IMIGRAÇÃO, POLÍTICAS IMIGRATÓRIAS E DESENVOLVIMENTO: uma nova visão é necessária

Autores

Palavras-chave:

Políticas Imigratórias Internacionais. Violência. Desenvolvimento.

Resumo

São muitos os que advogam sobre o impacto da imigração a partir de posições nacionais hostis que não permitem uma análise real de suas causas e impactos. Neste artigo, propomo-nos a abordar, analiticamente, algumas estatísticas e manifestações de governantes, intelectuais e organismos multilaterais que, de um lado, posicionam-se favoráveis à livre circulação de mercadorias e capital ou mesmo à livre circulação de elites, qualquer classe de elite, mas principalmente das elites ocidentais; e, de outro, condenam ou restringem a circulação de pessoas que se movimentam em direção a outros países movidas pelo desejo de acessar novas oportunidades de trabalho, de moradia e de vida, e que de forma paradoxal, injusta e violenta são desrespeitadas nos chamados Estados Democráticos de Direito, sem acesso a cidadania e vilipendiadas em sua dignidade humana. Com o propósito de evidenciar o tratamento desumano e degradante dispensado aos imigrantes pelas nações economicamente desenvolvidas, destacamos as posições de alguns dos principais países receptores de imigração e os impactos das políticas adotadas para os imigrantes, de forma a contribuir com a premissa de que é hora de uma nova visão sobre imigração porque o tema não diz respeito apenas a “eles, os imigrantes” e sim a todos nós; diz respeito à causas e consequências que nos afetam a todos e ao tipo de sociedade na qual queremos viver e construir; diz respeito também às consequências inevitáveis de um mundo globalizado em termos de mercados e finanças, porém dividido entre pobres e ricos; aos aspectos positivos da imigração, que ficam obscurecidos por ameaças terroristas, radicalismos, preconceitos, racismos, xenofobias, interesses unilaterais, e,  acima de tudo, aos temores e medos cotidianos contra os quais, a única resposta apresentada como possível e exigida pela  sociedade tem sido a segurança, o controle e a exceção, através de políticas restritivas, medidas policiais, controles de fronteiras e a construção de muros.

 

Referências

ACHÓTEGUI. Joseba. Migración y salud mental. El síndrome del inmigrante con estrés crónico y múltiple (Síndrome de Ulises) Revista de servicios sociales, nº. 46, 2009, p.163-171. Disponível em: http://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=3119470 Acesso em: 22 oct. 2015.

ANDRADE, C. D. de. Sentimentos do mundo. Rio de Janeiro: Media Fashion. 2008, p. 27.

APDHA 2014. Balance Migratório Frontera Sur 2014, Asociación Pro Derechos Humanos de Andalucía. Disponível em: http://www.apdha.org/media/Balance-Migratorio-FS-2014.pdf Acesso em: 08 nov.2015.

BRASIL. PLS 288/2013. Disponível em: http://www.senado.gov.br/atividade/materia/detalhes.asp?p_cod_mate=113700 Acesso em: 08 mai. 2015.

BUCHANAN. Patrick J. The Death of the West: How Dying Populations and Imigrant Invasions Imperil Our Country and Civilization,Tomas Dunne, USA. 2002. p. 02 e 03.

EUROSTAT. 2013. Oficina Estadística de la Unión Europea.2013. Disponível em: http://ec.europa.eu/spain/pdf/np-eurostat-tasa-desempleo-31-octubre-2013_es.pdf Acesso em: 06 set. 2014.
HORTA. Mauricio. Faça amor e faça a guerra. Revista Superinteressante. Edição 263. Março, 2009. p. 52. Disponível em http://super.abril.com.br/superarquivo/263. Acesso em: 23 set.2015.

HUNTINGTON. Samuel. Who are We? America´s Great Debate. The Free Press. 2005, p. 12.

LEGRAIN. Philippe. Inmigrantes. Tu país los necesita. Colección Libros de Encuentro. Intermon Oxfan Editorial. 2008.

OCDE. 2006. Internacional Migration Outlook.2006, Organization for Economic Cooperation and Development. 2006, tabela A.1.3. p. 35.

OIM. 2010. Perfil Migratório do Brasil 2009. Genebra: OIM. 2010. Disponível em: http://publications.iom.int/system/files/pdf/brazil_profile2009.pdf. Acesso em: 12 jul. 2015.

OIM. 2013. Informe de las Migraciones en el Mundo. OIM. 2013. Organización Internacional de Migraciones. p.60 y 70. (versão em espanhol). Disponível em: http://publications.iom.int/system/files/pdf/wmr2013_sp.pdf Acesso em: 22 set. 2015.

REIS, Rossana Rocha. Soberania, direitos humanos e migrações internacionais. Revista. Brasileira de Ciências Sociais. Junho 2004, vol.19, no. 55, p.149-163. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-69092004000200009 Acesso em: 12 set. 2015.

UN. 2013. International migration and development Report. Naciones Unidas. Jul. 2013, p. 04 e 06. Disponível em: http://www.un.org/esa/population/migration/ga/SG_Report_A_68_190.pdf Acesso em: 12 set. 2015.

Downloads

Publicado

2016-01-02