Os Métodos de Valoração Como Instrumento de Redução dos Danos Ambientais: Uma Aproximação Teórica

Autores

Palavras-chave:

Degradação Ambiental, Economia Ambiental, Economia Ecológica, Métodos de Valoração.

Resumo

Este artigo tem como objetivo discutir as abordagens teóricas e metodológicas dos métodos de valoração ambiental com viés da economia ambiental e da economia ecológica, bem como sua aplicabilidade como instrumento para o tratamento das questões relacionadas à degradação ambiental. Reconhece-se a iminência de medidas que possibilite proteger os ecossistemas, um objetivo que pode ser alcançado através de caminhos que introduzam novos paradigmas e leituras sobre as relações economia-natureza. Os estudos de valoração ambiental na economia precisam avançar e ganhar novos embasamentos.

Biografia do Autor

Tiago Estevam Gonçalves, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará-IFCE

Possui graduação em Geografia/ Licenciatura pela Universidade Federal do Ceará (2006), graduação em Geografia/ Bacharelado pela Universidade Federal do Ceará (2007) e mestrado em Geografia pela Universidade Federal do Ceará (2009). Possui Doutorado em Geografia na Universidade Federal do Ceará (2017). É professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE). Realizou o estágio de doutoramento na Universidade de Lisboa. Atua como pesquisador no Observatório das Metrópoles-Fortaleza. Participa do Laboratório de Planejamento Urbano e Regional da Universidade Federal do Ceará. Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Geografia Urbana e Geografia do Comércio e Consumo, atuando, principalmente, nos seguintes temas: shopping center, novas centralidades, centralidade, consumo e espaço urbano.

Djane de Souza Lima Gonçalves

Mestre em Gestão de Empresas- Planejamento e Estratégia Empresarial na Universidade Autónoma de Lisboa. Graduada em Ciências Econômicas na Universidade Federal do Ceará. Experiência nos seguintes temas: valoração ambiental, valoração ecológica, desenvolvimento regional, desenvolvimento local, empreendedorismo, terceiro setor e metodologia do retorno social do investimento-SROI.

Tatiane Rodrigues Carneiro, Labomar-UFC

 

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Ciências Tropicais Marinhas- Labomar, Universidade Federal do Ceará. Possui graduação em Gestão de Turismo pelo Instituto Federal do Ceará - IFCE (2007), graduação em Geografia Bacharelado pela Universidade Estadual do Ceará (2008) e mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela Universidade Federal do Ceará (2010). Atualmente é professora substituta do Instituto Federal do Ceará. Atua principalmente nos seguintes temas: turismo, eventos, organização e planejamento turístico, educação ambiental, meio ambiente, planejamento urbano, impactos socioambientais do turismo, atrativo turístico e educação.

Referências

ALIER, J. M. Ecological economics. Anais... International Encyclopedia of the Social and Behavioral Sciences, 2013.

ANDRADE, D. C.; ROMEIRO, A. R. Serviços ecossistêmicos e sua importância para o sistema econômico e o bem-estar humano. Texto para discussão. Instituto de economia, UNICAMP, n.155, fev. 2009. Disponível em: http://www.eco.unicamp.br/publicações/textos. Acesso em: 07 mar. 2013

COMUNE, A. E. Meio ambiente, economia e economistas: uma breve discussão. In: MAY, P. H.; MOTTA, R. S. da (org.). Valorando a natureza: análise econômica para o desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro: Campus, 1994.

COSTANZA, R. economia e ecológica: uma agenda de pesquisa. In: MAY, P. H.; MOTTA, R. S. da. (org.). Valorando a natureza: análise econômica para o desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro: Campus, 1994.

FAUCHEUX, S.; NOËL, J-F. Economia dos recursos naturais e do meio ambiente. Lisboa, Instituto Piaget, 1995.

FERNANDEZ, B. P. M. Ecodesenvolvimento, desenvolvimento sustentável e economia ecológica: em que sentido representam alternativas ao paradigma de desenvolvimento tradicional?. Desenvolvimento e Meio Ambiente, [S.1], v.23,jul.2011.Disponível em: < http://ojs.c3sl.ufpr.br/ojs/index.php/made/article/view/19246>.Acesso em: 31 Ago. 2015. doi:10.5380/dma.v23i0.19246

MAIA, A. G.; ROMEIRO, A. R.; REYDON, B. P. Valoração de recursos ambientais: metodologias e recomendações. Texto para discussão. Campinas, março 2004. Disponível em: <http://www.eco.unicamp.br/publicações/textos>. Acesso em: 07 mar. 2013

MAY, P. H. Economia ecológica, aplicações no Brasil. Rio de Janeiro. Ed. Campus, 1995.

MOTTA, R. S. da. Economia ambiental. Rio de Janeiro, Fundação Getúlio Vargas, 2006.

MUELLER, C. C. Os economistas e as relações entre o sistema econômico e o meio ambiente. Brasília: Editora UNB, 2007.

ODUM, E.P.; BARRET, G. W. Fundamentos de ecologia. São Paulo. Thompson learning ed. 2007.

ORTIZ, R. A. Valoração Econômica Ambiental. In: MAY, Peter Herman; LUSTOSA, Maria Cecília; VINHA, Valéria da. (org). Economia do meio ambiente. Rio de Janeiro, Campus, 2003.

PAIVA, R. F. P. S. As dimensões de valor dos recursos naturais e os métodos de valoração. Anais... IX Encontro da sociedade brasileira de economia ecológica, ECOECO, Brasília, 2011.

PATTERSON, M. G. Ecological production based pricing of biosphere processes. Ecological Economics. Elsevier, New Zealand, v.41, 2002, p. 457-478. Disponível em: http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.194.8990&rep=rep1&type=pdf Acesso em: 26 de outubro. 2013.

ROMEIRO, A. R. Economia ou economia política da sustentabilidade In: MAY, P. H.; LUSTOSA, M. C.; VINHA, V. da. (org). Economia do meio ambiente. Rio de Janeiro, Campus, 2003.

Downloads

Publicado

2021-06-25

Como Citar

Gonçalves, T. E., Gonçalves, D. de S. L., & Carneiro, T. R. (2021). Os Métodos de Valoração Como Instrumento de Redução dos Danos Ambientais: Uma Aproximação Teórica. Revista Geoaraguaia, 11(1), 215-235. Recuperado de https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/geo/article/view/10260

Edição

Seção

Artigos