DESENVOLVIMENTO E PROGRESSO: a permanência dos discursos na ocupação recente do território mato-grossense

Autores

  • Beatriz dos Santos de Oliveira Feitosa Universidade Federal de Mato Grosso, Campus de Rondonópolis

Palavras-chave:

Deslocamentos, Discurso, Ocupação Recente, Relações de Trabalho.

Resumo

O propósito deste artigo é dialogar acerca da produção discursiva que trata dos deslocamentos e trajetórias de pessoas no estado de Mato Grosso no período posterior a 1970. O marco temporal diz respeito ao grande investimento promovido pelo Governo Federal e que dinamizou as ocupações recentes nos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Propomo-nos ainda, entender a produção discursiva que levou a criação do ideal de modernidade e progresso, conceitos que ganharam muita força nos processos de expansão da fronteira agrícola no Brasil, discutindo teoricamente a origem dos conceitos supramencionados bem como as práticas decorrentes da aplicação de tais conceitos, na organização das atividades produtivas e nas relações de trabalho no campo brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Beatriz dos Santos de Oliveira Feitosa, Universidade Federal de Mato Grosso, Campus de Rondonópolis

Professora Assistente no Departamento de História da Universidade Federal de Mato Grosso, Campus de Rondonópolis

Referências

BAUMAN, Zygmunt. Vidas desperdiçadas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2005.

BERMAN, Marshall. Tudo que é sólido desmancha no ar: a aventura da modernidade. Trad. de Carlos Felipe Moisés e Ana Maria L. Ioriatti. São Paulo: Cia. das Letras, 1986.

BOURDIEU, Pierre. O Poder Simbólico. Tradução Fernando Tomas. 12. Ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2009.

CHAUÍ, Marilena. Brasil: mito fundador e sociedade autoritária. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2000.

DELEUZE, Giles. Conversações, 1972 – 1990. Tradução de Peter Pal Pelbart. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1992.

DIJK, Teun A. Van. Discurso e Poder. São Paulo: Contexto, 2008.

DUPAS, Gilberto. O mito do progresso: ou o progresso como ideologia. São Paulo: Ed da UNESP, 2006.

FIGUEIRA, Ricardo Rezende. Pisando fora da própria sombra. A escravidão por dívida no Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2004.

FONSECA, Pedro Cezar Dutra. Gênese e Precursores do Desenvolvimentismo no Brasil. Revista Pesquisa & Debate do Programa de Estudos Pós-Graduados em Economia Política – Departamento de Economia da PUCSP, SP, Volume 15, n. 2 , 2004.

GUIMARÃES NETO, Regina Beatriz. A Lenda do Ouro Verde. Dissertação de mestrado. Campinas, 1986 (mimeo).

GOETTERT, Jones Dari. Primavera do Leste-MT: uma cidade sem passado. Revista Coletâneas do Nosso Tempo do Departamento de História da Universidade Federal de Mato Grosso (Campus de Rondonópolis). Ano VI, n. 6, 2003.

JOANONI NETO, Vitale. Do sonho da terra à terra do sonho, memória da reconstrução da vida privada no Mato Grosso após 1970. Territórios e Fronteiras, v. 7, p. 193-208, 2006.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro Passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Tradução de Wilma Patrícia Maas e Carlos Almeida Pereira. Rio de Janeiro: Contraponto: Ed. PUC – Rio, 2006.

LE GOFF. Jacques. História e Memória. Tradução Bernardo Leitão (ET. Al.) 5. Ed. Campinas, SP: editora da UNICAMP, 2003.

NETO, João Cabral de Melo. Morte e Vida Severina: e outros poemas em voz alta. 16. ed. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1982.

REIS, José Carlos. História & Teoria: historicismo, modernidade, temporalidade e verdade. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2003.
SAID, Edward W. Orientalismo: o Oriente como invenção do Ocidente. Tradução de Tomás Rosa Bueno. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

Downloads

Publicado

2016-07-02

Como Citar

FEITOSA, B. dos S. de O. DESENVOLVIMENTO E PROGRESSO: a permanência dos discursos na ocupação recente do território mato-grossense. REVISTA DIREITOS, TRABALHO E POLÍTICA SOCIAL, [S. l.], v. 2, n. 3, p. 185-202, 2016. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/rdtps/article/view/8772. Acesso em: 28 jan. 2023.