MAPEAMENTO DE PLANTIOS DE PARICÁ [Schizolobium parahyba var. amazonicum (HUBER ex. DUCKE) BARNEBY] NO MUNICÍPIO DE OURO PRETO DO OESTE, RO

Autores

  • Valdir Moura valdir.moura@ifro.edu.br
    Instituto Federal de Rondonia - IFRO Universidade Federal de Rondonia - UNIR
  • Ranieli dos Anjos de Souza Muler ranieli.muler@ifro.edu.br
    Instituto Federal de Rondonia - IFRO
  • Aline Daniele Jacon alinejacon@htomail.com
    Instituto Nacional de Pesquisa Espacial (INPE)

DOI:

10.31413/nativa.v5i7.5040

Resumo

A região norte do Brasil caracteriza-se pela ausência de complexos de indústria moveleira e de plantações florestais em escala comercial, que ainda está restrita a pequenas áreas. A espécie florestal Paricá [Schizolobium parahyba var. amazonicum (Huber ex. Ducke) Barneby] vem ganhando espaço no cenário nacional, ocupando área de 90.047 hectares em 2015, o que corresponde a 15,3% das florestas plantadas no Brasil. Embora exista incentivos para regularizar o corte desta espécie, a falta de difusão do conhecimento das técnicas silvícolas e de gestão comprometem a produtividade e dificulta seu mapeamento. O presente trabalho teve como objetivo mapear e quantificar as áreas de cultivo de Paricá nomunicipio de Ouro Preto do Oeste, Estado de Rondônia, para os anos de 2009 e 2013. A metodologia baseou-se nas informações orbitais coletadas pela série Landsat 5 (TM) e 8 (OLI), cujas imagens foram processadas em ambiente SIG, utilizando técnicas de processamento digital de imagens. A quantificação mostrou que houve redução de 6,2% da área cultivada no período de 2009 a 2013. Este resultado destaca a necessidade de incentivar o plantio de novas áreas ou a manutenção de áreas existentes. Os produtos orbitais e as técnicas de processamento de dados utilizadas neste trabalho, para fins de identificação e mapeamento das áreas de Paricá, não foram capazes de substituir os trabalhos de campo, devido a alta similaridade na resposta espectral.

Palavra-chave: Landsat 8/OLI, processamento de imagens, mapeamento florestal, silvicultura.

 

MAPPING OF PARTICAN PLANTS [Schizolobium parahyba var.amazonicum (HUBER ex. DUCKE) BARNEBY] in THE MUNICIPALITY OF OURO PRETO DO OESTE, RO

 

ABSTRACT:

The northern region of Brazil is characterized by the absence of furniture-industry complexes and forest plantations on a commercial scale still restricted to small areas. The Paricá forest species [Schizolobium parahyba var. amazonicum (Huber ex. Ducke) Barneby] has been gaining ground in the national scenario, occupying an area of 90,047 hectares in 2015, which corresponds to 15.3% of the planted forests in Brazil. Although there are incentives to regularize the cut of this species, the lack of knowledge diffusion of silvicultural techniques and management compromises the productivity, and hinder their mapping. The present work mapped and quantified the paricá growing areas in Ouro Preto do Oeste city, Rondônia state, for the years 2009 and 2013. The methodology was based on the orbital information collected by the Landsat 5 (TM) and 8 (OLI) series, whose images were processed in a GIS environment using digital image processing techniques. The quantification showed that there was a reduction of 6.20% of the cultivated area in the period from 2009 to 2013.This result highlights the need to encourage the planting of new areas or maintenance of existing areas. The orbital products and the data processing techniques used in this work, for the identification and mapping of Paricá areas, were not able to replace the field works, due to the high similarity in the spectral response.

Keywords: Landsat 8/OLI, image processing, forest mapping, silviculture.

 

DOI: http://dx.doi.org/10.5935/2318-7670.v05nespa20

Biografia do Autor

Valdir Moura, Instituto Federal de Rondonia - IFRO Universidade Federal de Rondonia - UNIR

Possui Mestrado em Sensoriamento remoto pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (2000), Graduação em Agronomia (1997). Engenheiro de Segurança do Trabalho (2011). Professor Efetivo do Instituto Federal de Educação básica, técnica e tecnológica (IFRO) campus Colorado do Oeste-RO, atuando no curso de Engenharia Agronômica, Tecnologia em Gestão Ambiental. No período de 2012 a 2016, foi cedido para a Universidade Federal de Rondônia (UNIR), campus de Rolim de Moura, ministrando as disciplinas de Sensoriamento Remoto, Geoprocessamento e Topografia para os cursos de Agronomia e Engenharia Florestal. Líder do Grupo de Pesquisas Espaciais (GREES). Tem experiência na área de Geociências, com ênfase Análise Espacial, Uso e Ocupação do Solo, Estatísticas Agrícolas, Sensoriamento Remoto e Geoprocessamento, Cadastro Urbano e Segurança do Trabalho. Atua desde 2004 com Georreferenciamento de Imóveis Rurais.

CV: http://lattes.cnpq.br/4235926254680169

Ranieli dos Anjos de Souza Muler, Instituto Federal de Rondonia - IFRO

Bióloga, Especialista em Educação, Gestão e Sustentabilidade Ambiental. Mestre em Geografia pela Universidade Federal de Rondônia (UNIR) na área de Meio Físico e Desenvolvimento Sustentável. Doutoranda em Sensoriamento Remoto no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Foi Coordenadora e Docente do curso de Ciências Biológicas da Faculdade de Educação de Jaru (UNICENTRO). Atualmente é professora EBTT de Geoprocessamento no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFRO) e Vice-Líder do Grupo de Pesquisas Espaciais (GREES/IFRO). Participa nas seguintes áreas: Geoprocessamento; Sensoriamento Remoto e Estudos da Biosfera-Atmosfera. 

Aline Daniele Jacon, Instituto Nacional de Pesquisa Espacial (INPE)

Possui graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Viçosa (2014) e mestrando em Sensoriamento Remoto pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE. Tem experiência na área Florestal, atuando principalmente nos seguintes temas: Inventário Florestal, Estimativas de Biomassa Florestal, Sensoriamento Remoto, Sensoriamento Remoto Hiperespectral no monitoramento sazonal da vegetação.

Referências

AB’SABER, A. Zoneamento ecológico e econômico da Amazônia: questões de escala e método. Estudos Avançados, São Paulo, v. 3, n. 5, p. 4-20, 1989. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40141989000100002

AMARAL, M. V. F.; SOUZA, A. L.; SOARES V. P.; SOARES, C. P. B.; LEITE, H. G.; MARTINS, S. V.; FILHO, E. I. F; LANA, J. M. Avaliação e comparação de métodos de classificação de imagens de satélites para o mapeamento de estádios de sucessão florestal. Revista Árvore, Viçosa, v. 33, n. 3, p. 575-582, 2009. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622009000300019

BORGES, K. A. V. Modelagem de dados geográficos: Uma extensão do modelo OMT para aplicações geográficas. 1997. Belo Horizonte. 128p. Dissertação (Mestrado em Administração Pública. Área de concentração: Tecnologias da Informação). Escola de Governo - Fundação João Pinheiro, 1997.

CÂMARA, G.; SOUZA, R. C. M.; FREITAS, U. M.; GARRIDO, J. Spring: Integrating remote sensing and GIS by object-oriented data modelling. Computers & Graphics, v. 20, n. 3, p. 395-403, 1996. DOI: https://doi.org/10.1016/0097-8493(96)00008-8

CARVALHO, P. E. R. Paricá Schizolobium amazonicum. Colombo: Embrapa Florestas, 2007. 8p. Circular Técnica, 142. Disponível em http: /www.cnpq.embrapa.br/publica/circtec/edições/Circular142.pdf.> Acesso em: 08 fev. 2017.

CONGALTON, R. G. A review of assessing the accuracy of classifications of remotely sensed data. Remote Sensing of Environment, v. 37, n. 1, p. 35-46, 1991. DOI: https://doi.org/10.1016/0034-4257(91)90048-B

CORDEIRO, I. M. C. C.; BARROS, P. L. C.; LAMEIRA, O. A.; FILHO, A. B. G. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 25, n. 3, p. 679-687, 2015. DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1980509819618.

EMBRAPA. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. 2 ed. Rio de Janeiro: Centro Nacional de Pesquisa de Solo, 2006.

ERTHAL, G. J.; FONSECA, L. M. G.; BINS, L. S.; VELASCO, F. R. D.; MONTEIRO, A. M. V. Um sistema de segmentação e classificação de imagens de satélite. In: Simpósio Brasileiro de Computação Gráfica e Processamento De Imagens, 1991, IV, São Paulo. Anais... São Paulo, 1991. p. 237-240.

ESPÍRITO-SANTO, F. D. B.; SHIMABUKURO, Y.E. Validação do mapeamento de uma área de floresta tropical com o uso de imagens de videografia aérea e dados de levantamento de campo. Revista Árvore, Viçosa, v. 29, n. 2, p. 227-239, 2005. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622005000200006.

GLERIANI, J. M. Redes neurais artificiais para classificação espectro-temporal de culturas agrícolas. Tese (Doutorado em Sensoriamento Remoto) – Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, São José dos Campos. 211p. 2004.

IBA, Indústria Brasileira de Árvores. Relatório Anual 2016. 2016. Disponível em: < http://iba.org/images/shared/Biblioteca/IBA_RelatorioAnual2016_.pdf>. Acesso em: 25 ago. 2017.

IBGE. Banco de Dados Agregados. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br>. Acesso em: 10 fev., 2017.

IWAKIRI, S.; ZELLER, F.; PINTO, J. A.; RAMIREZ, M. G. L.; SOUZA, M. M.; SEIXAS, R. Avaliação do potencial de utilização da madeira de Schizolobium amazonicum "Paricá" e Cecropia hololeuca "Embaúba" para produção de painéis aglomerados. Acta Amazônica, Manaus, v. 40, n. 2, p. 303-308, 2010. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0044-59672010000200008

RUMGAUBH, J.; BLAHA, M.; PREMERLANI, W.; EDDY, F.; LORENSON, W. Object-Oriented Modeling and Design. Prentice Hall, 1991.

LANDIS, J.; KOCH, G. The measurement of observer agreement for categorical data. Biometrics, v. 33, p. 159-174, 1977.

MONTEIRO, D. C. A. Condições topoclimáticas preferenciais para plantios de paricá (Schizolobium parahyba var. amazonicum (Huber ex. Ducke) Barneby e evidências de desempenho para otimizar a silvicultura em áreas desflorestadas na Amazônia. 2013. 153p. Dissertação (Mestrado) - Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”. Centro de Energia Nuclear na Agricultura. Piracicaba. 2013.

MOURA, V. Imagens multitemporais TM/Landsat-5 da época de pré-plantio na estimativa de áreas destinadas a cultura de verão. 2000. 122 p. (INPE-7527-TDI/734). Dissertação (Mestrado em Sensoriamento Remoto) - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), São Jose dos Campos, 2000.

PARÁ. Decreto Estadual n. 2.099, de 27 de janeiro de 2010. Dispõe sobre a manutenção, recomposição, condução da regeneração natural, compensação e composição da área de Reserva Legal de imóveis rurais no Estado do Pará e dá outras providências. Secretaria de Estado de Meio Ambiente do Pará. Pará. 2010. DOE 27 jan. 2010.

PIAZZA, G. A.; VIBRANS, A. C. Classificação orientada a objetos para mapear florestas secundárias em Santa Catarina, sul do brasil. Revista Brasileira de Cartografia, v. 66, n. 5, p. 993-1005, 2014.

RIBEIRO, I. O.; OLIVEIRA, F. B. Zoneamento Edafoclimático de Schizolobium amazonicum Huber ex Ducke utilizando análise multicritério. Anais... XVI Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto - SBSR, Foz do Iguaçu, PR, Brasil, abril de 2013, INPE. Disponível em:<http://www.dsr.inpe.br/sbsr2013/files/p1361.pdf>. Acesso em: 11 fev. 2017.

RONDÔNIA. Decreto n. 15.933 de 19 de maio de 2011. Dispõe sobre a silvicultura econômica com espécies nativas ou exóticas no estado de Rondônia, e dá outras providências. Porto Velho: DOE 19 maio 2011.

RONDÔNIA. Instrução Normativa n. 01 de 30 de maio de 2011. Normatiza a atividade de silvicultura econômica com espécies nativas ou exóticas no estado de Rondônia, e dá outras providências. Porto Velho: DOE 30 maio 2011.

RONDÔNIA. Zoneamento socioeconômico-ecológico. Porto Velho, Brasil: PLANAFLORO /Governo de Rondônia. 18 p. 2000.

SCERNE, R. M. C.; SANTOS, A. O. da S.; SANTOS, M.M. dos; NETO ANTÔNIO, F. Aspectos Agroclimáticos do Município de Ouro Preto D’Oeste-RO: Atualização Quinquenal. Belém, PA, Brasil, CEPLAC/SUPOR. Boletim Técnico, n. 17, 48p. 2000.

SOUZA, C. R; ROSSI, L. M. B.; AZEVEDO, C. P.; VIEIRA, A. H. Paricá: Schizolobium parahyba var. amazonicum (Huber x Ducke) Barneby. 2003. Disponível em: <https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/bitstream/doc/676209/1/circtec18.pdf>. Acesso em: 14 fev. 2017.

ZUCKER, S. W. Region growing: childhood and adolescence. Computer Graphics and Image Processing, v. 15, p. 382-399, 1979. DOI: https://doi.org/10.1016/S0146-664X(76)80014-7

Downloads

Publicado

2018-01-23

Como Citar

Moura, V., dos Anjos de Souza Muler, R., & Jacon, A. D. (2018). MAPEAMENTO DE PLANTIOS DE PARICÁ [Schizolobium parahyba var. amazonicum (HUBER ex. DUCKE) BARNEBY] NO MUNICÍPIO DE OURO PRETO DO OESTE, RO. Nativa, 5(7), 594–600. https://doi.org/10.31413/nativa.v5i7.5040

Edição

Seção

Engenharia Florestal / Forest Engineering

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)