A DISPUTA IDEOLÓGICA NAS MATÉRIAS DE POLÍTICA DE VEJA E CARTA CAPITAL

Autores

  • Miguel Rodrigues Netto Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Palavras-chave:

Política, Jornalismo, Ideologia, Revistas,

Resumo

Este trabalho alcança os resultados de pesquisa de cunho exploratório com alicerce em análise de conteúdo de duas revistas jornalísticas de circulação nacional: Veja e Carta Capital. A proposta do artigo é mostrar como tais publicações se utilizam de teorias da comunicação como agenda setting e gatekeeper para induzir seus leitores na forma de reagir aos conteúdos publicados reforçando seu viés ideológico seja alinhado à direita seja à esquerda. Conclui-se que embora ambas publicações realizem um alinhamento ideológico na abordagem de suas matérias, Carta Capital o faz dentro dos limites do jornalismo enquanto que Veja utiliza subterfúgios para reforçar sua narrativa falaciosa.

Biografia do Autor

Miguel Rodrigues Netto, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Jornalista. Doutorando em Ciências Sociais - PUC/SP. Mestre em Política Social - UFMT. Professor Assistente da Univesridade Estadual de Mato Grosso - UNEMAT. Presidente da Câmara de Educação Profissional e Educação Superior do Conselho Estadual de Educação de Mato Grosso - CEE/MT.

Referências

CALDAS, Graça. 1998. Políticas de Comunicação no Brasil: de Sarney a FHC. Ensaios e Comunicação, Campo Grande, Uniderp, v.1, n. l, p. 39-48, abril.

CARTA CAPITAL. Edição 890. São Paulo: Editora Confiança, 2016.

______. Edição 891. São Paulo: Editora Confiança, 2016.

______. Edição 892. São Paulo: Editora Confiança, 2016.

______. Edição 893. São Paulo: Editora Confiança, 2016.

______. Edição 894. São Paulo: Editora Confiança, 2016.

ERBOLATO, Mário L. Técnicas de codificação em jornalismo. Redação, captação e edição no jornal diário. 5ª ed. São Paulo: Ática, 2002.

FONSECA, João José Saraiva. Metodologia da pesquisa científica. Universidade Estadual do Ceará, 2002.

GOMES, Pedro G. Comunicação Social: filosofia, ética, política. São Leopoldo: Ed. Unisinos, 1997.

LIMA, Venício A. de. 2001. Mídia: teoria e política. São Paulo: Fundação Perseu Abramo.

MARQUES DE MELO, José. A opinião no jornalismo brasileiro. 2 ed. revista. Petrópolis: Vozes, 1994.

MARTINO, Luís Mauro de Sá. Teoria da Comunicação: ideias, conceitos e métodos. 2. ed. Petrópolis - RJ: Vozes, 2010.

SEABRA, Roberto. Jornalismo Político: história e processo. IN: Jornalismo Político: teoria, história e técnicas. Rio de Janeiro: Record, 2006.
SERRANO, Estrela. A dimensão política do jornalismo. Comunicação e Cultura, nº 2, 2006, p. 63-81.

SILVEIRA, Flavio Eduardo. A Decisão do Voto no Brasil. Porto Alegre/RS. 1998.

SOUSA, Jorge Pedro. Modelos atuais de explicação dos efeitos dos meios de comunicação. In: teorias do jornalismo Ed. Argos: Santa Catarina, 2002.

TRAQUINA, Nelson. A trajetória histórica do jornalismo na democracia. In. Teorias do jornalismo, porque as notícias são como são. Florianópolis: Insular, 2 ed. 2005.

VEJA. Edição 2467. São Paulo: Editora Abril, 2016.

______. Edição 2468. São Paulo: Editora Abril, 2016.

______. Edição 2469. São Paulo: Editora Abril, 2016.

______. Edição 2470. São Paulo: Editora Abril, 2016.

______. Edição 2471. São Paulo: Editora Abril, 2016.

WEBER, Max. Ciência e Política: duas vocações. Prefacio Manoel T. Berlinck; tradução Leonidas Hegenberg Octany Silveira da Mota. 18 ed. São Paulo: Cultrix, 2011.

WEFFORT, Francisco C., (organizador). Os Clássicos da Política. 14 ed. São Paulo: Ática, 2006.

WOLF, M. Teorias da comunicação. 8. ed. Lisboa: Editora Presença. 2003.

Downloads

Publicado

2019-01-02