Por uma geração fervida ou onde o fervo encontra o tropicalismo e o soul

Vinicius Alves da Silva

Resumo


Como derrotar o paradigma atual que parece ter vencido não somente as eleições, mas as possibilidades de seguirmos construindo nossos sonhos e planos juntas, juntos e juntes? Onde nos encontramos para voltar a sonhá-los e planejá-los de maneira mais coletiva? Propomos aqui uma reflexão em torno da ideia de uma Geração Fervida. Explicaremos de maneira breve neste artigo como chegamos a proposta deste conceito, que na verdade é uma aposta frente ao atual momento. Acreditamos que a Geração Fervida, enquanto ideia, pode servir como forma de aquilombar diferentes linhagens que organizaram resistência e organização a partir do uso político de festividades urbanas. Para fins analíticos separamos duas grandes linhagens que consideramos determinantes, neste momento, na construção de uma geração fervida: as herdeiras do tropicalismo e as herdeiras do movimento soul.  Esse artigo, portanto, tem o objetivo de construir o esforço nesse sentido: refletir sobre possibilidades de diálogo e composição entre essas duas linhagens e produzir, com isso, fundamento para a ideia de uma geração fervida, como forma de aglutinar uma nova centralidade de poder capaz de acumular para o horizonte de derrocada da Nova Era Fascista.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 O autor detém os direitos autorais do texto e pode republicá-lo desde que a REBEH seja devidamente mencionada e citada como local original de publicação.

URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/

Indexadores: