Monitoramento ambiental de metais pesados em macrófita aquática pela análise de Espectrometria de Absorção Atômica – AAS na Bacia do Rio Cascavel, Guarapuava, PR

Autores

Palavras-chave:

biogeografia aplicada, ecologia, análise ambiental, química analítica

Resumo

Metais pesados são um dos poluentes mais comuns em ambientes aquáticos, sendo os córregos urbanos um dos exemplos mais claros de como as atividades humanas podem modificar tal meio. O presente trabalho tem por objetivo avaliar a concentração de total de Zn (Zinco), Mg (Magnésio), Chumbo (Pb), Cr (Cromo), Manganês (Mn) e Ni (Niquel) analisada conforme FAAS - “Flame Atomic Absorption Spectrometry”, na planta aquática Egeria densa, presente no trecho urbano da bacia do rio Cascavel, Guarapuava, PR; e objetivos específicos discutir preliminarmente as potenciais fontes potenciais de contaminação no meio urbano, além de obter parâmetros físico químicos da água. Os elementos zinco, cromo, magnésio, chumbo e níquel apresentaram maior potencial de emissões nos primeiros pontos de coleta a jusante, fato este associado à proximidade da zona industrial de Guarapuava. O decréscimo de condutividade e sólidos totais dissolvidos nos pontos amostrais à montante correspondem à menor topografia da área de estudo, com término do trecho urbano da bacia do Rio Cascavel em direção à ETE-Estação de Tratamento de Esgoto. A metodologia utilizada mostrou-se um instrumento eficaz de pesquisa e avaliação ambiental, podendo as macrófitas aquáticas ser base para estudos de biomonitoramento de ambientes impactados por metais pesados.

Biografia do Autor

Glauco Nonose Negrão, UNICENTRO - Universidade Estadual do Centro- Oeste, Guarapuava, PR

Geógrafo, registro profissional CREA PR-119245/D, graduação (licenciatura e bacharelado) em Ciências Biológicas com ênfase em biotecnologia pela Universidade Paranaense (2005), graduação (licenciatura) em Geografia pela Universidade Estadual de Maringá (2005), especialização lato sensu em Gestão Ambiental pela Faculdade Estadual de Ciências e Letras de Paranavaí (2006), mestrado em Geografia da Saúde pela Universidade Estadual de Maringá (2009) e doutorado em Geografia da Saúde pela Universidade Estadual de Maringá (2013). Foi coordenador do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental da Faculdade de Tecnologia e Ciências do Norte do Paraná - FATECIE, Paranavaí, PR, professor colaborador T-20 da UNESPAR - Universidade Estadual do Paraná - Campus Fafipa, entre março de 2010 a abril de 2013, professor colaborador T-20 da UNESPAR - Universidade Estadual do Paraná - Campus Fecilcam, entre março de 2008 a janeiro de 2010 e professor colaborador na Faculdade de Tecnologia e Ciências do Norte do Paraná - FATECIE, entre junho de 2008 a fevereiro de 2013. Atualmente é Professor Adjunto nível B, vice-chefe do Departamento de Geografia (DEGEO) da Universidade Estadual do Centro-Oeste - UNICENTRO, a partir de fevereiro de 2019, sendo anteriormente professor colaborador T-40, Regime TIDE, de abril de 2013 à agosto de 2015 pela mesma instituição e departamento. Também foi pós doutorando pelo Programa de Pós-graduação em Geografia - UNICENTRO, através do Programa Nacional de Pós-Doutorado - PNPD, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES, a partir de julho de 2013 a setembro de 2014. Tem experiência na área de Geografia e Ciências Biológicas, lecionando e pesquisando principalmente nos seguintes temas: geografia da saúde, biogeografia, ecologia, planejamento e gestão ambiental, auditoria e perícia ambiental.

Referências

AHMAD, K.; AZIZULLAH, A.; SHAMA, S.; KHATTAK, M. N. K. Determination of heavy metal contents in water, sediments, and fish tissues of Shizothorax plagiostomus in river Panjkora at Lower Dir, Khyber Pakhtunkhwa, Pakistan. Environmental Monitoring and Assessment, v. 186, p. 7357-7366, 2014.

ALFASANE, M.A.; et al 2010. Egeria densa Planchón: a new report for Hydrocharitaceae of Bangladesh. Bangladesh, J. Plant Taxon. 17(2): 209-213.

AMORIM, Fábio Alan Carqueija; et al. Espectrometria de absorção atômica: o caminho para determinações multi-elementares. São Paulo, Quím. Nova vol. 31 n.7, 2008.

ARAI, T.; OHJI, M.; HIRATA, T. Trace metal deposition in teleost fish otolith as an environmental indicator. Water, Air and Soil Pollution, v. 179, p. 255-263, 2007.

ARIAS, A. R. L.; et al. Utilização de Bioindicadores na avaliação de impacto no monitoramento da contaminação de rios e córregos por agrotóxicos. Ciência e Saúde coletiva. Associação Brasileira de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, 2007.

AYOADE, J.O. Introdução à climatologia para os trópicos. Rio de Janeiro: Editora Bertrand Brasil, 1983.

BATISTA, F. G. A; FREIRE J. A. Avaliação de metais pesados no corpo aquático do Açude Velho: Campina Grande-Paraíba. Engenharia Ambiental, Espírito Santo do Pinhal, v. 7, n. 4, p. 166-179, 2010.

BRAILE, P.M. & CAVALCANTI, J.E.W.A. Manual de tratamento de águas residuárias industriais. CETESB, 1993, apud HAYASHI, A.M. Remoção de cromo hexavalente através de processos de biossorção em algas marinhas. Tese de Doutorado – Universidade Estadual de Campinas, Campinas-SP, 2001.

BRASIL. Conselho Nacional do Meio Ambiente. Resolução Nº 430, de 13 de maio de 2011. Dispõe sobre as condições e padrão de lançamento de efluentes complementa e altera a Resolução nº 357, de 17 de março de 2005, do Conselho Nacional do Meio Ambiente. CONAMA. Diário Oficial da União, n. 92, 16 maio 2011, p. 89. Brasília, 2011.

BRASIL. Portaria nº 685, de 27 de agosto de 1998. Princípios Gerais para o Estabelecimento de Níveis Máximos de Contaminantes Químicos em Alimentos. Disponível em: https://www.univates.br/unianalises/media/imagens/Anexo_XI_61948_11.pdf Acesso em 29 de abril de 2018.

CETESB. Valores orientadores para solo e água subterrânea. São Paulo: CETESB, 2005.

DEAN, J.G.; BOSQUI, F.L.; LANOUETTE, V.H. Removing heavy metals from wastewater. Environmental Science & Technology, v. 6, p. 518-522, 1972.

DIVAN JUNIOR, A. M., et al. Using wild plant species as indicators for the accumulation of emissions from a thermal power plant, Candiota, South Brazil. Ecological Indicators, 9, 1156–1162, 2009.

FAO. FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION OF THE UNITED NATIONS. Maize in human nutrition. Rome, 1992. Disponível em: http://www.fao.org/docrep/t0395e/T0395E00.htm, Acesso em 28 de abril de 2018.

GONÇALVES, Mariane Furtado; KISHI, Regina Tiemy; FERNANDES. Cristóvão Vicente Scapulatempo. Poluição por metais pesados na bacia do rio Barigui, estado do Paraná. Porto Alegre, REGA, v. 13, n. 2, p. 175-185, jul./dez. 2016.

IPARDES. Caderno Estatístico Município de Guarapuava. Junho de 2018. Disponível em: http://www.ipardes.gov.br/cadernos/MontaCadPdf1.php?Municipio=85000. Acesso em 03 de junho de 2018.

KABATA-PENDIAS, A., & PENDIAS, H. Trace Elements in Soils and Plants. 3rd Edition, CRC New York: Press, 2001.

KARNITZ JÚNIOR, O. Modificação química no bagaço de cana e celulose usando anidro de EDTA: uso destes materiais na adsorção de metais pesados em solução aquosa. 2007. (Dissertação de Mestrado) - Universidade Federal de Ouro Preto - SP.

MAACK, Reinhard. Geografia física do Estado do Paraná. Ponta Grossa: Editora UEPG, 2002. 4.ed.

MAHMOOD, A., RASHID, S., MALIK, R. N. Determination of toxic heavy metals in indigenous medicinal plants used in Rawalpindi and Islamabad cities, Pakistan: Journal of Ethnopharmacology, pag. 148, 158–164. 2013.

MALAVOLTA, E. Fertilizantes e seu impacto ambiental: micronutrientes e metais pesados – mitos, mistificação e fatos. Piracicaba: Produquímica, 1994. 153p.

OLIVEIRA, N. M. B. et al. Capacidade de regeneração de Egeria densa nos reservatórios de Paulo Afonso, BA. Planta Daninha, v. 23, n. 2, p. 7-13, 2005.

OLOWOYO, J.O., et al. Uptake and translocation of heavy metals by medicinal plants growing around a waste dump site in Pretoria, South Africa. South African Journal of Botany, 78, 116–121. 2012.

PERES, Cleto Kaveski, et al. Diagnóstico da qualidade da água do Rio Cascavel, município de Guarapuava, Estado do Paraná. Ambiência Guarapuava, PR, v.4 n.1 p.25-35 jan./abr. 2008.

PIO, M. C. S. da; SOUZA, K. S. dos; SANTANA, G. P. Capacidade da Lemna aequinoctialis para acumular metais pesados de água contaminada. Acta amazônica, v. 43, n. 2, p. 203-210, 2013.

RODELLA, R. A. et al. Diferenciação entre Egeria densa e Egeria najas pelos caracteres anatômicos foliares. Planta Daninha, v. 24, n. 2, p. 211-220, 2006.

SANTOS, D.M., et al. Avaliação de Metais Pesados na Baía de Paranaguá, PR, Brasil, sob Influência das Atividades Antrópicas. Journal Brazilian Society Ecotoxicology, 1:157- 160. 2006.

SANTOS, Gustavo Henrique Fidelis. Utilização da espectroscopia PIXE na avaliação do mecanismo de biossorção dos íons Cu2+, Zn2+, Cd2+ pela macrófita Egeria densa. 2012. (Dissertação de Mestrado) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná. Campus de Toledo. Centro de Engenharias e Ciências Exatas. Toledo, PR: [s. n.].

SIPAÚBA-TAVARES, L. H.; BRAGA, F. M. S. Constructed wetland in wastewater treatment. Acta Scientiarum. Biological Sciences, v. 30, n. 3, p. 261-265, 2008.

SHARMA, P. & DUBEY, R.S. Lead toxicity in plants. Braz. J. Plant Physiol. 17(1): 35- 52. 2005.

THOMAZ, E. L. VESTENA, L. R: Aspectos Climáticos de Guarapuava-PR. Guarapuava: UNICENTRO, 2003.

TORRES, Vidal Felix Navarro. Engenharia ambiental subterrânea e aplicações. Rio de Janeiro: CETEMCYTED, 2005.

Downloads

Publicado

2021-06-25

Como Citar

Negrão, G. N., Oliveira, B. H. M., & Butik, M. (2021). Monitoramento ambiental de metais pesados em macrófita aquática pela análise de Espectrometria de Absorção Atômica – AAS na Bacia do Rio Cascavel, Guarapuava, PR. Revista Geoaraguaia, 11(1), 338-354. Recuperado de https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/geo/article/view/8208

Edição

Seção

Artigos