Entre imagens, símbolos e mitos: da tradição cultural ocidental no álbum de Manuela Bacelar

Autores

Palavras-chave:

Álbum, Intertextualidade, Manuela Bacelar.

Resumo

Pretende-se, neste ensaio, proceder a uma leitura intertextual do álbum escrito e ilustrado por Manuela Bacelar, vulto precursor na criação deste objeto híbrido em Portugal, cujo trabalho plástico-literário não fica aquém de uma forte analogia − parodística e subversiva − com o imaginário simbólico-religioso e profano, oferecendo ao olhar leitor variados tipos de símbolos, imagens ou mitos. Tendo como premissa a interdependência discursiva entre o texto e as ilustrações, tenta demonstrar-se a que níveis se estrutura essa articulação, visando atestar as virtualidades plurissignificativas da obra na formação de leitores competentes e autónomos.

Biografia do Autor

Carina Rodrigues, DLC-Universidade de Aveiro/CIEC-Universidade do Minho

Carina Rodrigues é Licenciada em Educação de Infância pela ESE de Coimbra e Mestre em Ciências da Educação pela Universidade de Aveiro. Concluiu o Doutoramento em Literatura, em 2013, na Universidade de Aveiro, com uma tese subordinada ao tema “Palavras e imagens de mãos dadas. A arquitetura do álbum narrativo em Manuela Bacelar” (FCT -SFRH/BD/44145/2008). É membro colaborador do CIEC (Centro de Investigação em Estudos da Criança) da Universidade do Minho e, na Galiza, do Grupo de Investigação LITER21 («Literatura gallega. Literatura Infantil y Juvenil. Investigaciones literarias, artísticas, interculturales y educativas»), bem como vogal da direção de ELOS (Asociación Galego Portuguesa de Investigadores en Literatura Infantil e X/Juvenil). Apresentou várias comunicações em colóquios e congressos nacionais e internacionais, e publicou recensões e artigos diversos no âmbito da Literatura Infantojuvenil.

Referências

AUMONT, J. L’image. Paris: Éditions Nathan, 1990.

AZEVEDO, F. F. de. A intertextualidade como mecanismo auxiliador da formação de leitores: alguns exemplos da literatura infantil contemporânea publicada em Portugal. Lenguaje y Textos, 28, 2008. p.75-82.

BAAL-TESHUVA, J. Chagall. Köln: Taschen, 2008.

BACELAR, M., Este é o Tobias, Porto: Porto Editora (Col. Tobias, 1), 1989.

BACELAR, M., Tobias fantasma, Porto: Porto Editora (Col. Tobias, 2), 1989.

BACELAR, M., O dinossauro, Porto: Edições Afrontamento, 1990.

BACELAR, M., O meu avô, Porto: Edições Afrontamento, 1990.

BACELAR, M., Tobias os 7 anões e etc., Porto: Porto Editora (Col. Tobias, 3), 1990.

BACELAR, M., Tobias e o leão, Porto: Porto Editora (Col. Tobias, 4), 1990.

BACELAR, M., Tobias às fatias, Porto: Porto Editora (Col. Tobias, 5), 1990.

BACELAR, M., Tobias encontra Leonardo, Porto: Porto Editora (Col. Tobias, 6), 1991.

BACELAR, M., Tobias e as máquinas de Leonardo, Porto: Porto Editora (Col. Tobias, 7), 1991.

BACELAR, M., Tobias do lado de lá do arco-íris, Porto: Porto Editora (Col. Tobias, 8), 1992.

BACELAR, M., Tobias «O que eu passei para chegar aqui!», Porto: Porto Editora (Col. Tobias, 9), 1992.

BACELAR, M., Sebastião, Porto: Edições Afrontamento, 2004.

BACELAR, M., Bernardino, Porto: Edições Afrontamento, 2005.

BACELAR, M., O livro do Pedro, Porto: Edições Afrontamento, 2008.

BACHELARD, G. A poética do espaço. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

BAKHTINE, M. L'oeuvre de François Rabelais et la culture populaire au Moyen Age et sous la Renaissance. Paris: Gallimard, 1970.

CERRILLO TORREMOCHA, P. Literatura infantil e mediação leitora, In AZEVEDO, F. (coord.), Língua materna e literatura infantil. Elementos nucleares para professores do ensino básico (p. 33-46). Lisboa: Lidel, 2006.

CHEVALIER, J.; GHEERBRANT, A. Dicionário dos símbolos. Lisboa: Teorema, 1994.

COLOMER, T. El álbum y el texto. Peonza – Revista de literatura infantil y juvenil, 39, 27-31, 1996.

DÍAZ ARMAS, J. Aspectos de la trantextualidad en la literatura infantil. In: MENDOZA FILLOLA, A.; CERRILLO TORREMOCHA, P. (coord.), Intertextos: Aspectos sobre la recepción del discurso artístico. Cuenca: Ediciones de la Universidad de Castilla-La Mancha, 2003. p. 61-97.

DÍAZ ARMAS, J. Transtextualidad e ilustración en la Literatura Infantil. In: VIANA, F., MARTINS, M. & COQUET, E. (org.), Leitura, literatura infantil e ilustração: investigação e prática docente. Braga: Centro de Estudos da Criança, Universidade do Minho, 2005. p. 189-222.

DÍAZ ARMAS, J. El simbolismo de los muros. Lenguaje y textos, 26, 2007. p. 145-160.

DÍAZ ARMAS, J. La ilustración en lucha con la palabra (Sobre algunas formas de la ironía en el álbum). In: MORENO VERDULLA, A., El humor en la literatura infantil y juvenil. Cádiz: ANILIJ/Universidad de Cádiz, 2010. p. 155-170.

DÍAZ-PLAJA, A. Leer palabras, leer imágenes. Arte para leer. In: MENDOZA FILLOLA, A. (coord.), La seducción de la lectura en edades tempranas. Madrid: Ministerio de Educación, cultura y deporte, 2002. p. 219-252.

FRANCO, A. “Mito”, In: CEIA, C. (ed.), E-dicionario de termos literários, 2010 [http://edtl.fcsh.unl.pt/encyclopedia/mito/].

GÁLLEGO, J. Visión y símbolos en la pintura española del Siglo de Oro. Madrid: Catedra, 1984.

GÁLLEGO, J. El cuadro dentro del cuadro. Madrid: Catedra, 1991.

GENETTE, G. Palimpsestes. La littérature au second degré. Paris: Éditions du Seuil, 1982.

HAGEN, R.M. & HAGEN, R. Bruegel − A obra de pintura. Köln: Taschen, 2004.

HUTCHEON, L. Uma teoria da paródia. Ensinamentos das formas de arte do século XX. Lisboa: Edições 70, 1989.

KAYSER, W. O grotesco. Configuração na pintura e na literatura. São Paulo: Perspectiva, 1986.

MÂLE, É. El Barocco. Arte religioso del siglo XVII. Italia, Francia, España, Flandes. Madrid: Ediciones Encuentro, 1985.

MENDOZA FILLOLA, A.; CERRILLO TORREMOCHA, P. (coord.). Intertextos: aspectos sobre la recepción del discurso artístico. Cuenca: CEPLI-UCLM, 2003.

PINHEIRO, M. A. A representação do silêncio em dois álbuns narrativos para a infância, 2010 [http://ria.ua.pt/bitstream/10773/2812/1/2010001229.pdf].

RÉAU, L. Iconografía del arte cristiano. Iconografía de la Biblia. Antiguo testamento, Tomo 1/Vol. 1. Barcelona: Ediciones de del Serbal, 1996a.

RÉAU, L. Iconografía del arte cristiano. Iconografía de la Biblia. Nuevo testamento, Tomo 1/Vol. 2. Barcelona: Ediciones de del Serbal, 1996b.

RÉAU, L. Iconografía del arte cristiano. Iconografía de los santos. De la A a la F, Tomo 2/Vol. 3. Barcelona: Ediciones de del Serbal, 1997.

RÉAU, L. Iconografía del arte cristiano. Iconografía de los santos. De la P a la Z - Repertorios, Tomo 2/Vol. 5. Barcelona: Ediciones de del Serbal, 1998.

RODRIGUES, C. Encontro com Manuela Bacelar. Percurso e influências na criação de álbuns narrativos para a infância. In: SILVA, M. M. & MOCIÑO GONZÁLEZ, I. (Coord.), Literatura para a infância e juventude e Educação Literária. Porto: Deriva, 2013, p. 167-180.

ROIG RECHOU, B. A. Educación literaria. Literatura infantil y juvenil. Una propuesta multicultural, Educação, vol. 35, n.º 3, setembro/dezembro 2012, p. 362-370.

SILVA, S. R. da. Recensão de Sebastião, de Manuela Bacelar. Malasartes [Cadernos de literatura para a infância e a juventude], Série II, 20. Porto: Porto Editora, 2010. p. 69-70.

SILVA, G.; DIOGO, A. L.; AZEVEDO, F. F. de. Mitos e temas revisitados na literatura infanto-juvenil contemporânea: uma literacia de (re)criação. In: MARTINS, P. (org.), Actas do I congresso internacional em estudos da criança – ‘Infâncias possíveis, mundos reais’, 2008. p. 1-8 [http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/8009].

Downloads

Publicado

2018-12-27

Como Citar

RODRIGUES, C. Entre imagens, símbolos e mitos: da tradição cultural ocidental no álbum de Manuela Bacelar. Polifonia, [S. l.], v. 25, n. 40.1, p. 42–78, 2018. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/polifonia/article/view/6393. Acesso em: 21 jun. 2024.