Atritos e Respiros: à procura de uma possível voz não-binária

Autores

DOI:

10.31560/2595-3206.2019.7.10112

Resumo

Este artigo investiga diferentes formas de como a voz, em um contexto de criação artística, pode carregar consigo marcadores de performatividade de gênero. A partir dessa análise inicial, elaboro maneiras de construir uma voz não-binária, ou seja, que não se identifique dentro das categorias fixas de gênero tradicionalmente impostas (homem e mulher). Ao longo do caminho, exploro como a disforia de gênero pode ser um catalisador dessa criação, e como as tecnologias me ajudaram na construção desse novo corpo sonoro.

Biografia do Autor

Bê Saboya de Albuquerque Smidt, Graduando em Música, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

  

Downloads

Publicado

2020-12-17

Edição

Seção

Dossiês Temáticos