Arquitetura Silenciosa da Violência: reflexões sobre os processos de naturalização que retroalimentam violências

Autores

  • Josélia Barroso Queiroz Lima UFVJM
  • Franciele Ferreira de Souza Discente em Historia da UFVJM
  • Kesia Cristina do Nascimento Discente da UFVJM
  • Tairine Duarte Oliveira Mestranda em Geografia/Universidade Federal da Bahia/UFBA

Resumo

O artigo visa refletir e documentar parte do processo educacional  construindo nas unidades curriculares, Psicologia Social e Políticas Educacionais à medida que se debruça sobre a desnaturalização do pensar cotidiano e abre a perspectiva de narrativas que foram silenciadas serem narradas, discutidas, transformadas em ações públicas no interior da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - UFVJM e fora dela. Visa analisar como na desnaturalização do cotidiano social, evidenciamos a Arquitetura Silenciosa da Violência edificada pelo tabu. O artigo resulta do trabalho docente e da trajetória como coordenadora de curso, pesquisadora e responsável pelo trabalho de extensão Rede de Proteção a Mulher: rompendo a violência, o silencio e a invisibilidade. Nele, foco três trabalhos educacionais, de três acadêmicas, mulheres, duas negras, uma branca, que em comum viveram violências sexuais e simbólicas. Elas conseguiram romper com o silêncio e no laboratório promovido pela dor, emergiram formas diferentes de enfrentamento que as levaram à condição de sujeito-de-si. Ao nomeá-lo: Arquitetura Silenciosa da Violência, assumo a postura de discorrer sobre como o tabu tem sido o elemento estruturante que mantém silenciada e retroalimentada a naturalização simbólica e ritualista da cultura, que reifica a hierarquia patriarcal internalizada.

 

Biografia do Autor

Josélia Barroso Queiroz Lima, UFVJM

Professora Adjunta em Psicologia Social, da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, Faculdade Interdisciplinar em Humanidades, Cursos Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades e do Bacharelado Interdisciplinar em Ciências Humanas/ Políticas Públicas  vinculado ao Programa de Mestrado em Estudos Rurais da UFVJM. Ex-coordenadora do Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades e do Bacharelado Interdisciplinar em Ciencias Humanas/ Políticas Públicas.

Franciele Ferreira de Souza, Discente em Historia da UFVJM

Bacharel em Humanidades/UFVJM- Estudante de Licenciatura em Historia/UFVJM. Bolsista PIBEX/UFVJM no NOS- Nucleo de Orientação Socioeducacional Contra a Violencia a Mulher. Projeto Rede de Proteção a Mulher- rompendo a violência, o silêncio e a invisbilidade

Kesia Cristina do Nascimento, Discente da UFVJM

Graduanda do Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades/ UFVJM. Voluntaria no projeto Rede de Proteção a Mulher rompendo a violência, o silêncio e a invisibilidade.

Tairine Duarte Oliveira, Mestranda em Geografia/Universidade Federal da Bahia/UFBA

Bacharel em Humanidades/UFBA/ Mestranda em Geografia/UFBA

Referências

CARVALHO, Jose Murilo. O pecado original da República. Rio de Janeiro, Bazar do Tempo, 2017.

DAMATTA, Roberto. A Casa e a Rua.5ed. Rio de Janeiro: Rocco,1997.

FEDERECI, Silvia. O ponto zero da revolução. Trabalho doméstico, reprodução e luta feminista. São Paulo: Elefante,2019

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 7. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1998.

GALEANO, Eduardo. Mulheres. Porto Alegre: L&PM, 2015

GALEANO, Eduardo. Entre dias de amor e ódio.

HOOKS, bell. O feminismo é para todo mundo: políticas arrebatadoras. 6. ed. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 2019.

JOVCHELOVITCH, Sandra. Os contextos do saber: representações, comunidade e cultura. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008. (Coleção Psicologia Social).

LIMA, Josélia Barroso Queiroz. Subjetividade e Religiosidade Católica: um estudo de caso sobre a historia de Sabinópolis.2003. 165 F, Dissertação( Mestrado em Psicologia). Faculdade de Psicologia. Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2003

LIMA, Josélia Barroso Queiroz. Sons do Silêncio: a relação entre religião católica e educação escolar- um estudo de caso.2013. 265F. Tese (Doutorado em Educação) Faculdade de Educação. Universidade Estadual de Maringá. Maringá, Paraná. 2013

MONTENEGRO, Fernanda. Prólogo, ato, epilogo: memórias/ Fernanda Montenegro; com a colaboração de Marta Góes. 1 ed. São Paulo: Companhia das Letras,2019.

MOSCOVICI, Serge. Representações sociais: Investigações em psicologia social. 7. ed. Tradução do inglês por Pedrinho Guareschi. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

NASCIMENTO, Késia Cristina. Relatório Técnico de Acompanhamento das Atividades Realizadas Via Projeto de Extensão/PIBEX/ Rede de Proteção à Mulher: rompendo com a violência, o silêncio e a invisibilidade. Delegacia de Atendimento às Mulheres –Diamantina/MINAS GERAIS. Trabalho de Conclusão de Curso. Faculdade Interdisciplinar em Humanidades. Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri. Diamantina. MG. 2019.

OLIVEIRA, Tairine Duarte. À Luta Feminista. SINTEGRA/ Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri. Diamantina/MG. 2019.

SAFFIOTI, H.B.I. Gênero, patriarcado, violência. São Paulo 2004.

SOUZA, Franciele Ferreira de. A Desgraçada modos de (r)existência. Uma abordagem performática. Trabalho de Conclusão de Curso. Faculdade Interdisciplinar em Humanidades. Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri. Diamantina/MG. 2019

Downloads

Publicado

2021-04-05

Edição

Seção

Dossiê Temático: Políticas de extermínio - transfobia, homofobia e feminicídio