O corpo nos contextos do cuidado: reflexões sobre as concepções no campo da enfermagem

Bruna Motta dos Santos

Resumo


O trabalho apresentado buscou tecer algumas considerações e reflexões acerca de como o corpo é percebido no âmbito da Enfermagem, partindo da bibliografia da área sobre o tema. Através desse olhar sobre o ambiente nativo, percebeu-se que a área possui grande influência do modelo biomédico. Entretanto, as dimensões psicológica, social, emocional e cultural aparentam ter bastante relevância, principalmente quando a categoria estudada aparece junto a noção de cuidado, reivindicada como prática especifica e essencial para a atuação da/o enfermeira/o. Nesse sentido, parece-nos que o cuidado se constitui como uma forma de se distanciar do paradigma mecanicista e de suas consequências, trazendo consigo uma certa autonomia à atividade das enfermeiras e enfermeiros, como um fazer distinto da medicina em termos de despersonalização e atenção a integralidade do outro.


Texto completo:

PDF

Referências


BALDUINO, Anice de Fátima Ahmad; MANTOVANI, Maria de Fátima; LACERDA, Maria Ribeiro. O processo de cuidar de enfermagem ao portador de doença crônica cardíaca. Escola Anna Nery RevEnferm, Rio de Janeiro, v. 13, no. 2, p. 342-351, abr-jun. 2009.

DIAS, Kalina Coeli Costa de Oliveira. et al. O cuidado em enfermagem direcionado para a pessoa idosa:revisão integrativa. Revenferm UFPE online, Recife, v. 8, n. 5, p. 1337-1346, maio. 2014.

FERNANDES, Otília Maria Teixeira; LOPES, Maria dos Anjos Pereira. Corpo, saúde e doença: que representação dos enfermeiros? In: IV Congresso Português de Sociologia, 2000. Disponível em: http://www.aps.pt/cms/docs_prv/docs/DPR462e07b8a3946_1.PDF

FERREIRA, Jaqueline. O corpo signo. In: ALVES, PC; MINAYO, MCS. (Org.). Saúde e doença: um olhar antropológico. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 1994, p. 101-112.

HELMAN, Cecil G. Cultura, saúde e doença. Porto Alegre: Artmed, 2009.

LE BRETON, David. Antropologia do Corpo e Modernidade. 3. Ed. Florianópolis, RJ: Vozes, 2013.

LE BRETON, David. A sociologia do corpo. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012

MALUF, Sônia. Antropologia, narrativas e busca de sentidos. Horizontes Antropológicos. Porto Alegre, n.12, v.5, p. 69-82, dez. 1999.

NETO, David Lopes; NÓBREGA, Maria Miriam Lima da. Holismo nos modelos teóricos de Enfermagem. R. Bras. Enferm, Brasília, v. 52, n. 2, p. 233-242, abr-jun. 1999.

OLIVEIRA, Francisco J. Arsego de. Concepções de Doença: o que os serviços de saúde têm a ver com isto? In: Doença, sofrimento e perturbação: perspectivas etnográficas. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 1998.

POLAK, Ymiracy Nascimento de Souza. A corporeidade como resgate do humano na enfermagem. 1996. 143f. Doutorado em Filosofia da Enfermagem – Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 1996.

RODRIGUES, José Carlos. Tabu do corpo. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2006.

ROHDEN, Fabíola. Uma ciência da diferença: sexo e gênero da medicina da mulher. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2009.

SILVEIRA, Maria de Fátima de Araújo Silveira; Gualda, Dulce Maria Rosa; SOBRAL, Vera R. S. Corpo e enfermagem: (ainda) uma relação tão delicada!Online BrazilianJournalofNursing, v 2, n. 3, p. 3-10, 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores: