Concepção de justiça em Ângela Davis e Nancy Fraser: aproximações para uma crítica do capitalismo

Autores

DOI:

10.31560/2595-3206.2019.7.10114

Resumo

O artigo tem como intenção traçar chaves de análise que nos permitam compreender a existência ou não de uma concepção de Justiça nas obras da filósofa, ativista e feminista negra norte americana Ângela Davis, e da filósofa, feminista, professora de Ciência Política e Social da New School de Nova Iorque, Nancy Fraser. As autoras apresentam em seus estudos, a interligação entre aspectos fundantes da sociedade, sistemas e formas de organização social, ancoradas na divisão de classes, opressão, com destaque à interseccionalidade de raça, classe e gênero para Ângela Davis, e do reconhecimento e redistribuição em Fraser. Apresenta inicialmente ume breve contextualização da distinção entre justiça e direito na sociedade capitalista, a seguir reflexões sobre concepção de justiça nas contribuições das autoras, possíveis intersecções entre Davis e Fraser e considerações finais com percepções sobre os achados nas elaborações. Buscar elementos preliminares sobre a concepção de justiça na obra das autoras acena para um horizonte de mudanças nas formas sociais, na busca de um significado crítico para a justiça no capitalismo.

Biografia do Autor

Annelyse Cristine Cândido Santos, Mestranda em Política Social, Universidade Federal de Mato Grosso

  

Josiley Carrijo Rafael, Universidade Federal de Mato Grosso

Docente do Departamento de Serviço Social e do Programa de pós-graduação em Política Social da UFMT

Downloads

Publicado

2020-12-17