CONTRADIÇÕES DAS POLÍTICAS SOCIAIS

DOS DIREITOS SOCIAIS À GUERRA CONTRA INDISCIPLINA

Autores

Palavras-chave:

Política Social, Desigualdade, Emancipação, Alienação

Resumo

A questão social, resultante da contradição entre capital e trabalho, vem sendo objeto de estudo de inúmeras pesquisas no campo social crítico, exigindo a compreensão do conjunto de disputas entre projetos societários que sustentam distintos interesses de classes, especialmente pelo Estado por meio das Políticas Sociais. O trabalho em questão, é fruto da análise teórica e histórica que reconhece as contradições, limites e possibilidades do Estado em intervir (ou não) no enfrentamento da questão social mediante Políticas Sociais. Observa-se na presente análise a contradição entre a ampliação dos direitos sociais e o acesso as políticas sociais como estratégia de obtenção de melhores condições de vida a toda a população, e, ao mesmo tempo, o uso estratégico para disciplinar, normatiza e controlar populações empobrecidas, especialmente negros e mulheres por parte do Estado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Beatriz Borges Brambilla, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Psicóloga, Doutora em Psicologia Social (PUC-SP) e Professora da Graduação em Psicologia na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP).

Maria da Graça Marchina Gonçalves, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Psicóloga, Doutora em Psicologia Social (PUC-SP) e Professora do Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia Social na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP).

Referências

BEHRING, E. R., BOSCHETTI, I. Política Social: Fundamentos e História. São Paulo: Cortez, 2011

CASTEL, R. As metamorfoses da questão social: uma crônica do salário. Petrópolis: Vozes, 1998.

CHASIN, J. Democracia política e emancipação humana. Revista Ensaio, v. 13, 1984.

DUARTE, N. A contradição entre universalidade da cultura humana e o esvaziamento das relações sociais. Educação e pesquisa, v. 32, n. 3, p. 607-618, 2006.

FEDERICI, S. Calibã e A Bruxa - Mulheres, Corpo e Acumulaçao Primitiva. Elefante, 2017.

FONSECA, M. O Banco Mundial como referência para a justiça social no terceiro mundo: evidências do caso brasileiro. Revista da Faculdade de Educação, v. 24, n. 1, p. 37-69, 1998.

GONÇALVES, M. G. M. Psicologia, subjetividade e políticas públicas. 1ª. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

IAMAMOTO, M. V. A questão social no capitalismo. Revista Temporalis, v. 3, p. 09-32, 2001.

MARX , K . A questão judaica. São Paulo: Moraes, s/d.

_____. Teorias da mais-valia, história crítica do pensamento econômico. Vol.1 Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1980.

McNAMARA, Robert, S. Equidad social y crecimiento económico. Mexico, El mercado de valores, n.41, out. 1972, p.1064-72.

MÉSZÁROS, I. A montanha que devemos conquistar: reflexões acerca do Estado. Boitempo Editorial. São Paulo, 2015.

OLIVEIRA, M. C. F. A., VIEIRA, J. M, MARCONDES. G. S. Cinquenta anos de relações de gênero e geração no Brasil: mudanças e permanências. In: ARRETCHE, Marta (Org.) Trajetória das desigualdades: como o Brasil mudou nos últimos cinquenta anos. São Paulo: Ed. UNESP: CEM, 2015.

SAFIOTTI, H. Gênero, patriarcado, violência. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2015.

SIQUEIRA, L. de S. Pobreza e Serviço Social: Diferentes Concepções e Compromissos Políticos. Cortez. São Paulo,l 2013.

Downloads

Publicado

2021-03-23