Os canibais, de Álvaro de Carvalhal e Manoel de Oliveira: entre literatura e cinema

Autores

  • Jéssica Domingues Angeli angelijd@gmail.com
    Graduanda em Letras pela FCLAr - Faculdade de Ciências e Letras da UNESP de Araraquara
  • Bruno Gambarotto bruno.gambarotto@gmail.com
    Doutor em Teoria Literária e Literatura Comparada - DTLLC FFLCH USP

Resumo

As noções que regem a avaliação de adaptação cinematográfica, no senso comum, baseiam-se em noções de transposição, de uma arte para outra, da mesma narrativa. Entretanto, o diretor que adapta uma obra literária para o cinema produzirá um filme com a sua interpretação da obra, bem como o seu estilo e seu horizonte de expectativa, ou seja, o seu filme. Diante disso, neste trabalho, visamos a explorar as relações entre literatura e cinema, valendo-se de textos teóricos que versam sobre o tema, avaliando como Manoel de Oliveira, conhecido por produzir diversos filmes a partir de romances e contos, foi um leitor que soube transformar em cinema, as características literárias que ele identificou como mais fascinantes nas obras adaptadas.

Referências

AGÊNCIA ESTADO, 2008. Diponível em:

http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/estreia-hoje-nos-cinemas-aposaposensaio-sobre-a-cegueiraaposapos/n1237688667190.html Acesso em 06/12/2016;

BAECQUE, Antoine e PARSI, Jacques. Conversas com Manoel de Oliveira. Porto: Campo das Letras, 1999. Trad.: Henrique Cunha;

BATALHA, Maria Cristina. Álvaro do Carvalhal: o que pode nos informar um “autor menor”? Itinerários, Araraquara, n. 33, p. 157-170, jul./dez. 2011;

BELLO, Maria do Rosário Luppi. De Kessel a Buñuel e Oliveira: quando o cinema responde à literatura. Cadernos de semiótica aplicada – Casa, Araraquara, nº 2, p. 1-14, dez. 2012. Disponível em: http://seer.fclar.unesp.br/casa Acesso em 11/12/2016;

______. Da narrativa literária à narrativa fílmica: Amor de perdição: um exemplo de transcodificação intersemiótica. 2001. 739p. Tese (Doutorado em Teoria da Literatura) – Universidade Aberta de Lisboa, 2001;

BENIS, Rita de Brito. Fanny Owen, da literatura ao cinema: o argumento como estrutura de ligação entre a literatura e o cinema. In: TORRES, Mário Jorge (org.). Não vi o livro, mas li o filme. Braga: Edições Húmus, 2008;

CARVALHAL, Álvaro do. Os canibais. In: ______. Contos. Lisboa: Assírio & Alvim, 2004;

CARPEAUX, Otto Maria. O Romantismo. In: ______. História da literatura ocidental. São Paulo: Leya, 2012;

CONVERSAZIONE A PORTO. Direção de Daniele Sagre. Roma: Fondazione Libero Bizzarri, 2006. 75min, sonoro, cores, legendas em português. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=yg8ZYZb5gCg Acesso em 12/12/2016;

OS CANIBAIS. Direção de Manoel de Oliveira. Lisboa: Filmargem, França: Gemini Films, 1988. 98 min, sonoro, cores, legendas em português;

O Globo. Morre o cineasta português Manoel de Oliveira, aos 106 anos. Disponível em: http://oglobo.globo.com/cultura/filmes/morre-cineasta-portugues-manoel-de-oliveira-aos-106-anos-15762736 Acesso em 11/12/2016;

POE, Edgar Allan. Poemas e ensaios. 4ª ed. São Paulo: Globo, 2009. Trad.: Oscar Mendes e Milton Amado;

REIS, Carlos e LOPES, Cristina. Dicionário de teoria da narrativa. São Paulo: Ática, 1988;

STAM, Robert. Teoria e prática da adaptação: da fidelidade à intertextualidade. Ilha do desterro, Florianópolis, n. 51, p. 19-53, jul./dez. 2006;

TODOROV, Tzvetan. Introdução à literatura fantástica. 3ª ed. São Paulo: Perspectiva, 2004;

XAVIER, Ismail. O discurso cinematográfico: a opacidade e atrnasparência. 4ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 2008.

Downloads

Publicado

2018-12-27

Como Citar

ANGELI, J. D.; GAMBAROTTO, B. Os canibais, de Álvaro de Carvalhal e Manoel de Oliveira: entre literatura e cinema. Polifonia, [S. l.], v. 25, n. 40.1, p. 126–142, 2018. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/polifonia/article/view/6281. Acesso em: 21 jun. 2024.