PRODUÇÃO DE REPOLHO SOB INFLUÊNCIA DE BORO

Autores

DOI:

10.31413/nativa.v9i2.9121

Resumo

As brássicas possuem alta exigência em boro. O suprimento inadequado deste micronutriente pode limitar a sua produção, principalmente devido à baixa disponibilidade do elemento em determinados tipos de solos. Isso porque este elemento contribui na incorporação de cálcio na parede celular e diretamente no processo de expansão celular, tendo atuação também direta no crescimento e desenvolvimento dessas hortaliças. Assim, objetivou-se nesse trabalho, avaliar a produção de repolho em condições semiáridas no Sul do Piauí, utilizando diferentes doses de ácido bórico. O experimento foi conduzido no Setor de Horticultura do Campus Professora Cinobelina Elvas, da Universidade Federal do Piauí, no Município de Bom Jesus – PI no período de fevereiro a junho de 2012. O delineamento experimental utilizado foi em blocos casualizados, cujos tratamentos foram compostos por cinco doses de boro (0, 2, 4, 6 e 8 kg ha-1) e quatro repetições. Foram avaliadas as seguintes variáveis: altura de planta, circunferência da cabeça, área foliar, massa média da cabeça, produtividade, concentração de boro no solo e teores de boro na cabeça e folhas. As doses de boro aplicadas foram significativas para a circunferência da cabeça, massa média da cabeça, teor de boro nas folhas e produtividade. E não apresentaram efeito significativos nas variáveis altura da planta, área foliar, concentração de boro no solo e teor de boro na cabeça. Para incrementar a qualidade das cabeças é necessário uma maior demanda de boro, pois foi obtido máximos valores para circunferência da cabeça (54,65 cm) e da massa média da cabeça (1,41 kg) com a aplicação de 4,39 e 4,35 kg ha-1 de boro. Enquanto a produtividade máxima de 68, 56 t ha-1 de repolho foi obtida com 3,89 kg ha-1 de boro. Nas condições semiáridas do Sul do Piauí, a produtividade e a qualidade do repolho, é alcançada com aplicação de 4,0 a 4,5 kg ha-1 de boro no solo.

Palavras-chave: Brassica oleracea var. capitata; ácido bórico; nutrição mineral; rendimento.

 

Production of cabbage under the influence of boron

 

ABSTRACT: Brassica has a high demand for boron. The inadequate supply of this micronutrient can limit its production, mainly due to the low availability of the element in certain types of soils. This is because this element contributes to the incorporation of calcium in the cell wall and directly in the cell expansion process, having a direct role in the growth and development of these vegetables. Thus, the objective of this work was to evaluate the production of cabbage in semi-arid conditions in southern Piauí, using different doses of boric acid. The experiment was carried out in the Horticulture Sector of the Professora Cinobelina Elvas Campus, at the Federal University of Piauí, in the municipality of Bom Jesus - PI from February to June 2012. The experimental design used was in randomized blocks, whose treatments were composed by five doses of boron (0, 2, 4, 6 and 8 kg ha-1) and four repetitions. The following variables were evaluated: plant height, head circumference, leaf area, average head mass, productivity, boron concentration in the soil and boron levels in the head and leaves. The applied boron doses were significant for the head circumference, average head mass, boron content in the leaves and productivity. And they have no significant effect on the variables plant height, leaf area, boron concentration in the soil and boron content on the head. To increase the quality of the heads, a greater demand for boron is necessary, as maximum values for head circumference (54.65 cm) and average head mass (1.41 kg) were obtained with the application of 4.39 and 4.35 kg ha-1 of boron. While the maximum productivity of 68.56 t ha-1 of cabbage was obtained with 3.89 kg ha-1 of boron. In the semi-arid conditions of southern Piauí, the productivity and quality of the cabbage is achieved with the application of 4.0 to 4.5 kg ha-1 of boron in the soil.

Keywords: Brassica oleracea var. capitata; boric acid; mineral nutrition; yield.

Biografia do Autor

Maristela Caetano Gomes, Departamento de Engenharias, Universidade Federal do Piauí, Bom Jesus, PI, Brasil.

Departamento de Engenharias, Fitotecnia.

Referências

AQUINO, B. F.; HERNANDEZ, F. F. F.; HOLANDA, F. J. M.; FREIRE, J. M.; CRISÓSTOMO, L. A.; COSTA, R. I.; UCHÔA, S. C. P.; FERNANDES, V. L. B. Recomendações de adubação e calagem para o estado do Ceará. 1 ed. Fortaleza: UFC, 1993. 247p.

BERGAMIN, L. G.; CRUZ, M. C. P.; FERREIRA, M. E.; BARBOSA, J. C. Produção de repolho em função da aplicação de boro associada a adubo orgânico. Horticultura Brasileira, v. 23, n. 2, p. 311-315, 2005. http://dx.doi.org/10.1590/S010205362005000200030

CAMARGO, O. A.; MONIZ, A. C.; JORGE, J. A.; VALADARES, J. M. A. S. Métodos de Análise Química, Mineralógica e Física de Solos do Instituto Agronômico de Campinas. Campinas: Instituto Agronômico/ Fundação IAC, 2009. 77p. (Boletim Técnico, 106, Edição revista e atualizada).

EMBRAPA. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Sistema brasileiro de classificação de solos. 5 ed. Rio de Janeiro: Embrapa Solos, 2018. 356p.

FILGUEIRA, F. A. R. Novo Manual de Olericultura: agrotecnologia moderna na produção e comercialização de hortaliças. Viçosa: Editora UFV, 2008. 421p.

FONTES, P. C. R.; NICK, C. Olericultura: Teoria e prática. 2 ed. Viçosa: Editora UFV/DFT, 2019. 632 p.

INMET_Instituto Nacional de Meteorologia. Normal climatológica. Disponível em: http://www.inmet.gov.br/portal/index.php?r=clima/normaiClimatologicas. Disponível em: < http:// www.inmet.gov.br> Acesso em 11 de fevereiro de 2021.

LUZ, F. J. F.; SABOYA, R. C. C.; PEREIRA, P. R. V. S. O cultivo do repolho em Roraima. Boa Vista-RO: Embrapa Roraima, 2002. 17p.

MALAVOLTA E. Elementos de Nutrição Mineral de Plantas. São Paulo: Agronômica Ceres, 251p. 1980.

MALAVOLTA, E. Manual de nutrição mineral de plantas. São Paulo: Agronômica Ceres, v. 1. 2006. 638 p. 1980.

PIZETTA, L. C.; FERREIRA, M. E.; CRUZ, M. C. P.; BARBOSA, J. C. Resposta de brócolis, couve-flor e repolho à adubação com boro em solo arenoso. Horticultura Brasileira, v. 23, n. 1, p. 51-56, 2005. DOI: https://doi.org/10.1590/S010205362005000100011.

PRIMAVESI, A. Manejo Ecológico do Solo: a agricultura em regiões tropicais. São Paulo: Nobel, 2002. 541p.

SILVA JÚNIOR, A. A. Repolho: fitologia, fitotecnia, tecnologia alimentar e mercadológica. Florianópolis: EMOASC, 1987. 259p.

SILVA, K. S.; SANTOS, E. C. M.; BENETT, C. G. S.; LARANJEIRA, L. T.; EBERHARDT NETO, E.; COSTA, E. Produtividade e desenvolvimento de cultivares de repolho em função de doses de boro. Horticultura Brasileira, v. 30, n. 3, p. 520-525, 2012. https://doi.org/10.1590/S010205362012000300027.

SILVA, L. M.; BASÍLIO S. A.; SILVA JÚNIOR, R. L.; NASCIMENTO, M. V.; BENETT, C. G. S.; BENETT, K. S. S. Aplicação de ácido bórico sobre as características produtivas do repolho em diferentes épocas. Revista de Agricultura Neotropical, Cassilândia, v. 1, n. 2, p. 26-34, 2014. DOI: 10.32404/rean.v1i2.228

SEDIYAMA, M. A. N.; VIDIGAL, S. M.; SANTOS, M. R.; SALGADO, L. T. Rendimento de pimentão em função da adubação orgânica e mineral. Horticultura Brasileira, Brasília, v. 27, n. 3, p. 294-299. 2009. DOI: 10.1590/S0102-05362009000300006

TEDESCO, M. J.; GIANELLO, C.; BISSANI, C. A.; BOHEN, H.; VOLKWEISS, S. Análise de solo, planta e outros materiais. Porto Alegre: Departamento de Solo. Faculdade de Agronomia. Universidade do Rio Grande do Sul, 1995. 174 p.

TRANI, P. E.; RAIJ, B. Hortaliças. In: RAIJ, B.; CANTARELLA, H.; QUAGGIO, J. A.; FURLANI, A. M. C. (Ed.) Recomendações de adubação e calagem para o Estado de São Paulo. Campinas: Instituto Agronômico/Fundação IAC, 1996. p. 157-164. (Boletim Técnico, 100)

Downloads

Publicado

2021-04-23

Edição

Seção

Agronomia / Agronomy