A LINGUAGEM VISUAL COMO PRODUTORA DE SENTIDOS NO DISCURSO JORNALÍSTICO: ANÁLISE DA COBERTURA DO ACIDENTE DA CHAPECOENSE

Autores

  • Jociene Carla Ferreira Pedrini, Gesner Duarte Pádua, Igor Aparecido Dallaqua Pedrini e Ana Carolina Custódio polifoniapa@gmail.com

Resumo

Neste trabalho analisamos o discurso visual gráfico da capa de quatro jornais diários brasileiros de grande circulação na cobertura do desastre aéreo com a equipe da Associação Chapecoense de Futebol, em novembro de 2016, na Colômbia. O objetivo é evidenciar a importância da linguagem visual na construção de sentidos presentes nas mensagens jornalísticas. O corpus é formado pelas capas dos jornais Extra, Meia Hora, Correio Braziliense e Estado de Minas do dia 30 de novembro de 2016. Realizamos, incialmente, uma pesquisa bibliográfica sobre o papel do design de notícias, do projeto gráfico e da linguagem visual na comunicação visual e verbo-visual e, em seguida, uma análise dos elementos gráficos e estratégias compositivas das mensagens baseada em princípios da Semiótica Discursiva. Observamos que a construção visual das capas evoca sentidos ora negativos como tristeza, luto e dor, ora, surpreendentemente, efeitos positivos, como vitória, superação e união, em uma estratégia discursiva de aproximação afetiva com os leitores por meio da função emotiva da linguagem utilizada.

Downloads

Publicado

2018-09-23

Como Citar

IGOR APARECIDO DALLAQUA PEDRINI E ANA CAROLINA CUSTÓDIO, J. C. F. P. G. D. P. A LINGUAGEM VISUAL COMO PRODUTORA DE SENTIDOS NO DISCURSO JORNALÍSTICO: ANÁLISE DA COBERTURA DO ACIDENTE DA CHAPECOENSE. Polifonia, [S. l.], v. 25, n. 38.2, p. 253–272, 2018. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/polifonia/article/view/7283. Acesso em: 21 jun. 2024.

Edição

Seção

Edição Comemorativa