DURABILIDADE NATURAL DE DEZ MADEIRAS AMAZÔNICAS SOB CONDIÇÕES DE CAMPO

Autores

  • Janaína De Nadai Corassa Universidade Federal de Mato Grosso
  • Catiane Michelli Alcantara Tiesen
  • Onice Teresinha Dall'Oglio
  • Rafael Rodolfo de Melo

DOI:

10.31413/nativa.v7i6.7460

Resumo

O objetivo desse trabalho foi avaliar a durabilidade natural de dez espécies florestais da Amazônia em dois ambientes de deterioração. As espécies estudadas foram a Trattinnickia burserifolia Burseraceae (amescla), Mezilaurus itauba (itaúba), Hymenaea courbaril (jatobá), Nectandra cissiflora (canela), Hymenolobium petraeum (angelim pedra), Erisma uncinatum (cedrinho), Bowdichia virgilioides (sucupira), Apuleia leiocarpa (garapeira), Dipteryx odorata (cumaru) e Qualea albiflora (cambará). Os ambientes avaliados foram campo aberto e mata. As amostras das madeiras foram confeccionadas com dimensões de 5 x 5 x 40 cm e submetidas em ensaio de deterioração durante 660 dias. Em campo foi realizado o teste de quebra e a coleta dos cupins presentes nas madeiras. Após 660 dias as amostras foram encaminhadas ao laboratório para avaliação do índice de sanidade. As madeiras de amescla, angelim pedra, cambara e cedro foram as mais deterioradas pelos cupins. Foram observados quatro gêneros de cupins nas madeiras avaliadas: Heterotermes sp., Coptotermes sp., Dolichorhinotermes sp. e Armitermes sp. A madeira itaúba apresentou maior durabilidade natural em todos os testes. O ambiente onde ocorreu a maior perda de resistência das espécies foi a mata.

Palavras-chave: térmitas; ensaio de campo; resistência; teste de quebra.

 

NATURAL DURABILITY OF TEN AMAZON WOODS UNDER FIELD CONDICTIONS

 

ABSTRACT:

The objective of this study was to evaluate the natural durability of ten Amazonian forest species in two environments of deterioration. The species studied were Trattinnickia burserifolia (amescla), Mezilaurus itauba (itaúba), Hymenaea courbaril (jatobá), Nectandra cissiflora (canela), Hymenolobium petreum (angelimpedra), Erisma uncinatum (cedrinho), Bowdichia virgilioides (sucupira), Apuleia leiocarpa (garapeira), Dipteryx odorata (cumaru) e Qualea albiflora (cambara). The environments were an open field and a forest. The wood samples were made with dimensions of 5 x 5 x 40 cm and submitted to a deterioration test for 660 days. In the field was realized breaking test and collection of the termites present in the woods. After 660 days the samples were sent to the laboratory to evaluate the sanity index. Amescla, angelim pedra, cambara and  cedro woods  showed more preference about termite attack. Four genres of termites were observed in the woods evaluated: Heterotermes sp., Coptotermes sp., Dolichorhinotermes sp.  and Armitermes sp. Itaúba wood presented greater natural durability in all tests. The environment of deterioration that most influenced the loss of resistance of the species was the forest.

Keywords: termite; field test; resistance; break test.

Referências

BULTMAN, J. D.; SOUTHWELL, C. R. Natural resistance of tropical American woods to terrestrial wood-destroying organisms. Biotropica, v. 8, n. 2, p. 71- 95, 1976. DOI: http://dx.doi.org/10.2307/2989627

CARNEIRO, J. S.; EMMERT, L.; STERNADT, G. H.; MENDES, J. C.; ALMEIDA, G. F. Decay susceptibility of Amazon wood species from Brazil against white rot and brown rot decay fungi. Holzforschung, Berlin, v. 63, n. 6, p. 767-772, 2009. DOI: https://dx.doi.org/10.1515/HF.2009.119

CORASSA, J. N.; PIRES, E. M.; ANDRADE NETO, V. R.; TARIGA, T. C. Térmitas associados à degradação de cinco espécies florestais em campo de apodrecimento. Floresta e Ambiente, Seropédica, v. 21, n. 1, p. 1-7, 2014. DOI: http://dx.doi.org/10.4322/floram.2014.014

ESTEVES, B.; PEREIRA, H. M. Wood modification by heat treatment: A review. Bio Resources, Raleigh, v. 4, n. 1. P. 370-404, 2009.

HUMAR, M. Influence of Artificial and Natural Weatheringon the Moisture Dynamicof Wood. Bioresources, Raleigh, v. 12, n. 1, p. 117-142, 2016.

LEPAGE, E. S. Método sugerido pela IUFRO para ensaios de campo com estacas de madeira. Preservação de madeiras, São Paulo, v. 1, n. 4, p. 205-216, 1970.

LOBÃO, M. S.; LÚCIA, R. M. D.; MOREIRA, M. S. S.; GOMES, A. Caracterização das propriedades físico-mecânicas da madeira de eucalipto com diferentes densidades. Revista Árvore, Viçosa, v. 28, n. 6, p.889-894, 2004. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622004000600014

MARCONDES, E.; RIBEIRO, M.; A.; STANGERLIN, D. M.; SOUZA, A. P.; MELO, R. R.; GATTO, D. A. Resistência natural da madeira de duas espécies amazônicas em ensaios de deterioração de campo. Scientia Plena, v. 9, p. 1-9, 2013.

MARQUES, S. S.; OLIVEIRA, J. T. S.; PAES, J. B.; ALVES, E. S.; SILVA, A. G.; FIEDLER, N. C. Estudo comparativo da massa específica aparente e retratibilidade da madeira de pau-brasil (Caesalpinia chinata LAM.) nativa e de reflorestamento. Revista Árvore, Viçosa, v. 36 n.2, p. 373-380, 2012. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622012000200019

PAES, J. B.; MELO, R. R. LIMA, C. R. Resistência natural de madeiras a fungos xilófago em condições de laboratório. Revista de Ciências Agrárias, Belém, n. 47, p. 199-210, 2007.

PAES, J. B.; MEDEIROS, P. N.; LIMA, C. R.; FREITAS, M. F.; DINIZ, C. E. F. Efeitos dos extrativos e cinzas na resistência natural de quatro madeiras a cupins xilófagos. Cerne, Lavras, v.19, n. 3, p. 399- 405, 2013. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-77602013000300006

PEREIRA, P. A. C.; STANGERLIN, D. M.; ANDRADE NETO, V. R.; RODRIGUES, D. A.; MELO, R. R.; CORASSA, J. N.; CALEGARI, L. Efficiency of used oil engine as preservative of Amazonian woods submitted to xylophagous termites. Ciência da Madeira, Pelotas, v. 6, p. 176-182, 2015.

RIBEIRO, M. A. P.; STANGERLIN, D. M.; SOUZA, A. P.; CARDOSO, G. V.; CALEGARI, L.; GATTO, D. A. Durabilidade natural da madeira de jequitibá em ensaios de deterioração em campo aberto e floresta durante as estações de seca e chuva. Comunicata Scientiae, Bom Jesus, v.5, n.4, p. 402-411, 2014.

ROMANINI, A.; STANGERLIN, D. M.; PARIZ, E.; SOUZA, A. P.; GATTO, D. A.; CALEGARI, L. Durabilidade Natural da Madeira de Quatro Espécies Amazônicas em Ensaios de Deterioração de Campo. Nativa, Sinop, v. 2, p. 13-17, 2014.

ROWELL, R. M. Handbook of Wood Chemistry and Wood Composites, Second Edition, CRC Press, Boca Raton, FL, USA. 2012.

SOUZA, A. P.; MOTA, L. L.; ZAMADEI, T.; MARTIN, C. C.; ALMEIDA, F. T.; PAULINO, J. Classificação climática e balance hídrico climatológico no estado de Mato Grosso. Nativa, Sinop, v. 3, n. 2, p. 38-44, 2013. DOI: http://dx.doi.org/10.14583/2318-7670.v01n01a07

STANGERLIN, D. M.; COSTA, A. F.; GARLET, A.; PASTORE, T. C. M. Resistência natural da madeira de três espécies amazônicas submetidas ao ataque de fungos apodrecedores. Ciência da Madeira, Pelotas, v. 4, n. 1, p. 15-32, 2013.

TREVISAN, H.; CARVALHO, A. G.; TIEPPO, F. M. M.; LELIS, R. C. C. Avaliação de propriedades físicas e mecânicas da madeira de cinco espécies florestais em função da deterioração em dois ambientes. Revista Árvore, Viçosa, v. 31, n. 1, p. 30-37, 2007.

TREVISAN, H.; MARQUES, F. M. T.; CARVALHO, A. G. Degradação natural de toras de cinco espécies florestais em dois ambientes. Revista Floresta, Curitiba, v. 38, n. 1, p.33-40, 2008.

WEILER, M.; MISSIO, A. L.; GATTO, D. A.; GUTHS, W. G. Nondestructive evaluation of wood decayed by xylophagous organisms. Materials Research, São Carlos, v. 16, n. 5, p. 1203-1208, 2012.

ŽLAHTIČ, M.; HUMAR, M. Influence of Artificial and Natural Weathering on the Moisture Dynamic of Wood. BioResources, New York, v.11 n.2, p. 117-142, 2017.

Downloads

Publicado

2019-11-11

Como Citar

Corassa, J. D. N., Tiesen, C. M. A., Dall’Oglio, O. T., & Melo, R. R. de. (2019). DURABILIDADE NATURAL DE DEZ MADEIRAS AMAZÔNICAS SOB CONDIÇÕES DE CAMPO. Nativa, 7(6), 758-762. https://doi.org/10.31413/nativa.v7i6.7460

Edição

Seção

Engenharia Florestal / Forest Engineering