AS PARTICULARIDADES DO TRABALHO DOS MOTOBOYS NO CONTEXTO BRASILEIRO

Autores

  • Vivian Lúcia Rodrigues de Oliveira UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE
  • Íris Maria de Oliveira Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Palavras-chave:

precarização do trabalho. Trabalho produtivo e improdutivo. motoboys.

Resumo

O presente artigo aborda a precarização do trabalho dos motoboys no Brasil, cujo objetivo é realizar uma discussão acerca dos trabalhos produtivo e improdutivo, estabelecendo mediações para compreender as particularidades desta atividade profissional, necessária à reprodução social. Para tanto, pauta-se na perspectiva do materialismo-histórico dialético. Compreende-se que esta categoria profissional compõe a superpopulação relativa contemporânea e está submetida às novas formas de subsunção real do trabalho ao capital, cuja principal expressão se dá através da “uberização do trabalho”. Portanto, a submissão dos motoboys aos aplicativos de entrega escamoteia uma relação de subordinação, a qual estabeleceria a veracidade de firmar um emprego formal e os direitos a ele pertinentes.

Biografia do Autor

Vivian Lúcia Rodrigues de Oliveira, UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE

Doutoranda em Serviço Social, na  área de ciências sociais aplicadas. Pesquisadora das transformações do mundo do trabalho, com ênfase na precarização. Bolsista CAPES.

Íris Maria de Oliveira, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Docente do Departamento de Serviço Social, na Universidade Federal do Rio Grande do Norte, na área de ciências sociais aplicadas. Estudiosa das políticas sociais, com recorte para a assistência social. Expressões da questão social e mundo do trabalho.

Referências

BARROS, A. de. PREKARER: análise dos fundamentos da precarização do trabalho a partir da crítica da economia política. 2018. (Tese de doutorado). Recife: Universidade Federal de Pernambuco.

CARCANHOLO, R. O trabalho produtivo na teoria marxista. In: V Colóquio Internacional Marx e Engels. Campinas: CEMARX, 2007. Disponível em: <http://www.unicamp.br/cemarx/anais_v_coloquio_arquivos/arquivos/comunicacoes/gt1/sessao7/Reinaldo_Carcanholo.pdf> Acesso em: 21/06/2020.

COTRIM, V. Trabalho produtivo em Karl Marx – velhas e novas questões. São Paulo: Alameda, 2012.

LESSA, S. Para compreender a ontologia de Lukács. Ijuí: Unijuí, 2007.

MARX, K. Teorias da mais-valia – História crítica do pensamento econômico – Livro I. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1980.

______. O Capital: crítica da economia política. L. I. Vol. I. 3º ed. São Paulo: Nova Cultural, 1988.

______. O Capital – Crítica da economia política – Livro Primeiro – O processo de produção do capital. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006a.

______. O Capital – Crítica da economia política – Livro Segundo – O processo de circulação do capital. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006b.

OLIVEIRA, G. C. Trabalho, vitimização e criminalização no cotidiano de motoboy de Salvador. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública). UFBA. Salvador, 2003.

RAPOSO, C. T. M. As particularidades da questão social na realidade brasileira contemporânea: superpopulação, precarização do trabalho e superexploração da força de trabalho. (Tese: doutorado em Serviço Social). UFPE. Recife, 2015.

TAVARES, M. A. A Centralidade do Trabalho Produtivo no Capitalismo Contemporâneo. In: Revista Temporalis, 2002.

______. Os fios (in)visíveis da produção capitalista. Informalidade e precarização do trabalho. São Paulo: Cortez, 2004.

Downloads

Publicado

2020-10-01