Preparando o banquete, sonhando a festa: memória e patrimônio nas festas quilombolas (Cachoeira-Bahia)

Autores

  • Francesca Maria Nicoletta Bassi Universidade Federal do Recôncavo da Bahia
  • Fátima Tavares Universidade Federal da Bahia

Resumo

O objetivo deste artigo é compreender como dois eventos festivos de duas comunidades quilombolas da Bacia e Vale do Iguape de Cachoeira (Bahia, Brasil) articulam inovação e tradição, etnicidade e cultura de cunho popular. Os eventos mobilizam uma memória associada tanto à emergência dum campo étnico quilombola, quanto a uma reflexividade sobre as formas possíveis de patrimonialização da cultura local. As observações das duas festas serão pontuadas com comentários sobre como são performados aspectos mnemônicos, simbólicos e afetivos. 

Biografia do Autor

Francesca Maria Nicoletta Bassi, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia

Professora do CECULT/UFRB 

 

Fátima Tavares, Universidade Federal da Bahia

Departamento de antropologia/ FFCH

Referências

ADELL, Nicholas. Patrimoine, éthique, identité. Ricerca Folklorica. Brescia, n°62, 2011, p.81-93.

AMARAL, Rita. As mediações culturais da festa. Revista Mediações. Londrina, 3 (1), jan-jun 1998, p. 13-22.

ARRUTI, José Maurício. A emergência dos ‘remanescentes’: notas para o diálogo entre indígenas e quilombolas. Mana, Rio de Janeiro, n. 3.2, 1997, p-7-38.

ARRUTI, José Maurício. Quilombos. In: SANSONE, Lívio & Osmundo PINHO (orgs.). Raça: novas perspectivas antropológicas. Salvador: ABA/ Edufba, 2008, p.315-350.

BASSI, Francesca. Atos rituais: eventos, agências e eficácias no Candomblé. Religião e Sociedade, Rio de Janeiro, 36(2), 2016, p. 244-265,

BOISSEVAIN, Jeremy (org.), Revitalizing European Rituals. London and New York, Routledge, 1999.

BOISSEVAIN, Jeremy. Evoluzioni e dinamiche dei rituali di quartiere a Malta: 1960-2000. Dialoghi Mediterranei, Mazara del Vallo, n.5, Janeiro 2014.

Disponível em: http://www.istitutoeuroarabo.it/DM/evoluzioni-e-dinamiche-dei-rituali-di-quartiere-a-malta-1960-2000/. Acesso em 15 de fev.2017.

DUVIGNAUD, Jean. Festas e civilizações. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1983.

FRAGA FILHO, Walter. Encruzilhadas da liberdade: histórias de escravos e libertos na Bahia (1870-1910). São Paulo: Editora da Unicamp, 2006.

HOBSBAWM, Eric & TERENCE Ranger. A invenção de tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

INGOLD, Tim. Da transmissão de representações à educação da atenção. Educação. Porto Alegre, 33 (1), 2010, p. 6-25.

MARINHO, Thais Alves. As nuances do reconhecimento mussuca: entre a folclorização e a etnicização. In GOUVÊA Dumas, Alexandra e Clovis CARVALHO, Corpo Negro. Nadir de Mussuca, Cenas e Cenários de uma mulher quilombola. São Cristóvão: Ed.UFS, 2016, p.153-177.

MOURA, Glória. Festas dos quilombos. Brasília: Editora UnB, 2012.

GOMES DO NASCIMENTO, Danielle & Maria Ignez NOVAIS. As práticas orais das rezadeiras: um patrimônio imaterial presente na vida dos itabaianenses. Revista Nau Literária. Porto Alegre, v.9, n.1, 2013, p.1-16.

PEIRANO, Mariza. Temas ou Teorias? O estatuto das noções de ritual e de performance. Campos, Curitiba, 7(2), 2006, p.9-16

PEREZ, Léa. Festa para além da festa. In: PEREZ, Léa et al. (orgs.) Festa como perspectiva e em perspectiva. Rio de Janeiro: Garamond, 2012, p.21-42.

POUGET, Frederic & Danilo RAMOS. Ancestrais, tartarugas e moisés – interface dialógica entre arqueologia e antropologia na etnografia dos hupd’äh (Rio Negro). Revista de Arqueologia Pública, Campinas, 2014, p.6-22.

SCHECHNER, Richard. “Pontos de Contato” revisitados. In: DAWSEY, John et al. (orgs.). Antropologia e performance. São Paulo: Terceiro Nome, 2013, p.37-65.

SEVERI, Carlo. Memory, reflexivity and belief. Reflections on the ritual use of language. Social Anthropology, Cambridge, 10-1, 1985, p. 23-40.

SEVERI, Carlo. Procedure per riconoscere gli errori. Antropologia e memoria. In : Doni, Martino. Un’intervista a Carlo Severi. Universitá degli Studi di Bergamo, 2005 (sn).

TAVARES, Fátima. Religião, festa e ritual como agenciamentos possíveis. In: PEREZ Léa et al. (Orgs.) Festa como perspectiva e em perspectiva. Rio de Janeiro, Garamond, 2012, p.119-130.

TAVARES, Fátima e Francesca BASSI. Efeitos, símbolos e crenças. Considerações para um começo de conversa. In: TAVARES, Fátima & Francesca BASSI. Para além da eficácia simbólica. Estudos em ritual, religião e saúde. Salvador: Edufba, 2013, p.17-28.

TAVARES, Fátima e Francesca BASSI. Diversidade e invisibilidade festiva na Baia de Todos os Santos. In: TAVARES, Fátima & Francesca BASSI (orgs.). Festas na Baía de Todos os Santos: visibilizando diversidades, territórios, sociabilidades. Salvador, Edufba, 2015, p.255-278.

WAGNER, Roy. A invenção da cultura. São Paulo: Cosac Naify, 2010.

Downloads

Publicado

2017-10-18

Edição

Seção

Dossiê Temático