Biodiversidade https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade <span>A Revista </span><strong><em>BIODIVERSIDADE</em></strong><span> é publicada pelos Grupos de Pesquisa : PCR –</span><em>Percevejo Castanho das Raízes</em><span> e ESCER – </span><em>Estudando o Cerrado</em><span>, do Departamento de Ciências Biológicas, C</span><em>ampus </em><span>de</span><em> </em><span>Rondonópolis da Universidade Federal do Mato Grosso. Esta revista de amplitude biológica, universal, tem como objetivo levar informações aos diversos segmentos de ensino e pesquisa voltados para as diferentes áreas do conhecimento científico e tecnológico.</span> pt-BR maurosvaldo@bol.com.br (Mauro Osvaldo Medeiros) marcelokimura99@gmail.com (Marcelo Kimura) Tue, 14 Sep 2021 00:00:00 +0000 OJS 3.2.1.1 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 EDITORIAL https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/12941 <p>A Revista Biodiversidade é uma realização sem fins lucrativos, fundada em 2002, que tem como principal proposta fomentar e realizar intercâmbios e pesquisas sobre a diversidade biológica. Ela congrega professores/as, alunos/as de graduação e pós-graduação, profissionais, pesquisadores/as.</p> <p>Esta é a terceira edição em 2021 e temos a satisfação de apresentar a vocês pesquisas inseridas nos mais diversos temas, e mais uma vez, com estudos e pesquisadores de diferentes áreas do país, o que constitui uma amostra expressiva de autores.&nbsp; Assim, os leitores desta edição contam com autores representando estudos desenvolvidos em todas as regiões do país.</p> <p>O termo biodiversidade ou diversidade biológica refere-se à toda a variedade de vida, desde micro-organismos até animais e plantas, nos seus diferentes níveis, e dos ambientes nos quais estão inseridos. É o conjunto de espécies que estabelece uma inter-relação na qual cada ser, por mais simples que seja, tem uma função fundamental na composição de um ecossistema.</p> <p>A biodiversidade funciona como uma máquina, em que animais e vegetais são suas engrenagens. Por exemplo, se uma espécie de vegetal for comprometida, poderá ocasionar a extinção daquele animal que o tem como base de sua dieta. Esse animal que se extinguiu, por sua vez, possuía uma função na cadeia alimentar ou na própria natureza.</p> <p>Entre as causas da perda de biodiversidade, destacam-se a destruição de habitat, a contaminação da água, do solo e do ar, o aquecimento global e a introdução de espécies exóticas.</p> <p>O homem com toda sua capacidade de desenvolver tecnologias, não consegue recriar um habitat que ele mesmo danificou.</p> <p>Assim, é importante saber que a perda de biodiversidade, ameaça o funcionamento dos ecossistemas da Terra e, inclusive, a sobrevivência dos seres humanos, de acordo com um estudo publicado na revista científica americana Science. Em 58% da superfície terrestre, onde vive 71% da população mundial, “o nível de perda de biodiversidade é substancial o suficiente para questionar a capacidade dos ecossistemas de suportar as sociedades humanas”, alerta o estudo.</p> <p>Por esse motivo, a diversidade biológica deve ser protegida em geral, seja por meio da conscientização ambiental, das políticas corretas e da pesquisa científica, a fim de divulgar as ações protetoras sobre a diversidade biológica no mundo atual.</p> <p>&nbsp;</p> <p>De mesmo modo, convidamos a todos os leitores e pesquisadores da área para contribuírem nos números que esperamos editar no futuro.</p> <p>&nbsp;</p> <p>Agradecemos a todos por compartilhar esta terceira edição de 2021.</p> <p>&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> <p>Dra. Elza Amélia de Souza</p> <p>Prof. Associada do Dep. de Biologia/ICEN/UFR</p> <p>&nbsp;</p> <p>Marcelo Teiji Kimura</p> <p>Membro do Conselho Editorial/Revista Biodiversidade</p> Elza Amélia de Souza, Marcelo Teiji Kimura Copyright (c) 2021 https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/12941 Wed, 15 Sep 2021 00:00:00 +0000 CONTRIBUIÇÕES DO PROJETO RADIS/UFMT PARA A CONSERVAÇÃO AMBIENTAL NO ESTADO DE MINAS GERAIS: OLHARES PARA A FORMAÇÃO DE CORREDORES ECOLÓGICOS https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/12943 <p>A questão ambiental dos assentamentos rurais está ligada a perspectiva de qualidade de existência de matas nativas, áreas de nascentes e cursos d’água e, uma das alternativas para conservação e preservação ambiental reside na formação de corredores ecológicos. Como objetivo busca-se ressaltar como os Programas de regularização Ambiental - PRA de assentamentos rurais podem contribuir com a formação de corredores ecológicos e com a vida do agricultor familiar, bem como na preservação e manutenção de biomas e ecossistemas. Ao compreendermos a necessidade de construir ou de se manter a conectividade entre diferentes áreas de preservação (corredores ecológicos), estamos subsidiando a manutenção da biodiversidade, e utilizando dos instrumentos legais pertinentes em conjunto com um público-alvo, que são os agricultores familiares, buscando uma nova relação sociedade natureza.</p> Giseli Dalla Nora, Paulo Cesar Venere, Luciane Cleonice Durante, Onélia Carmem Rossetto Copyright (c) 2021 https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/12943 Wed, 15 Sep 2021 00:00:00 +0000 PLANTAS CULTIVADAS EM HORTAS RESIDENCIAIS: CONTRIBUIÇÕES PARA A SUSTENTABILIDADE EM UMA CIDADE DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO, BRASIL https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/12944 <p>A etnobotânica estuda a relação entre o ser humano e o cultivo de plantas. Por meio dela, é possível explorar o conhecimento sobre uma infinidade de plantas com potenciais farmacológicos; plantas que podem ser utilizadas na alimentação, como condimentos e outras utilidades; plantas para fins ornamentais e plantas mágicas que possuem simbologia ou que sejam utilizadas em rituais religiosos. O presente estudo teve como objetivo identificar as plantas cultivadas em quintais da Vila Jaguaribe, em Osasco, SP, Brasil, relacionando-as com os seus respectivos usos. Para tanto, utilizou-se um roteiro estruturado e o método denominado turnê guiada. Foram realizadas 50 entrevistas, sendo identificadas 71 famílias botânicas, sendo as mais frequentes: Araceae, com 10,9%; Lamiaceae, com 7,4%; Cactaceae, com 6,1%; Orchidaceae, com 5,8% e Arecaceae, com 4,2%, divididas em 225 espécies e 570 espécimes. Em relação aos usos, 87,54% foram consideradas ornamentais pelos entrevistados; 5,61% alimentícias; 5,26% medicinais e 1,58% de plantas mágicas. Os resultados indicam uma densa e rica variedade de espécies cultivadas, as quais contribuem para a promoção da sustentabilidade e inclusão do verde em ambiente urbano do município de São Paulo.</p> Guilherme Nogueira Martins , Ana Paula Branco do Nascimento , Maria Solange Francos Copyright (c) 2021 https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/12944 Wed, 15 Sep 2021 00:00:00 +0000 PADRÃO DE ATIVIDADE DE VOO NOTURNO DE MARIPOSAS ARCTIINI (LEPIDOPTERA, NOCTUOIDEA, EREBIDAE, ARCTIINAE) NO PARQUE NACIONAL DA SERRA DO PARDO https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/12945 <p>Avaliamos a atividade noturna de voo de mariposas Arctiini com armadilhas luminosas no Parque Nacional da Serra do Pardo (PARNA Serra do Pardo) em São Félix do Xingu, Pará. Este trabalho estudou a distribuição das mariposas Arctiini durante toda a noite, pelo período de três dias de coleta (24, 25 e 27/IX/2011), com armadilhas luminosas, no Parque Nacional da Serra do Pardo. Fez-se análises da composição de espécies e, correlação, regressão simples e circulares, utilizando dados de riqueza (S) e abundância (N) coletadas em cada intervalo de horário das 18h às 06h. Foram capturados 1.291 indivíduos de 138 espécies, com representantes de cinco subtribos. A maioria das espécies (62,3%) ocorreu somente num horário. A maior riqueza foi as 22h (S= 31) e a maior abundância foi as 19h (N= 639). As análises revelaram que a para se obter a melhor composição de espécies deve-se coletar durante toda a noite, já se o intuito for obter um panorama de riqueza e abundância basta coletar no início da noite (19h -23h) como indicam os números e a análise circular. Os resultados da correlação e da regressão indicam que tanto a riqueza quanto a abundância de Arctiini capturadas por hora são influenciadas pela temperatura e umidade relativa.</p> José Augusto Teston Copyright (c) 2021 https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/12945 Wed, 15 Sep 2021 00:00:00 +0000 PRODUÇÃO DE SERRAPILHEIRA EM FLORESTA SECUNDÁRIA, CASTANHAL, PARÁ https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/12946 <p>A camada de serapilheira constitui importante via de retorno de nutrientes para os solos florestais, além de atuar na proteção dos solos, reter umidade e abrigar parte do banco de sementes. Este estudo teve o objetivo de avaliar a produção de serapilheira nos meses de junho a setembro de 2019, em floresta secundária, em Castanhal, Pará. Foram instalados doze coletores de madeira de 1 m<sup>2</sup> em quatro parcelas de 20 x 20 m em um fragmento de floresta em processo de regeneração natural. O material depositado nos coletores foi coletado uma vez por mês e levado ao laboratório para os procedimentos de triagem das frações, secagem e estufa, pesagem e protocolo do peso. A floresta apresentou média de produção igual a 17,46 Mg.ha<sup>-1</sup>. As folhas apresentaram maior média de produção igual a 11,73 Mg.ha<sup>-1</sup>, diferindo significativamente das demais frações. Não houve diferença significativa entre os meses da produção de serapilheira. Conclui-se que as folhas foram o principal componente para a formação da camada de serapilheira na floresta secundária em que o estudo foi conduzido.</p> Lucas Lázaro Cirineu Santos , Vanilza Marques Miranda , Elizane Alves Arraes Araújo , Lívia Gabrig Turbay Rangel Vasconcelos , Breno Pinto Rayol Copyright (c) 2021 https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/12946 Wed, 15 Sep 2021 00:00:00 +0000 UTILIZAÇÃO PRÁTICA DE UM MODELO DIDÁTICO SIMULANDO UMA TÉCNICA DE BANDAS DO DNA PARA ESTUDO COMPARATIVO DO VÍNCULO GENÉTICO HUMANO APLICADO AOS ESTUDANTES DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA UFR/MT https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/12947 <p>Os modelos didáticos vêm sendo úteis no ensino-aprendizagem de difícil entendimento como é o caso dos conteúdos de genética molecular. Dessa forma, o objetivo dessa prática foi demonstrar através de um modelo representativo, como a técnica de eletroforese de bandas do DNA pode ser utilizada na identificação da variabilidade genética entre pessoas e, como isso pode ser utilizado em exames de paternidade e maternidade, e assim, propiciar aos professores e alunos a utilização de materiais alternativos no ensino da genética molecular. Aplicou-se aos estudantes do 4<u><sup>o</sup></u> semestre do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas do Instituto de Ciências Exatas e Naturais, da Universidade Federal do município de Rondonópolis no Estado de Mato Grosso, uma atividade de modelagem e de questões com base na proposição da seguinte situação-problema: Um homem que era viúvo e atualmente casado com uma mulher divorciada constituíram uma família com seis filhos, entre os quais dois são filhos biológicos do casal, dois são filhos desta mulher com outro pai, um é filho biológico deste pai com outra mulher e um outro filho é adotivo. Conclui-se que foram vários os benefícios alcançados pela utilização da representação didática abordando o conteúdo de identificação pessoal e da verificação de vínculo genético entre indivíduos, utilizando a parte experimental da investigação do exame em DNA.</p> Mauro Osvaldo Medeiros, Sueli Maria Alves, Marcelo Teiji Kimura, Elza Amélia de Souza Copyright (c) 2021 https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/12947 Wed, 15 Sep 2021 00:00:00 +0000 A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO INTERDISCIPLINAR DE VIVÊNCIA NA FORMAÇÃO PROFISSIONAL https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/12948 <p>A universidade é composta por um importante pilar, que é o Ensino, a Pesquisa e a Extensão. Dentro das ciências florestais, a extensão universitária é a maneira de aproximar o estudante com a realidade de campo, e torna-se cada vez mais necessário que haja uma melhor execução deste pilar na universidade, pois é através da extensão universitária que o acadêmico interage melhor com a sociedade, conhecendo suas demandas. O Estágio Interdisciplinar de Vivência tem como objetivo proporcionar aos acadêmicos que o realizam uma melhor proximidade ao meio rural, atuando nas atividades realizadas nos assentamentos do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), em áreas onde encontra-se também o Movimento dos Atingidos por Barragens e em outros segmentos da via campesina.&nbsp; Este artigo objetiva através de relato, divulgar as experiências dos acadêmicos de Engenharia Florestal no Estágio Interdisciplinar de Vivência, realizado no estado do Pará, em 2015. Entre os dias 10 e 17 de julho de 2015, ocorreu o Estágio Interdisciplinar de Vivência (EIV) no Estado do Pará. O EIV baseou-se em uma metodologia de interação entre diversos cursos, como Engenharia Florestal, Agronomia, Biologia, Farmácia, Zootecnia, entre outros. O estágio aconteceu em três fases (preparação, vivência e avaliação). Este relato de caso está dividido em três fases, são elas: Relato de caso no Sistema de Produção Agroecológico (SAPO), Assentamento no Quilombo Zumbi dos Palmares e na Vila Espirito Santo, área do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB). O Estágio Interdisciplinar de Vivência (EIV) foi de grande importância para a formação profissional e humana de quem o realizou.</p> Lucas Lázaro Cirineu Santos, Talissa Magno Mendoza, Maíra Luciana Guimarães Conde, Carolina Rafaela Barroco Soares Copyright (c) 2021 https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/12948 Wed, 15 Sep 2021 00:00:00 +0000 EUNOTIACEAE KÜTZING (BACILLARIOPHYCEAE) EM CURSOS D’ÁGUA DE UMA REGIÃO DE CERRADO, CHAPADA DOS GUIMARÃES, MATO GROSSO – BRASIL https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/12949 <p>Esse estudo teve como objetivo avaliar a composição taxonômica de Eunotiaceae Kützing em cursos d’água do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães (PNCG) no Estado do Mato Grosso. As amostras foram coletadas em cinco estações de amostragem por meio de rede de plâncton 25 µm. Foram identificados 16 táxons de Eunotiaceae, pertencentes aos gêneros <em>Actinella </em>F.W.Lewis e <em>Eunotia </em>Ehrenberg. Quatro táxons foram identificados em nível genérico, portanto carecem de mais estudo, como análise em microscopia eletrônica de varredura ou análise populacional para a confirmação das espécies. O presente trabalho contribui para o conhecimento da distribuição da família no país e reforça a necessidade de estudos florísticos na região para a avaliação da biodiversidade, entendendo ser este conhecimento uma importante ferramenta para conservação de ecossistemas aquáticos.</p> Samiris Pereira da Silva, Lívia Franco da Costa, Márcia Teixeira Oliveira Copyright (c) 2021 https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/12949 Wed, 15 Sep 2021 00:00:00 +0000 LEVANTAMENTO DE MACROFUNGOS NA RESERVA NATURAL DE PALMARI, ATALAIA DO NORTE, AMAZONAS, BRASIL https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/12950 <p>A diversidade de fungos ainda é algo a ser explorado nas regiões de trópicos e principalmente em regiões de mata nativa da América do Sul, em especial a Amazônia. Sabe-se que esse estudo é considerado recente pela independência do Reino, em seu desligamento com os vegetais. Mesmo quando um fungo é conhecido pela ciência, sua biologia, frequentemente, não é compreendida; e, quando essa é parcialmente compreendida, o seu valor ecológico não é plenamente explorado. Devido a esse fator o objetivo desse trabalho foi realizar um levantamento das espécies de fungos encontradas na Reserva Natural de Palmari – Atalaia do Norte e contribuir com mais estudos voltados a esses seres, pois se sabe que há uma certa carência de estudos sobre eles. A pesquisa de campo foi realizada em janeiro de 2021, nas trilhas que foram trabalhadas foi utilizado transectos para demarcar as áreas de possíveis macrofungos. Foram encontradas 24 espécies, sendo as mais encontradas foram: <em>Mycena vulgaris</em>, <em>Marasmius cf. helvoloides</em>, <em>Auricularia auricula</em> e <em>Polyporus grammo cephalus</em>, divididas em 18 famílias com maior ocorrência na ordem Polyporales. Obteve resultados positivos, pois a reserva apresenta uma grande quantidade de substratos em decomposição, além de partes com grande umidade, possibilitando assim encontrar uma quantidade excessiva de macrofungos. O fato deste estudo realizado na Reserva Natural de Palmari revela diversas novas ocorrências para a região do Alto Solimões, pois demonstra a necessidade de estudos taxonômicos intensivos e mais específicos em diversas áreas do interior amazonense, para se conhecer a real diversidade de fungos macroscópicos da região.</p> Alexsander da Silva Patrício , Anita Yris Garcia Mendoza, Felipe Sant’ Anna Cavalcante, Vandreza Souza dos Santos, Renato Abreu Lima Copyright (c) 2021 https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/12950 Wed, 15 Sep 2021 00:00:00 +0000 AMOSTRAGEM DE ANFÍBIOS DE HÁBITOS FOSSORIAIS EM AMBIENTES ANTROPIZADOS https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/12951 <p>Anfíbios de hábitos fossoriais são pouco amostrados devido à dificuldade de encontro dos indivíduos, justificada pelo comportamento críptico destes. Isto implica na dificuldade de proposição do <em>status</em> de conservação das espécies de hábitos fossoriais, bem como no levantamento de dados populacionais destas. O presente projeto de pesquisa teve o objetivo de propor uma metodologia de coleta e amostragem para anfíbios fossoriais em ambientes antropizados. Para isso, foi realizado o acompanhamento de um profissional de limpeza de caixas de gordura em duas datas distintas no ano de 2020. Um total de 84 caixas de gordura foram avaliadas e nenhum anfíbio de hábito fossorial foi encontrado.&nbsp; Com base em uma observação pessoal dos autores, apoiada no encontro ocasional de um indivíduo de <em>E. cesarii</em> em uma caixa de gordura em um ambiente antropizado em 2018, esperava-se que nestes ambientes pudessem ser encontrados indivíduos da Ordem Gymnophiona, Família Caeciliidae e da Ordem Anura, Família Microhylidae. Os resultados do presente estudo apoiaram a hipótese de que a amostragem em caixas de gordura não é um método eficiente para amostragem de anfíbios de hábitos fossoriais em ambientes antropizados.</p> Breno De Oliveira Brocanello, Pedro Mathias de Almeida, Ana Beatriz Carollo Rocha Lima Copyright (c) 2021 https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/12951 Wed, 15 Sep 2021 00:00:00 +0000 UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO SOBRE A Ruta graveolens L. (RUTACEAE) https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/12952 <p>A arruda (<em>Ruta graveolens </em>L.), também conhecida como erva das bruxas é uma planta herbácea perene, com folhas e flores relativamente pequenas, de uma cor amarela esverdeada, com um aroma muito intenso e desagradável para a maioria das pessoas. A sua utilização como planta medicinal é evidenciada há tempos pré-históricos. Com indicações terapêuticas em distúrbios menstruais, na insuficiência venosa e em inflamações cutâneas sob a forma de infusão por via oral, e no combate de pragas como moscas e piolhos. O objetivo deste trabalho foi analisar as utilizações da arruda no contexto empírico, sistematizados em trabalhos publicados entre os últimos 10 anos. Para a obtenção dos dados foi feito uma busca nos periódicos da CAPES, classificando trabalhos que discutissem acerca da <em>Ruta graveolens </em>L. no seu mais variado uso.&nbsp; A análise dos dados revelou uma grande e diversificada forma de utilização da mesma, entre os quais o uso por meio de rezas, em prol da cura de males, doenças da alma, e questões voltadas para inflamações do trato respiratório. Como isso, a referida planta foi citada nos artigos analisados, por ser muito usada na medicina popular. De acordo com a pesquisa, a mesma possui propriedades farmacológicas, antibacteriana, cicatrizante, anti-inflamatória. Popularmente utilizada no uso afins de curas de doenças populares. Tornando-se uma pesquisa interessante, visto que através dos estudos de culturas, costumes e práticas cotidianamente pode ser feita novas descobertas e que a comprovação desses conhecimentos populares trazidos de antigas gerações até os dias atuais pode ser ampliada a fins científicos na produção de novos fármacos.</p> Felipe Augusto Marques de Freitas, Renato Abreu Lima Copyright (c) 2021 https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/12952 Wed, 15 Sep 2021 00:00:00 +0000 CRESCIMENTO INICIAL DE MUDAS DE Ceiba speciosa (A. ST. -HILL.) RAVENNA EM RESPOSTAS À ADUBAÇÃO NITROGENADA https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/12953 <p>Ceiba speciosa (A. St.-Hil.) Ravenna (Malvaceae) é uma espécie arbórea nativa, indicada para arborização urbana e recuperação de áreas degradadas, objetivou se avaliar o crescimento inicial do <em>Ceiba speciosa</em> (A. St. - Hill.) Ravenna em função de diferentes concentrações de nitrogênio. O experimento foi conduzido na Universidade Federal de Rondônia, utilizando como substrato um Latossolo Vermelho-Amarelo distrófico argiloso. O delineamento utilizado foi o inteiramente casualizado, com cinco tratamentos, sendo as concentrações de nitrogênio: 0, 200, 400, 600 e 800 mg.dm<sup>-3</sup>; com cinco repetições, onde cada tratamento era representado por 15 mudas. A adubação foi realizada com fertilizantes simples, sendo o nitrogênio na forma de ureia. As avaliações das mudas foram realizadas aos 45 dias após a semeadura. Os parâmetros analisados foram altura, diâmetro do coleto, comprimento da raiz e relação altura e diâmetro do coleto e após a tabulação foram ajustadas análise de regressão. Todos os dados foram inicialmente submetidos ao teste de normalidade e a homogeneidade de variâncias, ambos a 5% de significância, foram submetidos ao modelo de análise de variância de um delineamento inteiramente casualizado (p ≥ 0,95) e, no caso de constatadas diferenças significativas, ao teste de Tukey (p ≥ 0,95). Todas as variáveis responderam de forma cúbica a adubação nitrogenada, observou-se um efeito negativo da adubação nitrogenada no crescimento das mudas para as concentrações maiores de nitrogênio, todos os tratamentos apresentaram diferença significativa a 5% de probabilidade. Para a adubação nitrogenada de <em>C. speciosa</em> para produção de mudas recomenda-se as concentrações de 400 mg.dm<sup>-3</sup>.</p> Carolina Rafaela Barroco Soares, Deborah Regina Alexandre, Anderson Cristian Bergamin, Laysa Teles Vollbrecht, Micheli Leite Zanchetta, Lucas Lázaro Cirineu Santos Copyright (c) 2021 https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/12953 Wed, 15 Sep 2021 00:00:00 +0000 ESTUDO FLORÍSTICO NO PARQUE ESTADUAL DO SÍTIO DO RANGEDOR, UM FRAGMENTO FLORESTAL URBANO EM SÃO LUÍS, MARANHÃO, BRASIL https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/12954 <p>O presente estudo tem como objetivo realizar um levantamento da flora fanerogâmica de um fragmento florestal urbano em São Luís, Maranhão. O estudo foi realizado no Parque Estadual do Sítio do Rangedor (02°29’49” S 44°16’7” W) e as coletas ocorreram entre 2010 a 2011 e entre 2013 a 2015. O material coletado foi identificado com auxílio de literatura especializada. A grafia dos nomes das espécies e dos autores foi verificada no site da Flora do Brasil, além da classificação quanto à origem e status de conservação. Foram identificadas 176 espécies, 141 gêneros e 51 famílias. As famílias Fabaceae, Asteraceae, Euphorbiaceae, Poaceae, Rubiaceae, Arecaceae, Bignoniaceae, Malvaceae, Apocynaceae, Cyperaceae e Malpighiaceae apresentaram maior riqueza. Quanto ao status de conservação, 12 espécies foram classificadas como pouco preocupante. Em relação a origem das espécies, 145 são nativas do Brasil, 14 naturalizadas, quatro cultivadas e duas exóticas. Para as formas biológicas foram categorizadas 51 ervas, 46 árvores, 40 arbustos, 17 subarbustos, 12 trepadeiras, 8 palmeiras e 2 lianas. Diante disso, conhecer a flora da área mostra-se necessário para manutenção da paisagem local, contribuindo com informações sobre a riqueza vegetal desse fragmento florestal urbano.</p> Eduardo Bezerra de Almeida Jr, Ingrid Fabiana Fonseca Amorim, Camila dos Santos Pires, Hynder Lima de Souza, Thauana Oliveira Rabelo, Simone de Melo dos Santos, Gabriela dos Santos Amorim, Márcia Maria Corrêa Rêgo Copyright (c) 2021 https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/12954 Wed, 15 Sep 2021 00:00:00 +0000 MINERAÇÃO COMO TEMÁTICA DE PESQUISAS NA ÁREA DE ENSINO E DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA NO ÂMBITO DOS CONGRESSOS BRASILEIROS DE GEOLOGIA (2002-2018) https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/12955 <p>A mineração é uma das atividades econômicas que mais traz lucro e gera empregos no país, apesar de todos os benefícios associados, esta área ainda é mau vista por uma parcela da sociedade. Isto reflete também no âmbito acadêmico, onde mesmo na principal fonte de divulgação da área, as menções ainda são escassas, considerando que se a academia não auxilia na mudança de visão da sociedade, o ciclo vicioso de não haver divulgação e não considerar a mineração benéfica, permanece.</p> Sara Vieira Cardoso, Carlos Roberto dos Anjos Candeiro Copyright (c) 2021 https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/12955 Wed, 15 Sep 2021 00:00:00 +0000 ASPECTOS GENÉTICOS E ÉTICO-JURÍDICOS QUE ENVOLVEM O RECONHECIMENTO DA DIVERSIDADE BIOLÓGICA DECORRENTE DOS EFEITOS DA TRISSOMIA DO CROMOSSÔMO 21 FATOR CAUSAL DA SÍNDROME DE DOWN https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/12956 <p>Historicamente, as pessoas geradas com variações numéricas de cromossomos, são vítimas de diversos tipos preconceitos e têm sofrido com os entraves e as barreiras que dificultam a sua inclusão na sociedade ou com os limites impostos no exercício de seus direitos. Assim, esse trabalho teve como objetivo analisar a origem genética de pessoas com alteração numérica (2n + 1) e os aspectos éticos e jurídicos que envolvem a proteção integral do indivíduo enquanto pessoa, membro integrante da espécie humana, ante esse tipo de diversidade. A pesquisa teve o intuito de gerar conhecimentos para aplicação prática dirigida à solução de problema específico que permitem compreender a utilização de estudos cito genéticos de cariótipos como meio de prova de identificação de indivíduos que apresentam características peculiares da síndrome de Down. Quanto aos procedimentos técnicos foi uma pesquisa descritiva, comparativa, exploratória e por levantamento. A atividade investigativa foi realizada simulando um diagnóstico da Síndrome de Down que se faz através da análise genética denominada cariótipo.&nbsp; Conclui-se que a Síndrome de Down está associada a uma combinação diferenciada de cromossomos homólogos durante a fecundação, podendo ocorrer em qualquer família indiferente de raça, cor e classe social. A instituição do Estatuto da Pessoa com Deficiência, por meio da Lei&nbsp;13.146/15, significou uma alternativa para o avanço da igualdade social brasileira, visto que compreender juridicamente o portador da síndrome de Down é o primeiro passo para que o mesmo seja inserido socialmente, e consequentemente haja uma redução nos casos de preconceitos.</p> Lucas Pampana Basoli, Carla Battistetti Medeiros Basoli , Mariana Medeiros Candeloro , Paula Battistetti Medeiros Frohlich, Marcelo Teiji Kimura, Mauro Osvaldo Medeiros Copyright (c) 2021 https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/12956 Wed, 15 Sep 2021 00:00:00 +0000