A apropriação do discurso da Lava Jato pela mídia: a formação de arquivos de memória sobre o evento e seus personagens principais

Autores

  • Eliane Righi de Andrade eliane@clickall.com.br
    Pontifícia Universidade Católica de Campinas

Palavras-chave:

discurso da mídia, Lava Jato, arquivo de memória

Resumo

Partindo dos estudos do discurso, nossa proposta é discutir o papel que diferentes mídias tradicionais exercem na disseminação de sentidos referentes a enunciados tomados do discurso político- jurídico que envolveram a Operação Lava Jato. Esses enunciados, materializados em novos espaços e tempos enunciativos, são afetados pela história e pelas relações de poder que os atravessam, construindo efeitos de sentido sobre a memória discursiva. Dessa forma, entendemos que esses processos de ressignificação são também novas formas de acesso e constituição dos arquivos de memória, que produzirão efeitos na identidade do sujeito contemporâneo e em suas representações sociais.

Biografia do Autor

Eliane Righi de Andrade, Pontifícia Universidade Católica de Campinas

Doutorada e pós-doutorada em Linguística Aplicada pela Universidade de Campinas, é professora na Graduação (Letras) e no Mestrado interdisciplinar stricto sensu Linguagens, Mídia e Arte, da Pontifícia Universidade Católica de Campinas, onde desenvolve pesquisa institucional em área interdisciplinar, nas temáticas de subjetividade, identidade, memória e mídia.

Publicado

2018-05-25

Como Citar

ANDRADE, E. R. de. A apropriação do discurso da Lava Jato pela mídia: a formação de arquivos de memória sobre o evento e seus personagens principais. Polifonia, [S. l.], v. 25, n. 37.1, p. 19–34, 2018. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/polifonia/article/view/6109. Acesso em: 17 jun. 2024.