LINGUAGEM, NEUROCIÊNCIA E COGNIÇÃO: AMPLIANDO OS FUNDAMENTOS PARA O PLANEJAMENTO DE AULAS DE LÍNGUA PORTUGUESA

Autores

  • Lennie Aryete Dias Pereira Bertoque polifoniapa@gmail.com

Resumo

O ensino de Língua Portuguesa requer um fazer pedagógico, mas também um fazer científico, porque o docente precisa conhecer os conteúdos, as estratégias de ensino e analisar os resultados em cada aplicação. O objetivo deste trabalho é mostrar a importância de os professores de Língua Portuguesa buscarem e/ou receberem em sua formação inicial e continuada, um conhecimento básico da Neurociência e da Cognição, para, juntamente com a Ciência da Linguagem (neste caso, com a abordagem da Linguística Funcional), planejarem suas ações no processo de ensino-aprendizagem eficientemente. Neste artigo, são apresentados os conceitos e os pressupostos básicos de cada uma das três grandes áreas; destaca-se a importância de correlacioná-las; e apresenta-se um breve relato sobre a aplicação de aulas fundamentando-se nos conhecimentos inter-relacionados. A partir do conhecimento de como o cérebro aprende, o que é linguagem, como ela funciona no cérebro e nas interações sociais, foi possível planejar aulas intercalando níveis de complexidade diferentes aos conteúdos, aos procedimentos, aos suportes de linguagem e aos gêneros discursivos. O resultado obtido nas aplicações foi maior reflexão e análise dos estudantes sobre os fenômenos de linguagem, devido à intensificação dos processos de associação das informações e à exigência de esforço cognitivo mais adequado a cada faixa etária escolar, promovendo um aprendizado mais significativo.

Downloads

Publicado

2018-09-23

Como Citar

BERTOQUE, L. A. D. P. LINGUAGEM, NEUROCIÊNCIA E COGNIÇÃO: AMPLIANDO OS FUNDAMENTOS PARA O PLANEJAMENTO DE AULAS DE LÍNGUA PORTUGUESA. Polifonia, [S. l.], v. 25, n. 38.2, p. 273–302, 2018. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/polifonia/article/view/7284. Acesso em: 21 jun. 2024.

Edição

Seção

Edição Comemorativa