Discursos e Projetos: O Texto da Geografia no Currículo Nacional

Autores

Palavras-chave:

BNCC, Geografia Escolar, Curriculo

Resumo

O presente artigo trata do texto da Geografia escrito na Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Com base na perspectiva de Mariano Narodowski (1994), observamos as linhas que orientam essa proposta de Geografia, levando em conta a sua relação com as orientações das políticas de educação em curso, no Brasil. Nossa análise leva em conta o contexto das políticas e os discursos a elas articulados. Apoiados em Ernesto Laclau (2011) e Pierre Bourdieu & Loïc Wacquant (2000), procuramos identificar os elementos que sustentam esses discursos, tanto nas políticas, de maneira geral, quanto nos textos específicos da proposta de Geografia, na BNCC. Inicialmente, situamos o contexto de produção das políticas e os discursos sobre e na BNCC. Em um segundo momento, analisamos o texto de Geografia, no documento, com a intenção de compreender o seu conteúdo e a sua forma como proposta. Com isso, também abordamos os debates conceituais e internos ao campo, para identificar os projetos de sociedade, de docência e de sujeitos, inscritos no texto escrito de Geografia. Verificamos que a Geografia da BNCC dialoga com as mesmas racionalidades, os mesmos projetos e demandas que orientam as atuais políticas de educação.

Referências

ANDERSON, B. Comunidades imaginadas. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

BALL, S. J. Educação global S. S. – Novas redes políticas e o imaginário neoliberal. Ponta Grossa: UEPG, 2014.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Ministério da Educação (MEC). Brasília, 2018

BOURDIEU, P.; WACQUANT, L. A nova bíblia do Tio Sam. Le Monde Diplomatique Brasil, 2000.

DUPRIEZ, V. CATTONAR, B. Entre evdence-based education e julgamento profissional – qual futuro para os professores e seus saberes?. In OLIVEIRA, D. A. et. Alii (Org.). Políticas educacionais e a reestruturação da profissão do educador. Petrópolis: Vozes, 2019, p. 26-53.

FISCHER, M. Realismo Capitalista: é mais fácil imaginar o fim do mundo do que o fim do capitalismo?. São Paulo: Autonomia Literária, 2020.

LACLAU, E. Emancipação e diferença. Rio de Janeiro: EDUERJ, 2011.

LAVAL, C. A escola não é uma empresa – O neoliberalismo em ataque ao ensino público. São Paulo: Boitempo, 2019.

LOPES, A. C. Por um currículo sem fundamentos. Linhas Críticas. Brasília, DF, v. 21, n. 45, p. 445-466, mai./ago., 2015.

LOUREIRO, C.; KRAEMER, G.; LOPES, M. C. Competências e direitos de aprendizagem: protagonismo e vulnerabilidade. Caderno Cedes. Campinas, v. 41, n. 114, p. 99-109, mai./ago., 2021.

MACEDO, E. Base Nacional Comum para currículos: direitos de aprendizagem e desenvolvimento para quem? Educação e Sociedade. Campinas, v. 36, nº. 133, p. 891-908, out.-dez., 2015.

MØLSTAD, C. E.; PETERSON, D.; PRØITZ, T. S. Infusão suave – a construção dos “professores” no âmbito do Pisa. In OLIVEIRA, D. A. et. Alii (Org.). Políticas educacionais e a reestruturação da profissão do educador. Petrópolis: Vozes, 2019, p. 26-53.

NARODOWSKI, M. lnfancia y poder – La conformación de la pedagogia moderna. Buenos Aires: Aique, 1994.

OLIVEIRA, A. U. et alii. Para onde vai o ensino da Geografia? São Paulo: Editora Contexto, 2008.

POPKEWITZ, T. História do currículo – regulação social e poder. In SILVA, T. (Org.). O sujeito da educação – estudos foucaultianos. São Paulo: 2011.

RAMOS, M. N. A pedagogia das competências – autonomia ou adaptação? São Paulo: Cortez, 2002.

RAVITCH, D. Vida e morte do grande sistema escolar americano – Como os testes padronizados e o modelo de mercado ameaçam a educação. Porto Alegre: Sulina, 2011

SANTOS, A. F. M. Pedagogia do mercado – Neoliberalismo, trabalho e educação no século XXI. Rio de Janeiro: Íbis Libris, 2012.

SANTOS, J. O. S. S.; CRUSOÉ, M. C. Formação do educador de EJA nos discursos das Diretrizes Curriculares Nacionais da EJA e da BNCC. Revista Latino-Americana de Estudos Científicos. v. 02, n. 10, 2021.

SILVA, M. L.; FREITAS, J. A. A Base Nacional Comum e a arte neoliberal de governar a educação no Brasil. Educativa, Goiânia, v. 23, p. 1-20, 2020.

SIQUEIRA, A. S. T. Entre os PNCs e a BNCC: discursos sobre a integração curricular na Geografia. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2019.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

TARLAU, R.; MOELLER, K. Consenso por filantropia – como uma fundação estabeleceu a BNCC no Brasil. Currículo sem Fronteiras, v. 20, n. 2, p. 553-603, maio/ago. 2020.

Downloads

Publicado

2022-10-25

Como Citar

Marques, R., & Giordani, A. (2022). Discursos e Projetos: O Texto da Geografia no Currículo Nacional. Revista Geoaraguaia, 12(especial), 62-79. Recuperado de https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/geo/article/view/13551