PLANTAS MEDICINAIS EM COMUNIDADE TRADICIONAL RIBEIRINHA. CUIABÁ – MT

Autores

  • Rita Baldini da Costa
  • Bruna Gusmão Camilo
  • Aryele Messias Toro
  • Rubia Auxiliadora Corillo Munhões
  • Ediele Mayara do Vale Bastos

Resumo

O presente trabalho teve como objetivo fazer um levantamento etnobotânico sobre as plantas medicinais utilizadas na comunidade de São Gonçalo Beira Rio localizada no municipio de Cuiabá MT, analisando a relevância do saber popular na comunidade local. A coleta dos dados foi realizada no mês de janeiro de 2018. Foram aplicadas entrevistas aos moradores da comunidade para saber se eles fazem o uso de plantas medicinais, quais plantas são mais utilizadas e se elas são cultivadas. Foram entrevistados 22 moradores de 15 á 89 anos de idade, homens e mulheres que costumam fazer o uso de plantas medicinais no dia a dia. Os dados obtidos proporcionaram uma lista de plantas variadas que são utilizadas como remédio, sendo a mais citada Peumus boldus (boldo) com 11 citações, seguida da Cymbopogon citratus (capim cidreira) e Dysphania ambrosioides (Erva de Santa Maria) com seis citações cada. Diante da realidade pode-se dizer que na comunidade está havendo uma mudança dos costumes tradicionais e dos saberes populares em relação ao uso das plantas medicinais locais.

Biografia do Autor

Rita Baldini da Costa

Graduandos do Curso de Ciências Biológicas. Instituto de Biociências. Universidade Federal de Mato Grosso. UFMT. Cuiabá, MT

Bruna Gusmão Camilo

Graduandos do Curso de Ciências Biológicas. Instituto de Biociências. Universidade Federal de Mato Grosso. UFMT. Cuiabá, MT

Aryele Messias Toro

Graduandos do Curso de Ciências Biológicas. Instituto de Biociências. Universidade Federal de Mato Grosso. UFMT. Cuiabá, MT

Rubia Auxiliadora Corillo Munhões

Graduandos do Curso de Ciências Biológicas. Instituto de Biociências. Universidade Federal de Mato Grosso. UFMT. Cuiabá, MT

Ediele Mayara do Vale Bastos

Graduandos do Curso de Ciências Biológicas. Instituto de Biociências. Universidade Federal de Mato Grosso. UFMT. Cuiabá, MT

Downloads

Publicado

2018-04-22

Edição

Seção

Artigos