A APLICAÇÃO DO SOFTWARE ATLAS.TI 7.5.6 EM UMA PESQUISA NO CAMPO DA HISTÓRIA DO ESPORTE

Autores

Palavras-chave:

História do Esporte, metodologia, estudo qualitativo, software

Resumo

O presente artigo trata de identificar as contribuições da utilização do software ATLAS.ti na construção de uma tese de doutorado no campo da História do Esporte. Justifica-se tal escolha, pois esta tese foi o único estudo encontrado em bancos de dados de artigos, teses e dissertações em língua portuguesa, no campo da História do Esporte, que utilizou o software em sua metodologia. Os estudos históricos e socioculturais na área da Educação Física raramente utilizam softwares de análise qualitativa dos dados. Ponderamos que estes softwares podem auxiliar na pesquisa que utiliza diversidade de fontes, na etapa de confrontação das mesmas e, ainda, no processo interpretativo do pesquisador. Entretanto, no caso da tese eleita para este estudo, a utilização do ATLAS.ti demonstrou que este software não atendeu às expectativas, oferecendo alguns acréscimos à ação do pesquisador.

Biografia do Autor

Carolina Fernandes da Silva, Universidade Federal de Santa Catarina

Professora do Departamento de Educação Física da Universidade Federal de Santa Catarina (DEF/UFSC).

Janice Zarpellon Mazo, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Professora dos cursos de Licenciatura e de Bacharelado em Educação Física e do Programa de PósGraduação em Ciências do Movimento Humano da UFRGS.

Alice Beatriz Assmann, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano ESEFID/UFRGS.

Referências

BACELLAR, Carlos. Uso e mau uso dos arquivos. In: PINSKY, Carla Bassanezi (Org.). Fontes Históricas. São Paulo: Contexto, 2008.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BARROS, José D’ Assunção. Fontes Históricas: revisitando alguns aspectos primordiais para a Pesquisa Histórica. Mouseion, n. 12, maio/ago 2012.

BELL, Judith. Como realizar um projeto de investigação. Lisboa: Gradiva, 1997.

BOOTH, Douglas. História do Esporte: abordagens em mutação. Recorde: Revista de História do Esporte, v. 4, n. 1, 2011.

BURKE, Peter. O que é história cultural? Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2008.

BURKE, Peter. Hibridismo Cultural. São Leopoldo, Editora Unisinos, 2003.

CAMARGO, Edina Maria de. Barreiras e facilitadores para o uso de bicicleta em adultos na Cidade de Curitiba: um estudo com grupos focais. 100 f. Dissertação de Mestrado em Educação Física. Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2012.

CARDOSO, Berta Leni Costa; SAMPAIO, Tânia Mara Viera; SANTOS, Doiara Silva. Dimensões socioculturais do boxe: percepção e trajetória de mulheres atletas. Movimento, v. 21, n. 1, 2015.

COHEN, Louis; MANION, Lawrence. Métodos de investigación educativa. Madrid: La Muralla, 1990.

COSTA, R. P. (Re) pensar o ofício do investigador qualitativo, hoje: metáforas, ferramentas e competências em CAQDAS. Indagatio Didactica, vol. 5, n. 2, out. 2013.

ELIAS, Norbert. A gênese do desporto: um problema sociológico. In: ELIAS, Norbert; DUNINNG, Eric. A Busca da Excitação. Lisboa: Difel, 1992, p. 187-221.

FLICK, Uwe. Qualidade na pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FLICK, Uwe. Uma introdução à pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Bookman, 2004.

GILZ, Claudino. Os desafios e facilidades do uso do programa de Software Atlas/ti na análise de dados da pesquisa: a coleção “Redescobrindo o universo religioso” na Formação do professor. In: VII Congresso Nacional de Educação – EDUCERE, Saberes Docentes, Curitiba, Paraná, 2007.

GUTTMANN, Allen. From ritual to Record: the nature of modern sports. New York: Columbia University, 1978.

GUTTMANN, Allen. Games & Empires: modern sports and cultural imperalism. Columbia University Press, 1994.

KLUBER, Tiago Emanuel. ATLAS.ti como instrumento de análise em pesquisa qualitativa de abordagem fenomenológica. ETD – Educ. tem. digit., Campinas, v. 16, n. 1, 2014, p. 5-23.

LEWIS, R. Barry NVivo 2.0 and ATLAS.ti 5.0: a comparative review of two popular qualitative data-analysis programs. Field Methods, v. 16, n. 4, November, 2009.

LÓPEZ, Isaac Pérez; GARCÍA, Enrique Rivera; CERVANTES, Carmen Trigueros. Imaginario social de la Educación Física construido desde las “teen series” de televisión españolas. Movimento, v. 20, n. 3, 2014.

MENEGHINI, Vandrize. Prática de Exergames e Exercícios Aeróbios: Percepção de Pessoas de 55 Anos e mais. 66 f. Dissertação de Mestrado em Educação Física. Universidade Federal de Santa Catarina, 2015.

NASCIMENTO, Lilian Cristina Gomes; PEREZ, Javier Tejero; PEREIRA, Mônica Cecícila Santana; SCHULLER, Juliana Aparecida de Paula; TONELLO, Maria Georgina Marques. Um estudo exploratório sobre o uso de softwares em pesquisas qualitativas: um aparte no âmbito da Educação Física. Revista Corpoconsciência, Cuiabá-MT, vol. 21, n. 02, p. 25-35, mai./ago., 2017.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. História & História Cultural. 2ª ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

PHILLIPS, M.; O’NEILL, M.; OSMOND, G. Expandindo horizontes na História do Esporte: filmes, fotografias e monumentos. Recorde: Revista de História do Esporte, v. 3, n. 2, 2010, p. 1 - 40.

PIMENTEL, Alessandra. O método da análise documental: Seu uso numa pesquisa Historiográfica. Cadernos de Pesquisa, n. 114, novembro/ 2001.

POCRIFKA, Dagmar Heil; CARVALHO, Ana Beatriz Gomes Pimenta. O êxito do uso do software Atlas TI na pesquisa qualitativa: Uma experiência com análise de conteúdo. CIAIQ2014, v. 3, 2014, p. 20-25.

QUEIROZ, Tania Lucia de Araujo; CAVALCANTE, Patrícia Smith. As contribuições do software Atlas TI para a análise de relatos de experiência escritos. In.: X Congresso Nacional de Educação – EDUCERE, I Seminário Internacional de Representações Sociais, Subjetividade e Educação – SIRSSE, Curitiba, 2011.

SAINT-GEORGES, Pierre. Pesquisa e crítica das fontes de documentação nos domínios econômicos, social e político. In: ALBARELLO, Luc. et al. Práticas e Métodos de Investigação em Ciências Sociais. Lisboa: Gradiva Publicações Ltda, 1997, p. 42-44.

VAMPLEW, Wray. História do esporte no cenário internacional: visão geral. Revista Tempo, v. 19, n. 34, 2012.

Downloads

Publicado

2018-04-25