REINVENÇÃO DO TRABALHO FLEXÍVEL NA FRONTEIRA ENTRE TRADIÇÃO E MODERNIDADE

Autores

Palavras-chave:

Trabalho, Tradição e Capitalismo

Resumo

Este artigo analisa o trabalho flexível reinventado como tradição na modernidade, a partir da realidade concreta do mercado da tecelagem em Resende Costa, MG. A discussão contrapõe a tese de Anthony Giddens que defende a “invenção da tradição como mecanismo de poder” com a proposta de Ricardo Antunes que relaciona inovação, criação de valor e desumanização do trabalhador. Concluímos que a tradição pode revelar múltiplas tensões e rupturas dos poderes recriados sob a lógica da sociabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristiane Natalício Souza, Universidade Federal de Viçosa - UFV, MG

Graduação e mestrado em Economia Doméstica pela UFV; doutorado em Ciências Sociais pela PUC Minas, com doutorado sandwiche na Universidad Autónoma Metropolitana Iztapalapa, México.
Graduação em Serviço Social - em curso na UFJF.
Professora do Curso de Serviço Social da Universidade Federal de Viçosa, MG.

Referências

ALVES, Giovanni; ANTUNES, Ricardo. As mutações no mundo do trabalho na era da mundialização do capital. In: Educação e Sociedade, n. 87, v. 25, mai./ago. 2004. Disponível em: <https://www.scielo.br/pdf/es/v25n87/21460.pdf>. Acesso em: 20 out. 2020.

ANTUNES, Ricardo Antunes. Os sentidos do trabalho: ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. São Paulo: Boitempo, 2009.

ANTUNES, Ricardo. As novas formas de acumulação do capital e as formas contemporâneas do estranhamento (alienação). In: Caderno CRH, n. 37. Salvador, UFBA, jul./dez. 2002. Disponível em: <https://portalseer.ufba.br/index.php/crh/article/view/18601/11975>. Acesso em: 15 nov. 2017.

ANTUNES, Ricardo. O privilégio da servidão: o novo proletariado de serviços na era digital. São Paulo: Boitempo, 2018.

BARBOSA, Rosângela Nair de Carvalho. A economia solidária como política pública: uma tendência de geração de renda e ressignificação do trabalho no Brasil. São Paulo: Cortez, 2007.

CANNADINE, David. Contexto, execução e significado do ritual: a monarquia britânica e a invenção da tradição. In: HOBSBAWM, Eric; RANGER, Terence. A invenção das tradições. 9. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2014.

GIDDENS, Anthony. Mundo em descontrole: o que a globalização está fazendo de nós. 2. ed. Tradução de Maria Luiza Borges. Rio de Janeiro: Record, 2002.

GIDDENS, Anthony. As consequências da modernidade. São Paulo: UNESP, 1991.

HOBSBAWM, Eric; RANGER, Terence. A invenção das tradições. 9. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2014.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo Demográfico. Rio de Janeiro: IBGE, 2010. Disponível em: <https://www.ibge.gov.br/ estatisticas-novoportal/sociais/trabalho/9662-censo-demografico-2010.html?&t=o-que-e>. Acesso em: 15 nov. 2017.

KELLER, Paulo F. O artesão e a economia do artesanato na sociedade contemporânea. Revista de Ciências Sociais, v. 2, n. 41, p. 323-347, 2014. Disponível em: <http://periodicos.ufpb.br/index.php/politicaetrabalho/ article/view/21342>. Acesso em: 02 maio 2017.

LATOUR, Bruno. Reagregando o social: uma introdução à teoria do ator rede. São Paulo: EDUSC, 2012.

LIMA, Kátia. Desafios éticos e políticos da luta de classes e o mito da democracia racial em Florestan Fernandes. In: Revista Katálysis, Florianópolis: UFSC, v. 20, n. 3, 2017. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/katalysis/article/view/1982-02592017v20n3p353/35087>. Acesso em: 08 out. 2020.

LIMA, Ricardo Gomes. Artesanato em debate: Paulo Keller entrevista Ricardo Gomes Lima. Revista Pós em Ciências Sociais, v. 8, n. 15, p. 187-210, jan./jun. 2011. Disponível em: . Acesso em: 02 maio 2017.

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política. Livro I. 2. Ed. Tradução de Rubens Enderle. São Paulo: Boitempo, 2017.

NETTO, José Paulo; BRAZ, Marcelo. Economia política: uma introdução crítica. São Paulo: Cortez, 2012.

OLIVEIRA, Francisco de. Crítica à razão dualista: o ornitorrinco. São Paulo: Boitempo, 2003.

POCHMANN, Marcio. Proteção social na periferia do capitalismo: considerações sobre o Brasil. São Paulo em Perspectiva, v. 18, n. 2, p. 3-16, 2004. Disponível em <http://www.seade.gov.br/wp-content/uploads/2014/07/v18n2.pdf>. Acesso em: 20 dez. 2016.

SANGUINET, Eduardo Rodrigues. Economia da cultura e economia criativa no Brasil: uma análise conjuntural do mercado de trabalho. In: VALIAT, Leandro; MOLLER, Gustavo. Economia criativa, cultura e políticas públicas. Porto Alegre: UFRGS, 2016. Disponível em: <http://www.ufrgs.br/obec/pubs/CEGOV2016EditorialGTEconomiaCriativadigital.pdf>. Acesso em: 15 nov. 2017.

SANTOS, Micênio Carlos Lopes dos; SILVA, Gustavo Melo. Tear: artesanato de Resende Costa. São João Del Rei: FUNREI, 1997.

SILVA, Gustavo Melo. (2010). Mercados como construções sociais: divisão do trabalho, organização e estrutura social de um mercado em um território municipal. Tese de Doutorado. (Programa de Pós-Graduação em Sociologia), Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2010.

Downloads

Publicado

2021-03-23