O EXERCÍCIO PROFISSIONAL DAS ASSISTENTES SOCIAIS NO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATO GROSSO – IFMT

Autores

Palavras-chave:

Política de educação profissional e tecnológica, Serviço social, Exercício profissional.

Resumo

O presente artigo tem por objetivo apresentar algumas reflexões sobre o exercício profissional das Assistentes Sociais no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso: demandas sociais e respostas profissionais. Para desenvolver esta discussão, realizamos a Pesquisa Descritiva, com abordagem qualitativa, sendo as informações coletadas por meio de entrevistas semiestruturadas com 9 (nove) Assistentes Sociais, lotadas em diferentes campi de Mato Grosso. Os resultados demonstram que o tempo dedicado ao processo de conhecimento e sistematização sobre a realidade com a qual se trabalhará é dividido com o volume de demandas excessivas para o número de profissionais disponíveis. Isso leva a uma tendência de aligeiramento e superficialização que termina por restringir a intervenção ao atendimento de demandas emergenciais, sem a devida problematização, o que prejudica a análise sob a ótica da dimensão coletiva, assim como o avanço no desenvolvimento das ações socioeducativas.

Biografia do Autor

Soraide Isabel Ferreira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso - IFMT

Soraide Isabel Ferreira Mestra em Política Social pela Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT e Assistente Social do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso – IFMT, campus Cuiabá. Email: ysa.ferreira21@gmail.com, Tel: (065) 99695-9058

Janaina Carvalho Barros, Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT

Janaina Carvalho Barros Doutora em Serviço Social e Política Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ, professora do Departamento de Serviço Social e do Programa de Pós-Graduação em Política Social da Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT, campus Cuiabá. Email: jan-cars@hotmail.com, Tel: (065) 99919-0224

Referências

ALMEIDA, Ney Luiz Teixeira de. Serviço Social e política educacional: um breve balanço dos avanços e desafios desta relação. In: I Encontro de Assistentes Sociais na Área da Educação. Belo Horizonte. 2003. Disponível em< https://www.cress-mg.org.br/arquivos/Servi%C3%A7o-Social-e-pol%C3%ADtica-educacional-Um-breve-balan%C3%A7o-dos-avan%C3%A7os-e-desafios-desta-rela%C3%A7%C3%A3o.pdf>. Acesso em nov. 2016.

ALMEIDA, Ney Luiz Teixeira de. Apontamentos sobre a Política de Educação no Brasil hoje e a inserção dos/as assistentes sociais. In: CFESS. Subsídios para a atuação de assistentes sociais na política de educação. Brasília: CFESS/CRESS, 2011.

BRASIL. Decreto nº 7.234, de 19 de julho de 2010. Dispõe sobre o Programa Nacional de Assistência Estudantil – PNAES. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/decreto/d7234.htm>. Acesso em: nov. 2017.

CFESS, Conselho Federal de Serviço Social. Subsídios para a atuação de assistentes sociais na política de educação. Brasília: CFESS/CRESS 2013.

GUERRA, Yolanda. A dimensão técnico operativa do exercício profissional. In: SANTOS, Cláudia Mônica dos; BACKX, Sheila; GUERRA, Yolanda. A dimensão técnico-operativa no Serviço Social: desafios contemporâneos (Orgs). Juiz de Fora: Ed. UFJF, 2012. p. 39-68.

IAMAMO, Marilda Vilela. Ensino e pesquisa no Serviço Social: desafios na construção de um projeto e formação profissional. In: ABEPSS. Diretrizes Curriculares e Pesquisa em Serviço Social. São Paulo: Cortez, 1998. (Caderno ABESS; n° 8).

IAMAMOTO, Marilda Vilela. O Serviço Social na contemporaneidade: trabalho e formação profissional. 26. ed. São Paulo-SP: Cortez, 2015.

IAMAMOTO, Marilda Villela; CARVALHO, Raul de. Relações Sociais e Serviço Social no Brasil: Esboço de uma interpretação histórico-metodológica. 23. ed. São Paulo-SP: Cortez; Lima, Peru: CELATS, 2008.

IFMT. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso. Instrução Normativa nº 02 de 24 de janeiro de 2012. Institui e normatiza o Programa de Assistência Estudantil no Instituto Federal de Mato Grosso.

IFMT. Resolução nº 094, de 18 de outubro de 2017. Instituí a Política de Assistência Estudantil do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso. Disponível em: < http://ifmt.edu.br/media/filer_public/67/4e/674e804a-c163-4d5e-af3e-5986150ccf13/portaria_2504_forum_e_regimento_ae.pdf >. Acesso em: mar. 2018.

IFMT. Portaria 2.504, de 18 de outubro de 2017. Constituí o Fórum Permanente da Política de Assistência Estudantil do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso. Disponível em: < http://ifmt.edu.br/conteudo/pagina/comissao-central-permanente-de-assistencia-estudantil-do-ifmt-ccpae/>. Acesso em: mar. 2018.

IAMAMOTO, Marilda Vilela. Serviço social em tempo de capital fetiche: capital financeiro, trabalho e questão social. São Paulo-SP: Cortez, 2011.

MARTINELLI, Maria Lucia. A pergunta pela identidade profissional do serviço social: uma matriz de análise. Serv. Soc. & Saúde, Campinas, SP v. 12, n 2 (16), p. 145-156, jul./dez. 2013 ISSN16-6806.

MARTINS, Elina Bolorino Canteiro. Educação e Serviço Social: elo para construção da cidadania. Tese (Doutorado. Programa de Estudos Pós Graduados em Serviço Social, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2007. Disponível em< https://tede2.pucsp.br/handle/handle/17821>. Acesso em nov. 2017.

MOTA, Ana Elizabete. Seguridade Social no cenário brasileiro. Rio de Janeiro-RJ: Revista Ágora. Ano 1, nº 1, out. 2004. Disponível em: <http://www.assistentesocial.com.br>. Acesso em nov. de 2017.

MOURA, Dante Henrique. Educação Básica e Educação Profissional e Tecnológica: dualidade histórica e perspectivas de integração. Holos, Ano 23, v. 2 – 2007. p. 4-30.

PADRA, Talita; GARCIA, Maria Lúcia Teixeira. Perfil das assistentes sociais dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia do Brasil. Serv. Soc., São Paulo, n. 129, p. 304-325, maio/ago. 2017. Disponível em: . Acesso em nov. 2017.

RAICHELIS, Raquel. O assistente social como trabalhador assalariado: desafios frente às violações de seus direitos. Serv. Soc. Soc.[online]. 2011, n. 107, pp.420-437. ISSN 0101-6628. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0101-66282011000300003>. Acesso em nov. 2017.

SANTOS, Cláudia Mônica dos. Na prática a teoria é outra?: mitos e dilemas na relação entre teoria, prática, instrumentos e técnicas no Serviço Social. 3. ed. Rio de Janeiro-RJ: Lumen Juris, 2013.

SILVA, Marcela Mary José da. (Org). O lugar do Serviço Social na educação. In: SILVA, Marcela Mary José da. Serviço Social na Educação: teoria e prática. Campinas: Papel Social, 2012, p. 15-31.

TORRES, Mabel Mascarenhas. Exercício Profissional: analisando a dimensão técnico operativa e as atividades desenvolvidas. I Colóquio Internacional IV Colóquio Nacional Sobre o trabalho do/a Assistente Social – trabalho e formação profissional do/a Assistente Social no Brasil e no mundo: desafios contemporâneos. Maceió, 2017.

VARGAS, Michely de Lima Ferreira. Ensino superior, assistência estudantil e mercado de trabalho: um estudo com egressos da UFMG. Dissertação (Mestrado em Educação) — Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2008.

VASCONCELOS, Ana Maria de. A prática do Serviço Social: cotidiano, formação e alternativas na área da saúde. 8. ed. São Paulo-SP: Cortez, 2012.

VASCONCELOS, Ana Maria de. A/O Assistente Social na luta de classes: projeto profissional e mediações teórico-práticas. São Paulo-SP: Cortez, 2015.

Downloads

Publicado

2020-10-06