São Paulo, Editora UNESP, 2000.

HALBERSTAM, Judith/Jack. Masculinidad Feminina. Barcelona, EGALES Editorial, 2008.

KULICK, Don. Travesti: prostituição, sexo, gênero e cultura no Brasil. Rio de Janeiro, Editora Fiocruz, 2008.

MILLER, Daniel. Trecos, Troços e Coisas: estudos antropológicos sobre a cultura material. Rio de Janeiro, Zahar, 2013.

MISKOLCI, Richar. "Desejos em rede: notas sobre segredos e mentiras em relações mediadas digitalmente". In: PELÚCIO, Larissa et al. (orgs). Gênero, sexualidade e mídia: olhares plurais para o cotidiano. Marília, Cultura Acadêmica Editora, 2012. p. 35-55.

___________. “Não somos, queremos – reflexões queer sobre a política sexual brasileira contemporânea” In: COLLING, L. (org). Stonewall 40 + o que no Brasil? Salvador, UFBA, 2011. p. 37-56.

PELÚCIO, Larissa. Abjeção e Desejo: uma etnografia travesti sobre o modelo preventivo de aids. São Paulo, Annablume - FAPESP, 2009.

SEDGWICK, Eve Kosofsky. Epistemologia del armario. Barcelona, Ediciones de La tempestad, 1998.

SILVA, Hélio R. S. Travesti: a invenção do feminino. Rio de Janeiro, Relume-Dumará, ISER, 1993.

TEIXEIRA, Flávia do Bonsucesso. Dispositivo de dor: saberes-poderes que conforma as transexualidades. São Paulo, Annablume, 2013.

VENCATO, Anna Paula. Sapos e Princesas: prazer e segredo entre praticantes de crossdressing no Brasil. São Paulo, Annablume, 2013.

__________. Confusões e estereótipos: o ocultamento de diferenças na ênfase de semelhanças entre transgêneros. Cadernos AEL. Campinas, UNICAMP/IFCH/AEL, n.18/19, 2003, p. 151-179. Disponível em: https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/ael/article/view/2513/1923. Acesso em: 19 jun. 2019.

__________. “Fervendo com as drags”: corporalidades e performances de dragqueens em territórios gays na Ilha de Santa Catarina. Dissertação de Mestrado. Antropologia Social, UFSC, 2002.

Downloads

Publicado

2020-06-04

Edição

Seção

Dossiê Temático: Nos contornos do corpo e da saúde