MO.LE.CA. sai do armário: experiência de uma militância lésbico-feminista nos anos 2000

Autores

Resumo

O presente relato se propõe a traçar um breve histórico do Grupo Mo.Le.Ca – Movimento Lésbico de Campinas, que existiu durante uma década (2000 a 2010), no interior do Estado de São Paulo, com a finalidade de recuperar e expor as memórias de suas ações políticas e culturais que causaram fissuras ao heteronormativismo da conservadora cidade de Campinas-SP e serviram de inspiração para diversas militantes lésbicas de todo o Brasil, tendo em vista que o Mo.Le.Ca. valia-se da arte para colocar mulheres lésbicas e bissexuais na centralidade das discussões, retirando-as da invisibilidade, por meio de mostras de arte, filmes, cursos, teatro do oprimido, performances, entre outras.

Biografia do Autor

Bruna Pimentel Cilento, PUC-Campinas, Comissão da Diversidade Sexual e de Gênero da OAB/SP - Subseção Valinhos

Advogada, Especialista em Direito Sanitário pela Unicamp, Mestre em Urbanismo e doutoranda em Arquitetura e Urbanismo pela Puc-Campinas, Presidenta da Comissão da Diversidade Sexual e de Gênero da 139ª subseção de Valinhos da OAB/SP e Cocuradora do Clube de Leitura "Mulheres que leem mulheres"  

Cássia Garcia

Neurocientista, Cientista social e Psicanalista Clínica, membro e docente do Instituto Paulista de Psicanálise, Mestre em sociologia pela USP e Doutora pela Unicamp.cssgargia@gmail.com

Maria Helena de Almeida Freitas, Senado Federal

Bacharela em Biblioteconomia pela PUC-Campinas e em Filosofia pela UnB, Mestra em Biblioteconomia pela PUC-Campinas e Mestra em História da Ciência pela PUC-SP. mhelena.af@gmail.com

Downloads

Publicado

2020-12-31

Edição

Seção

Relatos de Experiências