Festa, política e o corpo na rua: Uma antropologia visual da Parada da Diversidade de Cuiabá nos 50 anos de Stonewall

Autores

DOI:

10.31560/2595-3206.2019.7.10116

Resumo

Realizada desde 2003 na cidade de Cuiabá, a Parada da Diversidade reúne milhares de pessoas pelas ruas da cidade, num misto de festa e manifestação política. Herdeiras da batalha de Stonewall, as paradas fazem parte da paisagem brasileira, há mais de 20 anos, na luta por igualdade e direitos sociais. Se apresentando como um evento que simultaneamente tem o caráter de reivindicação política, visibilidade, festa e performance, a Parada de Cuiabá se tornou nos últimos anos um dos focos de pesquisas do Núcleo de Antropologia e Saberes Plurais (NAPlus), culminando na exposição que será aqui relatada. As fotografias são parte dos resultados dos projetos de pesquisa “Homossexualidades, preconceitos e discriminações. A construção social do gênero no universo LGBT da Grande Cuiabá” e da pesquisa de pós-doutorado “Gênero, performance e audiovisualidades: uma antropologia urbana de movimentações sociais e territorialidades políticas no contemporâneo” e pretendem abordar a trajetória das paradas da Diversidade de Cuiabá, as reivindicações políticas e a construção das performances.

Biografia do Autor

Moisés Alessandro de Souza Lopes, Universidade Federal de Mato Grosso

Professor do Departamento de Antropologia do Instituto de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal de Mato Grosso.

Downloads

Publicado

2020-12-17

Edição

Seção

Relatos de Experiências