Oficinas Pedagógicas no Estágio Supervisionado em Geografia em Espaços Não Escolares: Desafios e Possibilidades da Modalidade Remota

Autores

Palavras-chave:

Estágio Supervisionado, Oficinas Pedagógicas, Teatro, Lugar, Paisagem

Resumo

Este artigo aborda experiências do Estágio Supervisionado em Geografia II do curso de licenciatura
em Geografia da Universidade do Estado da Bahia, Campus IV, destinado às ações educativas em
espaços não escolares, evidenciando as possibilidades e desafios de ensinar e aprender na
modalidade remota, no contexto da pandemia da Covid-19. Foi utilizada a metodologia da
pesquisa-ação com intervenção por meio de oficinas pedagógicas. O trabalho objetivou responder
como os conceitos de lugar e paisagem podem ser apreendidos através do teatro. O lócus da
pesquisa foi o Grupo de Teatro Artefato, integrante da Associação Cultural e Arte-Educativa de
Serrolândia-BA, com a participação de 11 pessoas. Para a obtenção de dados, foram realizadas
atividades síncronas e assíncronas, através da utilização de ferramentas de comunicação como o
Google Meet e WhatsApp, jogos teatrais, dinâmicas, produção de textos, construção de mapas
mentais e diário de bordo digital. Os resultados da pesquisa revelam que a realização do estágio
no formato remoto potencializou o conhecimento, tanto da estagiária como dos participantes das
oficinas, e proporcionou eficiência nas práticas pedagógicas, mesmo com o isolamento entre os
participantes das oficinas, pois, em meio aos desafios, e adaptação de atividades, as oficinas
assumiram o papel de apresentar uma proposta alternativa e dinâmica de aprendizagem,
possibilitando o processo de reflexão das vivências, através de atividades lúdicas, tendo o teatro
como fio condutor para a discussão dos conceitos da ciência geográfica lugar e paisagem.

Referências

BOAL, Augusto. O arco Íris do desejo o método Boal de teatro e terapia. Rio de Janeiro: civilização Brasileira,1996.

BUARQUE, Chico. Os saltimbancos. In: Buarque, Chico. Programa de Os Saltimbancos. São Paulo s/e, 1980.p.25-41.

BURLA, Gustavo; AGUIAR, Valéria Trevizani Burla de. O teatro e o ensino de Geografia. 10º Encontro Nacional de Prática de Ensino em Geografia- ENPEG. Anais. Porto Alegre: 2009. Disponível em: https://silo.tips/download/o-teatro-e-o-ensino-de-geografia. Acesso 30 de abr. 2022.

CORRÊA, Roberto Lobato. Espaço: um conceito-chave da Geografia. In: CASTRO, Iná Elias de; GOMES, Paulo Cesar da Costa. CORRÊA, Roberto Lobato. Geografia: conceitos e temas. – 6ª ed. – Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003. p.15-47.

CRESSWELL, Tim. Place: a short introduction. London: Wiley-Blackwell, 2004.

DIMENSTEIN, Gilberto. O Cidadão de Papel: a infância, a adolescência e os Direitos Humanos no Brasil. São Paulo: Ática, 1956.

FRANCISCHETT, Mafalda Nesi. A prática do ensino de Geografia através de oficinas pedagógicas. Faz Ciência: Educação. Vol. 4 nº 1, 2002. P.103-108.

HOLZER, Werther. A geografia humanista: uma revisão. Espaço e Cultura, Edição Comemorativa, p.137-147, 1993-2008.

MATTAR.João. Interatividade e aprendizagem. In: LITTO, F. M., FORMIGA, M. (Orgs.). Educação a distância: o estado da arte. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2009.

MIZUKAMI, Maria da Graça, Nicoletti. Ensino: Abordagens do processo. São Paulo, 1986.

PEREIRA, Diamantino. Paisagens, Lugares e espaços; a geografia no ensino básico. Boletim Paulista de Geografia. São Paulo, n. 79, p. 9-21, 2003. Disponível em: https://www.google.com/search?q=PEREIRA%2C+DIAMANTINO.+Paisagens%2C+Lugares+. Acesso: 23 de jun.2021.

NUNES. Marcone D. dos REIS; SANTOS, Ivaneide S. dos; MAIA, Humberto C. A. (Orgs). Geografia e Ensino aspectos contemporâneos da prática e da formação docente. Salvador: Eduneb 2018.

PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e Docência, São Paulo: Cortez, 2004.

SANTOS, Milton. Metamorfoses do espaço habitado, fundamentos teóricos e metodológicos da geografia. São Paulo: Hucitec, 1998.

SANTOS, Ivaneide S. dos; SANTOS. Laiane O. Interações entre teatro e geografia na prática da educação geográfica. Revista Brasileira de Educação em Geografia, Campinas, v. 10, n. 20, p. 475-497, jul./dez., 2020. Disponível em: file:///D:/Downloads/762-Texto%20do%20artigo-2829-1-10-20210111.pdf. Acesso: 08 de maio. 2021.

SANTOS, Ivaneide S. dos; NUNES. Marcone Denys dos Reis. Estágio Supervisionado na Licenciatura em Geografia: Demandas e Significações entre a “burocracia” da Regência de Ensino e a Intervenção nos espaços não formais. In: IX Congresso Nacional NEPEG de formação de professores de geografia. Anais... Goiânia. 2018. Disponível em: < http://nepeg.com/newnepeg/wp-content/uploads/2017/02/GT1_20_Est%C3%A1gio-supervisionado-na-licenciatura-em-Geografia-demandas-e-significa%C3%A7%C3%B5es-entre-a-%E2%80%9Cburocracia%E2%80%9D-da-reg%C3%AAncia-de-ensino-e-a-interven%C3%A7%C3%A3o-nos-espa%C3%A7os-n%C3%A3o-formais.pdf>. Acesso: 19 de jul. 2021.

SILVA, Ana Margarete G. da; SANTOS, Jean da Silva. Estágio como prática social de formação sociopolítica no campo da geografia. In: NUNES, Marcone Denys dos Reis; SANTOS, Ivaneide Silva dos; MAIA, H. C. A. Ensino de Geografia: outros olhares e práticas nos percursos formativos. 1. ed. Salvador, BA: EDUNEB, 2019. P. 85-105.

THIOLLENT, Michel. Metodologia da Pesquisa-ação. São Paulo: Cortez, 1986.

TUAN, Yi-fu. Topofilia: Um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. Tradução de Lívia de Oliveira. Rio de Janeiro: Difel, 1980.

OLIVEIRA, Livia. O sentido de lugar. In: MARANDOLA JR., E.; HOLZER, W.;

OLIVEIRA, L. Qual o espaço do lugar? Geografia, epistemologia, fenomenologia.

São Paulo: Perspectiva, 2012. p. 3-16.

VIEIRA, Elaine; VOLQUIND, Lea. Oficinas de ensino: O quê? Por quê? Como? 4. Ed. Porto Alegre: Edipucrs, 2002.

Downloads

Publicado

2022-10-25

Como Citar

Silva, N. A., & Santos, I. S. (2022). Oficinas Pedagógicas no Estágio Supervisionado em Geografia em Espaços Não Escolares: Desafios e Possibilidades da Modalidade Remota. Revista Geoaraguaia, 12(especial), 142-161. Recuperado de https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/geo/article/view/13661