Notas para um Materialismo Bi-Alético

Autores

Resumo

No coração das polêmicas e tensões entre e com feministas em torno do conceito de gênero pulsa uma concepção dialética da mulher enquanto sujeito ou, ainda, do sujeito enquanto mulher. Este ensaio propõe e elabora, inicialmente, de que maneiras o poder disruptivo desse conceito pode ser atribuído ao fato de que o mesmo toma a dialética como solução teórica para dilemas concretos da investigação e da luta feministas. O texto procura avançar, então, a partir dessa proposição, instigando um olhar bissexual para as proposições de Hegel e Marx em torno da dialética como método, explorando as possibilidades revolucionárias no sistema de gênero a partir da ideia de negação/negatividade, em diálogo com Adorno. Neste escopo, se propõem as bases de uma bi-alética que se pretende ferramenta para a transformação e futura superação do sistema de Gênero, apontando como possível caminho a compreensão da identidade travesti e da travestilidade como categoria bialética.

Downloads

Publicado

2020-12-31

Edição

Seção

Dossiê Temático: Teoria Social Crítica e LGBTI