Apontamentos sobre corporalidade e concepção Mbya-Guarani

Autores

Resumo

Neste trabalho realizo uma revisão bibliográfica relativa a aspectos relacionados à corporalidade feminina entre os Mbya-Guarani. Atento para a menstruação e para as relações sociocosmológicas que podem ser ativadas em períodos de vulnerabilidade. Dedico uma atenção maior aos processos de concepção e criação de crianças por entender tratar-se de um tema que dá visibilidade a uma série de valorações relativas à gênero entre os Mbya. Algumas etnografias situam o início do processo de produção da pessoa mbya a partir da gravidez; no entanto, outras apontam para o quanto o corpo feminino começa a ser preparado para a concepção muito antes de que essa tenha início.

Biografia do Autor

Luna Mendes, Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social/Museu Nacional/UFRJ

Doutoranda em Antropologia

Referências

AFFONSO, Ana Maria. De pessoas e palavras entre os Guarani-Mbya. Tese de Doutorado, Antropologia, UFF, 2014.

ASSIS, Valéria. Dádiva, mercadoria e pessoa: as trocas na constituição do mundo social

Mbyá-Guarani. Tese de doutorado, Antropologia, UFRGS, 2006.

BELAUNDE, Luisa Elvira. El recuerdo de Luna: Género, sangre y memoria entre los pueblos amazónicos. Lima, UNMSM, 2008.

CLASTRES, Pierre. Crônica dos Índios Guayaki: O que sabem os Aché, caçadores nômades do Paraguai. Rio de Janeiro, Editora 34, 1995.

CICCARONE, Celeste. Drama e sensibilidade: Migração, xamanismo e mulheres Mbya Guarani. Tese de Doutorado, Ciências Sociais, PUC-SP, 2001.

HEURICH, Guilherme. Outras alegrias: Parentesco e festas Mbya. Dissertação de Mestrado, Antropologia, UFRJ, 2011.

JESUS, Suzana de. Pessoas na medida: Processos de circulação de saberes sobre o Nhande Reko Guarani na região das Missões. Tese de Doutorado, Antropologia, UFSC, 2015.

McCALLUM, Cecília. Gender and Sociality in Amazonia: How Real People are Made. New York, Oxford, 2001.

MELLO, Flávia. Aetcha nhanderukuery karai retarã: Entre deuses e animais: xamanismo, parentesco e transformação entre os Chiripá e Mbyá Guarani. Tese de Doutorado, Antropologia, UFSC, 2006.

PIERRI, Daniel. O perecível e o imperecível. Dissertação de mestrado, Antropologia, USP, 2013.

PISSOLATO, Elizabeth. (2007), A duração da pessoa: Mobilidade, parentesco e xamanismo mbya (guarani). São Paulo, Unesp.

PRATES, Maria Paula. Da instabilidade e dos afetos: pacificando relações, amansando outros: cosmopolítica guarani-mbyá (Lago Guaíba/RSBrasil). Tese de Doutorado, Antropologia, UFRGS, 2013.

TEMPASS, Martin. Orerémbiú: a relação das práticas alimentares e seus significados com a identidade étnica e a cosmologia Mbyá-Guarani. Dissertação de Mestrado, Antropologia, UFRGS, 2005.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. A Inconstância da Alma Selvagem. São Paulo, Cosac Naify, 2011.

Downloads

Publicado

2020-12-22

Edição

Seção

Dossiê Temático: O que carrega o sangue?